domingo, 22 de outubro de 2017

Síndrome de Asherman

Síndrome de Asherman é a formação de tecido cicatricial no interior da cavidade uterina. O problema desenvolve-se mais frequentemente após uma cirurgia uterina.

Causas de síndrome de Asherman

Síndrome de Asherman é uma condição rara. Na maioria dos casos ocorre em mulheres que tiveram vários procedimentos de dilatação e curetagem (D & C).
Uma infecção pélvica grave que não esteja relacionada com uma cirurgia também pode levar a síndrome de Asherman.
Aderências intra-uterinas também podem formar-se após a infecção com tuberculose ou esquistossomose. Estas infecções são raras em muitos países. Complicações uterinas relacionados com estas infecções são ainda menos comuns.

Sintomas de síndrome de Asherman

As aderências podem causar amenorreia (ausência de menstruação), abortos repetidos e infertilidade.
No entanto, estes sintomas podem estar relacionadas com várias condições. Estes são mais propensos a indicar síndrome Asherman se ocorrerrm subitamente após um D & C ou outra cirurgia uterina.

Tratamento de síndrome de Asherman

O tratamento envolve uma cirurgia para cortar e remover as aderências ou tecido cicatricial. Isto pode ser feito mais frequentemente com uma histeroscopia, que utiliza instrumentos pequenos e uma câmara colocada no interior do útero, através do colo uterino.
Depois de tecido cicatricial ser removido, a cavidade uterina deverá ser mantida aberta enquanto ela cura, para prevenir que as aderência possam voltar. O seu médico pode colocar um pequeno “balão” dentro do útero por vários dias. Você também pode precisar de tomar estrogênio, enquanto ocorre a cura do revestimento do útero.
Você também pode precisar de tomar antibióticos se existir uma infecção.
Geralmente o estresse causado pela doença pode ser aliviado ao aderir a um grupo de apoio, onde os membros compartilham experiências e problemas em comum.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL