sexta-feira, 14 de abril de 2017

Tratamento de diabetes tipo 2

Este artigo aborda apenas a forma de tratamento para diabetes tipo 2. Se quiser conhecer as causas, sintomas, fatores de risco, complicações, modo de diagnóstico e modo de prevenção de diabetes tipo 2, consulte o artigo Diabetes tipo 2.

Algumas medidas irão ajudar a manter o seu nível de açúcar no sangue mais perto do normal, o que pode atrasar ou prevenir potenciais complicações.

Alimentação saudável

Ao contrário da percepção popular, não existe nenhuma dieta específica para diabetes. No entanto, é importante centralizar a sua dieta em alimentos ricos em fibras e com baixo teor de gordura, como:
  • Frutas
  • Vegetais
  • Cereais integrais
Você também vai precisar de comer menos produtos de origem animal, carboidratos refinados e doces.
Alimentos de índice glicêmico baixo também podem ser úteis. O índice glicêmico é uma medida de quão rápido um alimento provoca um aumento no seu nível de açúcar no sangue. Alimentos com alto índice glicêmico elevam o açúcar no sangue rapidamente. Alimentos de índice glicêmico baixo podem ajudar a conseguir manter o açúcar no sangue mais estável. Normalmente, os alimentos com baixo índice glicêmico são alimentos que têm mais fibras.
Um nutricionista pode ajudá-lo a montar um plano de refeição que se adapte às suas metas de saúde, preferências alimentares e estilo de vida. Ele também pode ensiná-lo a controlar a sua ingestão de carboidratos e informá-lo sobre a quantidade de carboidratos de que você precisa nas suas refeições e lanches, para manter os seus níveis de açúcar no sangue mais estáveis.


Atividade física

Todas as pessoas precisam de promover exercícios aeróbicos regulares, e as pessoas que têm diabetes tipo 2 não são excepção. Obtenha a aprovação do seu médico antes de iniciar um programa de exercícios. Em seguida, escolha atividades de que você gosta, como caminhadas, natação e ciclismo. O que se torna mais importante é fazer com que a atividade física se torne uma rotina diária.
Aponte para pelo menos 30 minutos de exercício aeróbico, em cinco dias da semana. Alongamento e exercícios de treinamento de força também são importantes. Se você não se tiver mantido ativo por algum tempo, comece devagar e aumente a intensidade gradualmente.
Muitas vezes, uma combinação de exercícios (exercícios aeróbicos, como caminhar ou dançar na maioria dos dias, combinado com treinamento de resistência, tais como levantamento de peso ou ioga duas vezes por semana) ajuda a controlar de modo mais eficaz o açúcar no sangue.
Lembre-se que a atividade física reduz o açúcar no sangue. Verifique o seu nível de açúcar no sangue antes de qualquer atividade. Você pode precisar de comer um lanche antes do exercício para ajudar a evitar açúcar no sangue, se você tomar medicamentos para diabetes que baixam o açúcar no sangue.


Monitorar o açúcar no sangue

Dependendo do seu plano de tratamento, pode ser necessário controlar e registar o seu nível de açúcar no sangue várias vezes ao longo do dia. Pergunte ao seu médico quantas vezes ele quer que você verifique o seu açúcar no sangue. A monitorização cuidadosa é a única maneira de ter a certeza de que o seu nível de açúcar no sangue permanece dentro da sua faixa-alvo.
Por vezes, os níveis de açúcar no sangue podem ser imprevisíveis. Com a ajuda da sua equipe de tratamento, você vai aprender como é que ocorrem as mudanças de nível de açúcar no sangue, em resposta à alimentação, exercício, álcool, doenças e medicamentos.

Medicamentos para diabetes e terapia com insulina

Algumas pessoas que têm diabetes tipo 2 podem alcançar os níveis pretendidos de açúcar no sangue através de dieta e exercício, mas muitas também precisam de medicamentos para diabetes ou terapia com insulina. A decisão sobre quais os medicamentos que se tornam melhores depende de muitos fatores, incluindo o seu nível de açúcar no sangue e outros problemas de saúde que você tenha. O seu médico pode até combinar drogas de diferentes classes para ajudar a controlar o açúcar no sangue de várias maneiras diferentes.
Exemplos de possíveis tratamentos para a diabetes tipo 2 incluem:
  • Metformina (Glucophage, Glumetza, outros). Geralmente, a metformina é a primeira medicação prescrita para o diabetes tipo 2. Ela funciona através da melhoria da sensibilidade dos seus tecidos do corpo à insulina, de modo a que o seu corpo use a insulina de forma mais eficaz. A metformina também reduz a produção de glicose no fígado. Metformina pode não reduzir o açúcar no sangue de modo suficiente por conta própria. O seu médico também irá recomendar mudanças no estilo de vida, como perder peso e tornar-se mais ativo. Náuseas e diarreia são possíveis efeitos colaterais da metformina. Geralmente, estes efeitos secundários desaparecem quando o seu corpo se acostuma com o medicamento. Se metformina e mudanças de estilo de vida não forem suficientes para controlar o nível de açúcar no sangue, outros medicamentos orais ou injetáveis podem ser adicionados.
  • Sulfoniluréias. Estes medicamentos ajudam o corpo a secretar mais insulina. Exemplos de medicamentos desta classe incluem gliburida (Diabeta, Glynase), glipizida (Glucotrol) e glimepirida (Amaryl). Os efeitos colaterais incluem baixa de açúcar no sangue e ganho de peso.
  • Meglitinides. Estes medicamentos funcionam como sulfoniluréias, estimulando o pâncreas a secretar mais insulina, mas estes agem de modo mais rápido, e a duração do seu efeito no corpo é mais curto. Estes também têm um risco de causar baixo teor de açúcar no sangue, mas este risco é menor do que com sulfoniluréias. O ganho de peso é uma possibilidade com esta classe de medicamentos. Exemplos incluem repaglinida (Prandin) e Nateglinida (Starlix).
  • Tiazolidinedionas. Tal como a metformina, estes medicamentos tornam os tecidos do corpo mais sensíveis à insulina. Esta classe de medicamentos tem sido associada a aumento de peso e outros efeitos colaterais mais graves, tais como um aumento do risco de fraturas e insuficiência cardíaca. Por causa destes riscos, geralmente, estes medicamentos não são um tratamento de primeira escolha. Rosiglitazona (Avandia) e pioglitazona (Actos) são exemplos de tiazolidinedionas.
  • Inibidores DPP-4. Estes medicamentos ajudam a reduzir os níveis de açúcar no sangue, mas tendem a ter um efeito modesto. Estes não causam ganho de peso. Exemplos destes medicamentos incluem sitagliptina (Januvia), saxagliptina (Onglyza) e linagliptina (Tradjenta).
  • Agonistas do receptor de GLP-1. Estes medicamentos de digestão lenta podem ajudar a tornar os níveis de açúcar no sangue mais baixos, embora não tanto como sulfoniluréias. A sua utilização é frequentemente associada com alguma perda de peso. Esta classe de medicamentos não é recomendada para uso por si só. A exenatida (Byetta) e liraglutido (Victoza) são exemplos de agonistas do receptor de GLP-1. Os efeitos colaterais incluem náuseas e um risco aumentado de pancreatite.
  • Inibidores de SGLT2. Estes são os mais novos medicamentos para diabetes existentes no mercado. Estes trabalham, ao impedir que os rins reabsorvam o açúcar no sangue. Em vez disso, o açúcar é excretado na urina. Exemplos incluem canaglifozina (Invokana) e dapagliflozina (Farxiga). Os efeitos colaterais podem incluir infecções fúngicas e infecções do trato urinário, aumento da frequência urinária e hipotensão.
  • Terapêutica com insulina. Algumas pessoas que têm diabetes tipo 2 também necessitam de insulinoterapia. No passado, a terapia com insulina foi usada como um último recurso, mas hoje em dia é muitas vezes prescrita mais cedo por causa dos seus benefícios. Porque a digestão normal interfere com a insulina por via oral, a insulina tem de ser injetada. Dependendo das suas necessidades, o seu médico pode prescrever uma mistura de tipos de insulina que devem ser usadas durante todo o dia e noite. Muitas vezes, as pessoas com diabetes tipo 2 iniciam o uso de insulina com uma injecção de ação prolongada durante a noite. Injecções de insulina envolvem o uso de uma agulha fina e uma seringa ou uma caneta injetora de insulina (um dispositivo que se parece com uma caneta de tinta, exceto o cartucho que está cheio de insulina).

2 comentários:
isaias disse...

Fazendo umas pesquisa para meu blog http://www.suasaudetemvalor.com , encontre seu este Blog Saúde com Dieta com um artigo de meu interese,gostei muito, continue porque esta maravilhoso.

Sua Saúde Tem Valor disse...

Fazendo umas pesquisa para meu blog http://www.suasaudetemvalor.com , encontre seu este Blog Saúde com Dieta com um artigo de meu interese,gostei muito, continue porque esta maravilhoso.
http://www.suasaudetemvalor.com/diabetes-tipo-2/

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL