segunda-feira, 22 de maio de 2017

Câncer de mama inflamatório

Câncer de mama inflamatório é um tipo raro de câncer de rápido desenvolvimento, onde a mama afetada torna-se vermelha, inchada e sensível. Quando os vasos linfáticos na mama são bloqueados por células de câncer, ocorre o câncer da mama inflamatório, que  motiva o aspeto característico vermelho e inchado da mama.
Este tipo de câncer propaga-se a partir do seu ponto de origem para o tecido adjacente e, potencialmente, para os gânglios linfáticos.
No inicio pode-se pensar que é apenas uma infecção da mama, já que a infecção pode ser confundida com o câncer de mama inflamatório. No caso de perceber alterações na pele na mama, deve procurar atendimento médico imediatamente, a fim de ajudar a distinguir uma infecção da mama de outras doenças da mama, como é o caso desta condição.

Causas de câncer de mama inflamatório

Não está claro o que causa câncer de mama inflamatório.
Os médicos sabem que o câncer da mama inflamatório começa com uma célula anormal numa das condutas da mama. Mutações no ADN da célula anormal instruí-a a crescer e a dividir-se rapidamente. As células anormais que se acumulam infiltram-se e obstroem os vasos linfáticos na pele do peito. O bloqueio nos vasos linfáticos causa pele vermelha, inchada e com covinhas, um sinal clássico de câncer de mama inflamatório.

Sintomas de câncer de mama inflamatório

Os sinais e sintomas do câncer de mama inflamatório incluem:
  • O aparecimento de mudança rápida numa mama, ao longo de várias semanas
  • Aumento visivel de espessura e peso de um peito
  • Descoloração, dando ao peito uma coloração vermelha, roxa, rosa ou aparência ferida
  • Calor incomum da mama afetada
  • Ondulações ou nervuras na pele da mama afetada, semelhante a uma casca de laranja
  • Sensibilidade ou dor
  • Achatamento do mamilo ou mamilo que se volta para dentro
Comumente, câncer de mama inflamatório não forma uma massa, assim como ocorre com outras formas de câncer de mama.


Diagnóstico de câncer de mama inflamatório

Testes e procedimentos utilizados para diagnosticar o câncer de mama inflamatório incluem:
  • Um exame físico. O médico examina o seu peito para procurar vermelhidão e outros sinais de câncer.
  • Os exames de imagem. O seu médico pode recomendar uma radiografia ao peito (mamografia) ou uma ecografia mamária para procurar sinais de câncer no seu peito, como espessamento da pele. Os exames de imagem adicionais, como a ressonância magnética, podem ser recomendados em determinadas situações.
  • A remoção de uma amostra de tecido para teste. A biópsia é um procedimento para remover uma pequena amostra de tecido da mama suspeita para um teste. O tecido é analisado num laboratório para procurar sinais de câncer. Uma biópsia da pele também pode ser útil, e isto pode ser feito ao mesmo tempo que uma biópsia de mama.

Tratamento para câncer de mama inflamatório

Geralmente, o tratamento para o câncer começa com a quimioterapia, seguida de cirurgia e terapia de radiação. Outros tratamentos podem ser usados se os testes das suas células cancerosas revelarem que você pode beneficiar de tratamentos adicionais.

Quimioterapia

A quimioterapia utiliza produtos químicos para matar as células cancerosas. Você recebe drogas de quimioterapia através de uma veia (via intravenosa), em forma de pílula ou ambos.
Geralmente, a quimioterapia é usada antes da cirurgia para o câncer. Este tratamento pré-cirúrgico tem o objetivo de reduzir o câncer antes da operação e aumentar a chance de que a cirurgia seja bem sucedida. A quimioterapia também pode ser utilizada após a cirurgia.

Cirurgia para câncer de mama inflamatório

Após a quimioterapia, as mulheres com esta condição, geralmente, são sujeitas a uma operação para remover a mama afetada (mastectomia). A maioria das mulheres com câncer são submetidas a uma mastectomia radical modificada, que envolve a remoção de toda a mama e vários nódulos linfáticos próximos. Os gânglios linfáticos são testados para detetar sinais de câncer.

Terapia de radiação

A radioterapia usa raios de energia de alta potência, como raios-X, para matar as células cancerosas. Durante a radioterapia, você deita-se sobre uma mesa, enquanto uma grande máquina se move em torno de si, dirigindo os feixes de energia para o seu câncer.
A radioterapia pode ser usada após a quimioterapia e cirurgia para matar quaisquer células cancerosas que possam permanecer em torno do seu peito e debaixo do braço.

A terapia hormonal

Se o câncer for sensível aos hormônios, o médico pode recomendar terapia hormonal.
Os tratamentos de terapia hormonal podem incluir:
  • Um medicamento que bloqueia os hormônios para que não se anexem a células cancerosas. O tamoxifeno é um tipo de medicamento chamado de modulador do receptor de estrogénio seletivo. Este atua ao bloquear qualquer estrogénio presente no corpo, retardando o crescimento de tumores e matando células tumorais. O tamoxifeno pode ser utilizado tanto em mulheres pré-monopáusicas ou pós-menopáusicas.
  • Os medicamentos que impedem o organismo de produzir estrogênio após a menopausa. Chamados de inibidores de aromatase, estas drogas bloqueiam a acção de uma enzima que converte androgénios no corpo em estrogénio. Estes medicamentos apenas são eficazes em mulheres pós-menopáusicas. Os inibidores de aromatase incluem o anastrozol (Arimidex), letrozol (Femara) e exemestane (Aromasin).
  • Terapias direcionadas para matar o câncer, centrando-se sobre as vulnerabilidades específicas das células cancerosas. Para as células do câncer da mama inflamatório com uma determinada mutação genética, os medicamentos trastuzumab (Herceptin) e pertuzumab (Perjeta) podem ser opções de tratamento

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL