sábado, 2 de dezembro de 2017

Colangiocarcinoma

Colangiocarcinoma é um crescimento canceroso (maligno) num dos canais que transporta bílis do fígado para o intestino delgado.

Causas de colangiocarcinoma

Os tumores cancerosos dos ductos biliares são geralmente de crescimento lento e não se espalham (metástase) rapidamente. No entanto, muitos destes tumores já estão em estado bastante avançado no momento em que eles são encontrados.
Um colangiocarcinoma pode começar em qualquer lugar ao longo das vias biliares. Estes tumores podem bloquear os ductos biliares.
Tanto homens como mulheres podem ser afetados. A maioria dos pacientes tem mais de 65 anos de idade.
Os riscos desta doença incluem:
  • Cistos no ducto biliar (colédoco)
  • Inflamação biliar crônica
  • História de infecção com um parasita
  • Colangite esclerosante primária
  • Colite ulcerativa
Colangiocarcinoma é raro, podendo ocorrer em aproximadamente 2 em cada 100.000 pessoas.

Sintomas de colangiocarcinoma

Os sintomas desta condição podem incluir:

Tratamento de colangiocarcinoma

O objetivo do tratamento será tratar o câncer e o bloqueio que causa. Quando possível, uma cirurgia para remover o tumor é o tratamento escolhido, podendo resultar em cura. Se o tumor for grande, o fígado completo pode necessitar de ser removido e irá ser necessário um transplante de fígado. Muitas vezes, o câncer já se espalhou localmente ou para outra área do corpo no momento em que é diagnosticado. Como resultado, uma cirurgia para curar o câncer não se torna possível.
A quimioterapia ou radiação podem ser administrados após uma cirurgia para diminuir o risco do câncer retornar. Mas a vantagem deste tratamento não é certa.
Terapia endoscópica com a colocação de stent pode aliviar temporariamente bloqueios nos canais biliares e aliviar a icterícia em pacientes, quando o tumor não pode ser removido. A terapia com laser combinada com medicamentos de quimioterapia ativados pela luz é uma outra opção de tratamento para aqueles que têm bloqueios do ducto biliar.
Você pode aliviar o estresse da doença ao aderir a um grupo de apoio com membros que compartilham experiências e problemas comuns.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL