sexta-feira, 28 de julho de 2017

Síndrome de Sweet

Síndrome de Sweet é uma condição incomum que tem este nome em homenagem ao dermatologista Inglês, Dr. Robert Sweet que descreveu a síndrome pela primeira vez em 1964. Geralmente, a síndrome de Sweet apresenta-se com febre, aumento dos glóbulos brancos, erupções cutâneas vermelhas levantadas e neutrófilos (células de pus) com infiltração na parte superior da camada da pele. Febre e um aumento nos glóbulos brancos nem sempre estão presentes. Por vezes, a síndrome de Sweet é inicialmente confundida com uma infecção ou alergia a medicação.

Causas de síndrome de Sweet

A síndrome de Sweet é uma desordem de neutrófilos (células de pus) e embora não seja considerada hereditária, existe alguma evidência de uma ligação genética.
A maioria dos especialistas consideram a síndrome de Sweet uma "condição reativa", ou seja, uma condição que é impulsionada por uma condição subjacente em até 50% dos casos. Como o aspeto da síndrome de Sweet pode ocorrer antes da condição subjacente ser reconhecida, torna-se necessária uma monitorização contínua, especialmente se a erupção cutânea for grave, recorrente ou resistente ao tratamento, ou se forem detetadas anormalidades no sangue.

Sintomas da síndrome de Sweet

Os sintomas da síndrome podem incluir:
  • Inchaços vermelhos de cor púrpura, que aparecem em áreas levantadas na pele e muitas vezes, estes podem parecer bolhas ou podem formar verdadeiras bolhas ou pústulas, frequentemente redondas, em forma de anel ou em forma de arco. Estas são comuns na face, pescoço e membros superiores, com uma forma localizada sobre o dorso das mãos.
  • Febre, dor de cabeça, mal-estar e dores nas articulações com a erupção a ocorrer em 50% dos casos.
  • Úlceras na boca.
  • Dor nos olhos.
Outros órgãos (por exemplo, pulmões, rins, ossos, coração, músculo) raramente estão envolvidos.

Tratamento de síndrome de Sweet

A síndrome de Sweet é tratada através da tentativa de identificação e cura de qualquer doença subjacente ou associada. Em mais de 50% dos casos, nenhuma causa subjacente é encontrada e a condição é tratada com comprimidos de corticosteroides (prednisona ou prednisolona). Geralmente, uma rápida melhoria é esperada e a dosagem de corticosteroides é gradualmente reduzida ao longo de várias semanas ou meses. Corticosteroides podem ser aplicados como um creme ou injetados em áreas de síndrome de Sweet, em casos localizados leves.
Os tratamentos alternativos podem ser utilizados nos casos em que os corticosteroides não se tornam eficazes ou seguros.
Pessoas com síndrome de Sweet têm respondido bem a outras drogas que afetam a função dos neutrófilos, incluindo agentes "anti-infecciosos" (por exemplo dapsona, clofazimina, metronidazole ou doxiciclina); retinóides (por exemplo, a isotretinoína); pentoxifilina e talidomida; imunossupressores e agentes citotóxicos (por exemplo, metotrexato, ciclosporina, clorambucil) e agentes biológicos.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL