segunda-feira, 17 de abril de 2017

Tratamento para diabetes

Este artigo aborda apenas a forma de tratamento de diabetes. Se quiser conhecer as causas, sintomas, diagnóstico, fatores de risco, complicações e modo de prevenção de diabetes, consulte o artigo Diabetes.

Dependendo do tipo de diabetes que você tem, monitoramento de açúcar no sangue, insulina e medicamentos orais podem desempenhar um papel importante no seu tratamento. Comer uma dieta saudável, manter um peso saudável e participar em atividade regular também são fatores importantes no controle de diabetes.

Tratamento para todos os tipos de diabetes

Uma parte importante da gestão do diabetes (bem como da sua saúde geral) é manter um peso saudável através de uma dieta saudável e exercício:
  • Alimentação saudável. Ao contrário da percepção popular, não existe uma dieta específica para diabetes. Você precisará de centrar a sua dieta em mais frutas, legumes e cereais integrais (alimentos que são ricos em fibra e têm baixo teor de gordura e calorias) e na redução de produtos de origem animal, carboidratos refinados e doces. Na verdade, este é o melhor plano de alimentação para toda a família. Alimentos açucarados podem ser consumidos de vez em quando, contanto que eles sejam contados como parte do seu plano de refeição. No entanto, entender o que e quanto comer pode ser um desafio. Um nutricionista pode ajudá-lo a criar um plano de refeições que se encaixe nas suas metas de saúde, preferências alimentares e estilo de vida. Provavelmente, isto incluirá a contagem de carboidratos, especialmente se você tiver diabetes tipo 1.
  • Atividade física. Todas as pessoas precisam de exercício aeróbio regular, e as pessoas que têm diabetes não são excepção. Exercício reduz o nível de açúcar no sangue, movendo o açúcar nas suas células, onde é usado para energia. O exercício também aumenta a sua sensibilidade à insulina, o que significa que o seu corpo precisa de menos insulina para transportar o açúcar para as suas células. Obtenha o consentimento do seu médico para exercitar-se. Em seguida, escolha as atividades de que você gosta, como andar, nadar ou andar de bicicleta. O que se torna mais importante é que a atividade física possa fazer parte da sua rotina diária. Tente implementar pelo menos 30 minutos ou mais de exercícios aeróbicos na maioria dos dias da semana. Se você não estiver ativo durante algum tempo, comece devagar e aumente a intensidade gradualmente.

Tratamentos para diabetes tipo 1 e tipo 2

O tratamento para o diabetes tipo 1 envolve injecções de insulina ou o uso de uma bomba de insulina, chekagens frequentes de açúcar no sangue e contagem de carboidratos. O tratamento do diabetes tipo 2 envolve principalmente o monitoramento do açúcar no sangue, juntamente com medicamentos para diabetes, insulina ou ambos:
  • Monitorar o açúcar no sangue. Dependendo do seu plano de tratamento, você pode verificar e registar o seu açúcar no sangue com a frequência de várias vezes por semana até quatro a oito vezes por dia. Monitoramento cuidadoso é a única maneira de se certificar de que o seu nível de açúcar no sangue permanece dentro do seu intervalo alvo. As pessoas que recebem terapia com insulina também podem optar por monitorar os seus níveis de açúcar no sangue com um monitor contínuo de glicose. Embora esta tecnologia ainda não possa substituir o medidor de glicose, ela pode fornecer informações importantes sobre as tendências dos níveis de açúcar no sangue. Mesmo com uma gestão cuidadosa, os níveis de açúcar no sangue podem, por vezes, mudar imprevisivelmente. Com a ajuda da sua equipe de tratamento de diabetes, você aprenderá a forma de como o seu nível de açúcar no sangue muda em resposta a alimentos, atividade física, medicamentos, doenças, álcool, estresse (para mulheres, flutuações nos níveis hormonais). Além de monitoramento diário de açúcar no sangue, provavelmente, o seu médico recomendará testes regulares de A1C para medir o nível médio de açúcar no sangue durante dois a três meses. Em comparação com repetidos testes diários de açúcar no sangue, os testes A1C indicam melhor o quão bem o seu plano de tratamento de diabetes está a funcionar em geral. Um nível elevado de A1C pode indicar a necessidade de uma alteração no seu regime de insulina ou plano de refeição. O seu objetivo de A1C pode variar dependendo da sua idade e de vários outros fatores. No entanto, para a maioria das pessoas com diabetes, recomenda-se um A1C de menos de 7 por cento. Pergunte ao seu médico qual é o seu alvo.
  • Insulina. Pessoas com diabetes tipo 1 precisam de terapia com insulina para sobreviver. Muitas pessoas com diabetes tipo 2 ou diabetes gestacional também precisam de terapia com insulina. Muitos tipos de insulina estão disponíveis, incluindo insulina de ação rápida, insulina de ação prolongada e opções intermediárias.  Dependendo das suas necessidades, o seu médico pode prescrever uma combinação de tipos de insulina para usar durante o dia e a noite. A insulina não pode ser tomada por via oral para baixar o açúcar no sangue, porque as enzimas do estômago interferem com a ação da insulina. Muitas vezes, a insulina é injetada usando uma agulha fina e seringa ou uma caneta de insulina (um dispositivo que se parece com uma grande caneta de tinta). Uma bomba de insulina também pode ser uma opção. A bomba é um dispositivo do tamanho de um telefone celular usada no exterior do seu corpo. Um tubo conecta o reservatório de insulina a um cateter que é inserido sob a pele do seu abdômen. Você programa uma bomba de insulina para dispensar quantidades específicas de insulina e esta pode ser ajustada para administrar mais ou menos insulina, dependendo das refeições, nível de atividade e nível de açúcar no sangue.
  • Medicamentos orais ou outros. Por vezes, outros medicamentos orais ou injetados também são prescritos. Alguns medicamentos para diabetes estimulam o pâncreas a produzir e liberar mais insulina. Outros inibem a produção e liberação de glicose do fígado, o que significa que você precisa de menos insulina para transportar açúcar para as suas células. Ainda outros, bloqueiam a ação do estômago ou enzimas intestinais que quebram carboidratos ou podem tornar os seus tecidos mais sensíveis à insulina. Metformina (Glucophage, Glumetza, outros) é geralmente o primeiro medicamento prescrito para diabetes tipo 2.
  • Transplante. Nalgumas pessoas que têm diabetes tipo 1, um transplante de pâncreas pode ser uma opção. Os transplantes também estão a ser estudados. Com um transplante de pâncreas bem-sucedido, você não precisaria mais de terapia com insulina. Mas os transplantes nem sempre são bem sucedidos (e estes procedimentos representam sérios riscos). Você precisa de uma vida inteira de drogas imunossupressoras para evitar a rejeição de órgãos. Estes medicamentos podem ter efeitos secundários graves, incluindo um elevado risco de infecção, lesão de órgãos e câncer. Porque os efeitos colaterais podem ser mais perigosos do que o diabetes, os transplantes são geralmente reservados para pessoas cujo diabetes não pode ser controlado ou para aquelas que também precisam de um transplante de rim.
  • Cirurgia bariátrica. Embora não seja especificamente considerada um tratamento para diabetes tipo 2, as pessoas com diabetes tipo 2 que também têm um índice de massa corporal superior a 35 podem beneficiar deste tipo de cirurgia. As pessoas que passaram por bypass gástrico têm visto melhorias significativas nos seus níveis de açúcar no sangue. No entanto, os riscos a longo prazo associados a este procedimento e os benefícios para o diabetes tipo 2 ainda não são conhecidos.

Tratamento para pré-diabetes

Se você tiver pré-diabetes, escolhas de estilo de vida saudável podem ajudá-lo a trazer o seu nível de açúcar no sangue de volta ao normal ou, pelo menos, mantê-lo em níveis observados no diabetes tipo 2. Manter um peso saudável através de exercícios e alimentação saudável pode ajudar. Exercitar-se pelo menos 150 minutos por semana e perder 5 a 10 por cento do seu peso corporal pode prevenir ou atrasar diabetes tipo 2.
Por vezes, os medicamentos, como metformina (Glucophage, Glumetza e outros, também são uma opção se você estiver em alto risco de diabetes, incluindo quando o seu pré-diabetes está a piorar ou se você tiver doença cardiovascular, doença hepática gordurosa ou síndrome do ovário policístico.
Noutros casos, medicamentos para controlar o colesterol (estatinas, em particular) e medicamentos para pressão alta são necessários. O seu médico pode prescrever uma terapia com aspirina de baixa dose para ajudar a prevenir doenças cardiovasculares, se você estiver em alto risco.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL