terça-feira, 16 de maio de 2017

Febre glandular

Quase qualquer pessoa, com qualquer idade, pode pegar febre glandular, no entanto, esta ocorre mais comumente em meados e final da adolescência e início da idade adulta. Estudos sugerem que a infecção ocorre um pouco mais frequentemente em homens do que em mulheres. Febre glandular (também conhecida como a mononucleose infecciosa) causa sintomas semelhantes aos de uma gripe de gravidade variável, que pode persistir por várias semanas ou mais. A condição é causada pelo vírus de Epstein-Barr (EBV), o qual é um membro da família do vírus do herpes. A maioria das pessoas vai ser exposta ao vírus de Epstein-Barr, e desenvolve algum grau de imunidade ao mesmo, no momento em que atinge a idade adulta.


Causas de febre glandular

A febre glandular é causada pelo vírus de Epstein-Barr (EBV). Este vírus é encontrado na saliva de pessoas infetadas e pode ser transmitido através de:
  • Beijo – A febre glandular é muitas vezes referida como a "doença do beijo"
  • Exposição à tosse e espirros
  • Compartilhamento de utensílios para comer e beber, como copos e talheres
  • EBV pode ser encontrado na saliva de alguém que teve febre glandular durante vários meses após os sintomas passarem, e algumas pessoas podem continuar a ter o vírus na sua saliva durante anos.
Se você tiver EBV, torna-se importante tomar medidas para evitar infetar outras pessoas enquanto você permanece doente, pelo que, não beije outras pessoas, mas não existe necessidade nenhuma de evitar qualquer contato com os outros já que as chances de transmissão da infecção são geralmente baixas.


Sinais e sintomas de febre glandular

O período de incubação da febre glandular é relativamente demorado. Os primeiros sinais e sintomas da infecção podem não aparecer até cerca de quatro a oito semanas após a exposição ao vírus. 
Os sintomas são geralmente piores cerca de uma semana depois de eles aparecerem pela primeira vez, e a maioria dos sintomas desaparece dentro de três semanas. No entanto, a gravidade e duração dos sintomas podem variar consideravelmente entre indivíduos. Os sintomas são geralmente menos graves em crianças pequenas, que podem não os ter ou podem ter sintomas a uma síndrome gripal leve. Quanto mais velha uma pessoa for quando desenvolve febre glandular, maior será a susceptibilidade dos sintomas serem mais graves. É possível que os sintomas persistam durante várias semanas e até vários meses.
 Os sintomas iniciais geralmente incluem:
Estes sintomas são geralmente seguidos 2 a 3 dias mais tarde por:
  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Garganta avermelhada, com aumento das amígdalas
  • Gânglios inchados no pescoço, axilas e / ou virilha
O baço é aumentado em cerca de 50 % dos casos e o fígado é aumentado em cerca de 20 % dos casos. Numa pequena percentagem dos casos pode ocorrer uma erupção vermelha. Icterícia ocorre raramente e, quando isso acontece, geralmente, dura apenas 1 a 2 dias.

Diagnóstico de febre glandular

O médico irá formular uma história completa dos sintomas e irá realizar um exame físico. Estes irão incluir uma avaliação da existência de:
  • Febre
  • Vermelhidão na garganta e inchaço das amígdalas
  • Alargamento dos gânglios linfáticos
  • Aumento do baço
  • Erupção cutânea (especialmente no peito)
O médico também pode recorrer a exames de sangue para verificar a presença do vírus Epstein-Barr. Um exame de sangue realizado na fase inicial da febre glandular pode retornar um resultado negativo. Por esta razão, o médico pode recomendar outras análises de sangue alguns dias depois.

Tratamento para febre glandular

Como a febre glandular é causada por um vírus, não existem tratamentos e antibióticos específicos que tragam benefício. Ela é considerada como uma infecção auto-limitante, que resolve com o tempo. Muito descanso e ingestão de bastantes líquidos torna-se muito importante durante a recuperação. Geralmente, dor e desconforto podem ser tratados adequadamente com analgésicos, como paracetamol. Nos casos mais graves, medicação esteróide (por exemplo, prednisona) pode ser prescrita para reduzir a dor e inchaço dos gânglios linfáticos. Ocasionalmente, dor de garganta com febre glandular pode ser associada com inflamação de garganta, causada por bactérias estreptocócicas. Nestes casos, antibióticos podem ser prescritos, a fim de combater as bactérias. Um aumento do baço pode ocorrer facilmente. Por esta razão, recomenda-se que a atividade e exercício extenuante, bem como esportes de contato, sejam evitados por pelo menos quatro semanas após o aparecimento dos primeiros sintomas, ou até que o baço volte ao tamanho normal. Como a febre glandular pode promover um fígado alargado, é importante evitar o álcool enquanto a condição se encontra presente.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL