sexta-feira, 19 de maio de 2017

Doença de Krabbe

Afetando o sistema nervoso central, a doença de Krabbe é uma desordem hereditária que na maior parte dos casos se torna fatal. Tônus muscular e movimento são afetados por esta doença. Esta doença pode ter alguns efeitos devastadores, incluindo perda de visão e audição. Mesmo que esta doença possa ocorrer em adultos e crianças mais velhas, geralmente ocorre em bebés antes dos 6 meses de idade.
O principal objetivo do tratamento para esta doença é aliviar os sintomas. Não existe cura para a doença de Krabbe. Tem havido algum sucesso no uso de transplantes de células-tronco para tratar a doença de Krabbe antes de se iniciarem os sintomas.

Causas de doença de Krabbe

A doença de Krabbe ocorre quando uma pessoa herda duas cópias de um gene alterado (mutado), uma cópia de cada pai.
Um gene fornece uma espécie de planta para a produção de proteínas. Se existir um erro nesse modelo, então o produto de proteínas pode não funcionar corretamente. No caso da doença de Krabbe, duas cópias mutadas de um determinado gene resulta em pouca ou nenhuma produção de uma enzima chamada galactocerebrosidase.

Enzimas, como a galactocerebrosidase, são responsáveis por quebrar certas substâncias no centro de reciclagem de uma célula (lisossoma). Na doença de Krabbe, a condição resulta na acumulação de certos tipos de gorduras chamadas galactolípidos.

Danos às células nervosas

Normalmente, os galactolípidos existem em células que produzem e mantêm o revestimento protetor das células nervosas (mielina). No entanto, uma abundância de galactolípidos tem um efeito tóxico. Alguns galactolípidos acionam células formadoras de mielina para a auto-destruição.
Outros galactolípidos são absorvidos pelas células no sistema nervoso chamadas microglia. Normalmente, o processo de limpeza excessiva transforma estas células em células anormais e tóxicas chamadas células globóides, que promovem a inflamação que danifica a mielina.
A subsequente perda de mielina (desmielinização) impede que as células nervosas enviem e recebam mensagens.

Sintomas de doença de Krabbe

Na maioria dos casos, os sinais e sintomas da doença de Krabbe aparecem durante os primeiros meses de vida, começam gradualmente e pioram progressivamente.
Em lactentes, os sinais e sintomas comuns no início do curso da doença incluem:
  • Dificuldades de alimentação
  • Choro inexplicável
  • Irritabilidade extrema
  • Febre sem sinal de infecção
  • Declinio no seu estado de alerta
  • Atrasos nos marcos típicos de desenvolvimento
  • Espasmos musculares
  • Perda de controle da cabeça
  • Vômitos frequentes
À medida que a doença progride, os sinais e sintomas tornam-se mais graves e podem incluir:
  • Convulsões
  • Perda de habilidades de desenvolvimento
  • Perda progressiva da audição e da visão
  • Músculos contraídos rígidos
  • Postura fixa
  • Perda progressiva da capacidade de engolir e respirar
Em crianças mais velhas e adultos, quando a doença de Krabbe se desenvolve mais tarde na infância ou na idade adulta, os sinais e sintomas podem variar muito e podem incluir:
  • Perda progressiva da visão
  • Dificuldade para coordenar movimentos (ataxia)
  • Declínio na capacidade de pensamento
  • Perda de destreza manual
  • Fraqueza muscular
Como regra geral, quanto menor a idade em que ocorre a doença de Krabbe, mais rápido a doença progride e o mais provável é resultar em morte.

Algumas pessoas diagnosticadas durante a adolescência ou na idade adulta podem ter sintomas menos graves, sendo a fraqueza muscular uma condição primária. Estas pessoas podem não ter nenhum comprometimento das suas habilidades de pensamento.

Diagnóstico de doença de Krabbe

O seu médico irá realizar um exame físico geral e avaliar os sinais e sintomas que podem indicar uma doença neurológica. Um diagnóstico de doença de Krabbe baseia-se numa série de testes, que podem incluir:
  • Testes laboratoriais. Uma pequena amostra de sangue e pele (biópsia) será enviada para um laboratório, para avaliar o nível de atividade da enzima GALC. Nenhum nível de atividade GALC pode indicar doença de Krabbe. Embora os resultados possam ajudar o médico a fazer um diagnóstico, eles não fornecem evidência de quão rapidamente a doença pode progredir. Por exemplo, uma actividade muito baixa GALC nem sempre significa que a condição vai avançar rapidamente.
  • Os exames de imagem. O seu médico pode pedir exames de imagens que podem detetar a perda de mielina (desmielinização) nas regiões afetadas do cérebro. Estas podem incluir a ressonância magnética (MRI), uma tecnologia que usa ondas de rádio e um campo magnético para produzir imagens detalhadas em 3-D; a tomografia computadorizada (TC), uma tecnologia de raios-X especializada que produz imagens 2-D e estudo da condução nervosa. Um estudo da condução nervosa avalia a taxa na qual os nervos conduzem um sinal (essencialmente quão rapidamente eles podem enviar uma mensagem). Um dispositivo especial mede o tempo que um impulso elétrico leva para viajar de um ponto sobre o corpo para outro. Quando a mielina é prejudicada, a condução nervosa é mais lenta.
  • Os testes genéticos. Um teste genético pode ser realizado com uma amostra de sangue para confirmar um diagnóstico. Existem formas variantes do gene mutado, que resultam em doença de Krabbe. O tipo específico de mutação pode proporcionar algumas pistas sobre o curso esperado da doença.
  • Triagem neonatal. Nalguns estados, um teste de triagem para a doença de Krabbe é parte de um conjunto padrão de contribuições para recém-nascidos. A atividade da enzima GALC é medida inicialmente num teste de triagem. Se a atividade da enzima for baixa, testes GALC de seguimento e testes genéticos serão realizados. O uso de testes de triagem neonatal é relativamente novo. Os pesquisadores ainda estão a trabalhar para entender a melhor forma de usar estes testes, o quão bem os testes levam a um diagnóstico preciso e quão bem eles podem prever o curso da doença.


Tratamento para doença de Krabbe

Para as crianças que já desenvolveram sintomas de doença de Krabbe, não existe atualmente qualquer tratamento que possa alterar o curso da doença. O tratamento, portanto, centra-se na gestão de sintomas e em fornecer cuidados de suporte. As intervenções podem incluir:
  • Medicamentos anticonvulsivantes para gerir crises
  • Drogas para aliviar a espasticidade muscular e irritabilidade
  • Fisioterapia para minimizar a deterioração do tônus muscular
  • O suporte nutricional, tal como a utilização de um tubo para fornecer fluidos e nutrientes diretamente no estômago (tubo gástrico)
Intervenções para crianças mais velhas ou adultos com formas menos graves da doença podem incluir:
  • Fisioterapia para minimizar a deterioração do tônus muscular
  • Terapia ocupacional para alcançar o máximo de independência possível com as atividades diárias
  • Transplante de células estaminais
As células estaminais hematopoiéticas são as células especializadas que podem evoluir para todos os diferentes tipos de células do sangue no corpo. Estas células estaminais também são a fonte de células da microglia, que se alimentam de detritos especializados que se estabelecem no sistema nervoso. Na doença de Krabbe, microglia é transformada em células globóides tóxicas.
No transplante de células estaminais, células-tronco do doador são entregues na corrente sanguínea do receptor através de um tubo denominado um cateter venoso central. As células-tronco de doadores ajudam o corpo a produzir microglia saudável que pode preencher o sistema nervoso e entregar enzimas GALC. Este tratamento pode ajudar a restaurar um certo grau de produção de mielina e a sua manutenção.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL