quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Colecistite crônica

Colecistite crônica é o inchaço e irritação da vesícula biliar, que continua ao longo do tempo.
A vesícula biliar é um “saco” localizado sob o fígado que armazena bílis que é produzida no fígado. A bile ajuda os intestinos a digerir gorduras.

Causas de colecistite crônica

Na maioria das vezes, colecistite crônica é causada por ataques repetidos de colecistite aguda (súbita). A maioria destes ataques são causados por cálculos biliares na vesícula biliar.
Estes ataques fazem com que as paredes da vesícula biliar possam engrossar e a vesícula biliar começa a encolher. Ao longo do tempo, a vesícula biliar é menos capaz de concentrar, armazenar e liberar bile.
A doença ocorre mais frequentemente em mulheres do que em homens, sendo mais comum após os 40 anos.


Sintomas de colecistite crônica

A colecistite aguda é uma condição dolorosa que leva a colecistite crônica. Não é claro se colecistite crônica provoca algum sintoma.
Os sintomas de colecistite aguda podem incluir:
  • Dor afiada ou cãibra na parte superior direita ou média alta da sua barriga
  • Dor constante com duração de cerca de 30 minutos
  • Dor que se espalha à sua volta ou abaixo do seu ombro direito
  • Fezes cor de argila
  • Febre
  • Náusea e vômitos
  • Amarelamento da pele e do branco dos olhos (icterícia)

Tratamento de colecistite crônica

A cirurgia é o tratamento mais comum. A cirurgia para remover a vesícula biliar é chamada de colecistectomia.
Uma colecistectomia laparoscópica é o procedimento mais frequentemente implementado. Esta cirurgia utiliza cortes cirúrgicos menores, que resultam numa recuperação mais rápida. Muitas pessoas são capazes de ir para casa no mesmo dia em que ocorre a cirurgia, ou na manhã seguinte.
Colecistectomia aberta exige um corte maior na parte superior direita do abdômen.
Se você estiver muito doente para ser sujeito a uma cirurgia por causa de outras doenças ou condições, os cálculos biliares podem ser dissolvidos com medicamentos que você pode tomar por via oral. No entanto, estes podem levar 2 anos ou mais para funcionarem. As pedras podem retornar após o tratamento.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL