quarta-feira, 24 de maio de 2017

Câncer de esôfago

O esôfago é um tubo longo e oco situado entre a garganta e o estômago, que transporta o alimento ingerido para o estômago, onde é digerido. O câncer de esôfago é o câncer que ocorre no esôfago, e geralmente começa nas células que revestem o interior do esôfago. Câncer de esôfago pode ocorrer em qualquer lugar ao longo deste, sendo bastante comum na Ásia e em partes da África.

Causas de câncer de esôfago

Não está claro o que causa câncer de esôfago.
O câncer de esôfago ocorre quando as células no seu esôfago desenvolvem erros (mutações) no seu ADN. Os erros permitem que as células cresçam e se dividam sem controle. As células anormais que se acumulam formam um tumor no esófago que pode crescer para invadir estruturas vizinhas, podemdo espalhar-se para outras partes do corpo.

Tipos de câncer de esôfago

O câncer de esôfago é classificado de acordo com o tipo de células que estão envolvidas. O tipo de câncer de esôfago determina as opções de tratamento. Tipos de câncer de esôfago incluem:
  • Adenocarcinoma. Adenocarcinoma começa nas células das glândulas secretoras de muco do esófago. Adenocarcinoma ocorre mais frequentemente na porção inferior do esófago. O adenocarcinoma é a forma mais comum de câncer de esôfago em muitos países e afeta principalmente homens brancos.
  • Carcinoma de células escamosas. As células escamosas são células planas e finas que revestem a superfície do esôfago. O carcinoma de células escamosas ocorre mais frequentemente no meio do esófago. O carcinoma espinocelular é o câncer de esôfago mais prevalente em todo o mundo.
  • Outros tipos raros. Formas raras de câncer de esôfago incluem coriocarcinoma, linfoma, melanoma, sarcoma e câncer de pequenas células.

Sintomas de câncer de esôfago

Sinais e sintomas de câncer de esôfago incluem:
Normalmente,  no inicio do câncer de esôfago não ocorrem sinais ou sintomas.

Diagnóstico de câncer de esôfago

Testes e procedimentos utilizados para diagnosticar o câncer de esôfago incluem:
  • Usar um escopo para examinar o esôfago (endoscopia). Durante a endoscopia, o médico passa um tubo oco equipado com uma lente (endoscópio) pela sua garganta para o seu esôfago. Usando o endoscópio, o médico examina o seu esôfago, olhando para o câncer ou áreas de irritação.
  • Recolha de uma amostra de tecido para um ensaio (biópsia). O seu médico pode usar um escopo especial que passa pela sua garganta para o seu esôfago (endoscópio) para recolher uma amostra de tecido suspeito (biópsia). A amostra de tecido é enviada para um laboratório para procurar células cancerosas.


Estadiamento do câncer de esôfago

Quando você é diagnosticado com câncer de esôfago, o médico trabalha para determinar a extensão (estágio) do câncer. O stágio do câncer ajuda a determinar as opções de tratamento.
Testes utilizados para procurar por câncer de esôfago incluem tomografia computadorizada (TC) e tomografia por emissão de positrões (PET).

Os estágios de câncer de esôfago são:
  • Fase I. O câncer ocorre nas camadas superficiais de células que revestem o esôfago.
  • Fase II. O câncer invadiu camadas mais profundas do forro do esôfago e pode espalhar-se para os nódulos linfáticos próximos.
  • Fase III. O câncer espalhou-se para as camadas mais profundas da parede do esôfago e tecidos próximos ou linfonodos.
  • Fase IV. O câncer espalhou-se para outras partes do seu corpo.

Tratamento para câncer de esôfago

Os tratamentos que você receberá para o câncer de esôfago são baseados no tipo de células envolvidas no câncer, no estágio do câncer, na sua saúde geral e nas suas preferências para o tratamento.

Cirurgia para câncer de esôfago

A cirurgia para remover o câncer pode ser usada por si só ou em combinação com outros tratamentos. Operações usadas para tratar câncer de esôfago incluem:
  • A cirurgia para remover tumores muito pequenos. Se o câncer for muito pequeno, confinado às camadas superficiais do esôfago e não se espalhou, o cirurgião pode recomendar a remoção do câncer e uma margem de tecido saudável que o rodeia. A cirurgia para muitos cânceres em estágio inicial pode ser feita usando um endoscópio passado pela sua garganta, para o seu esôfago.
  • A cirurgia para remover uma porção do esófago (esofagectomia). Durante a esofagectomia, o cirurgião remove a parte do seu esôfago que contém o tumor e os linfonodos próximos e o esôfago restante é reconectado ao seu estômago. Geralmente, isto é feito puxando o estômago até encontrar o esófago restante.
  • A cirurgia para remover parte do seu esôfago e a porção superior do estômago (esofagogastrectomia). Durante uma esofagogastrectomia, o cirurgião remove parte de seu esôfago, os nódulos linfáticos próximos e a parte superior do estômago. A restante parte do seu estômago é então puxada para cima e recolocada no seu esôfago. Se necessário, parte do cólon será usada para ajudar a juntar os dois.
A cirurgia de câncer de esôfago carrega um risco de complicações graves, como infecção, hemorragia e vazamento da área onde o esôfago restante é recolocado.
A cirurgia para remover o esôfago pode ser realizada como um procedimento aberto usando grandes incisões, ou com ferramentas cirúrgicas especiais inseridas através de várias pequenas incisões na pele (por via laparoscópica). A forma como a cirurgia será realizada depende da situação, experiência e preferência do seu cirurgião.

Quimioterapia

A quimioterapia é o tratamento medicamentoso que usa produtos químicos para matar as células cancerosas. As drogas da quimioterapia são normalmente utilizadas antes (neoadjuvante) ou depois (adjuvante) da cirurgia em pessoas com câncer de esôfago. A quimioterapia também pode ser combinada com a terapia de radiação. Em pessoas com câncer avançado que se espalhou para além do esófago, a quimioterapia pode ser usada por si só para ajudar a aliviar os sinais e sintomas causados pelo câncer.
Os efeitos colaterais da quimioterapia dependem das drogas de quimioterapia que você recebe.

Terapia de radiação

A radioterapia utiliza raios de alta potência de energia para matar células cancerosas. A radiação pode vir de uma máquina fora do seu corpo (radiação externa). Mas a radioterapia pode ser colocada dentro do seu corpo perto do câncer (braquiterapia).
A terapia de radiação é mais frequentemente combinada com quimioterapia em pessoas com câncer de esôfago e pode ser usada antes ou após a cirurgia. A radioterapia também é usada para aliviar complicações de câncer de esôfago avançado, tais como quando um tumor cresce de modo suficientemente grande para parar de alimentar a passagem para o seu estômago.
Os efeitos colaterais da radiação para o esôfago incluem reações tipo queimadura solar na pele, dor ou dificuldade para engolir e danos acidentais nos órgãos próximos, como pulmões e o coração.

Quimioterapia e radioterapia combinadas

A combinação de quimioterapia e terapia de radiação podem aumentar a eficácia de cada tratamento. Quimioterapia combinada ou radiação podem ser o único tratamento que você recebe, mas a terapia combinada pode ser usada antes da cirurgia. Mas a combinação de quimioterapia e radioterapia aumenta a probabilidade e gravidade dos efeitos colaterais.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL