terça-feira, 28 de março de 2017

Hérnia

Uma hérnia ocorre quando uma parte interna do corpo empurra através de uma fraqueza no músculo ou parede do tecido circundante.
Geralmente, uma hérnia desenvolve-se entre o peito e os quadris. Em muitos casos, não causa nenhum ou muito poucos sintomas, embora você possa observar um inchaço ou uma protuberância na sua barriga (abdômen) ou virilha.
Muitas vezes, o inchaço ou protuberância pode ser empurrado para trás ou desaparecer quando você se deita. Tosse ou esforço podem fazer a protuberância aparecer.

Tipos de hérnia

Tipos de hérnia podem incluir:
  • Hérnias inguinais
  • Hérnias femorais
  • Hérnias umbilicais
  • Hérnias de hiato
  • Outros tipos de hérnia

Causas de hérnia

Em última análise, todas as hérnias são causadas por uma combinação de pressão e uma abertura ou fraqueza do músculo ou fáscia. A pressão empurra um órgão ou tecido através de uma abertura ou ponto fraco. Por vezes, uma fraqueza muscular está presente no nascimento, mas mais frequentemente ocorre mais tarde ao longo da vida.
Qualquer situação que cause um aumento de pressão no abdômen pode causar uma hérnia, incluindo:
Além disso, obesidade, má nutrição e tabagismo, todos podem enfraquecer os músculos e aumentar a probabilidade de ocorrência de uma hérnia.

Sintomas de uma hérnia

Para hérnias inguinais, femorais, umbilicais e incisionais, os sintomas podem incluir:
  • Um óbvio inchaço sob a pele do abdômen ou da virilha, que pode provocar sensibilidade e desaparecer quando você se deita.
  • Uma sensação pesada no abdômen que por vezes é acompanhada por constipação ou sangue nas fezes.
  • Desconforto no abdômen ou na virilha ao levantar ou dobrar.
Os sintomas de uma hérnia hiatal podem incluir azia e dor abdominal superior.

Diagnóstico de hérnia

Geralmente, o seu médico será capaz de identificar uma hérnia examinando a área afetada.
Nalguns casos, o médico pode encaminhá-lo para um hospital próximo para uma ecografia, de modo a confirmar o diagnóstico ou para avaliar a extensão do problema. Esta é uma varredura indolor em que ondas sonoras de alta frequência são usadas para criar uma imagem de parte do interior do corpo.
Uma vez que o diagnóstico tenha sido confirmado, o seu médico irá determinar se existe necessidade de recorrer a uma cirurgia para reparar a hérnia.
Uma série de fatores serão considerados para decidir se a cirurgia é apropriada, incluindo:
  • O tipo de hérnia. Alguns tipos de hérnia são mais susceptíveis de se tornarem estranguladas ou causar uma obstrução intestinal, do que outros.
  • O conteúdo da sua hérnia. Se a hérnia contiver uma parte do seu intestino, músculo ou outro tecido, pode haver um risco de estrangulamento ou obstrução.
  • Os seus sintomas e o impacto na sua vida diária. Uma cirurgia pode ser recomendada se os sintomas forem graves ou piorarem, ou se a hérnia estiver a afetar a sua capacidade de realizar as suas atividades normais.
  • A sua saúde geral. Uma cirurgia pode ser um risco se a sua saúde geral for pobre.
Apesar da maioria das hérnias não poder melhorar sem cirurgia, elas não vão necessariamente piorar. Nalguns casos, os riscos da cirurgia superam os potenciais benefícios.

Tratamento para hérnia

O tratamento de uma hérnia faz-se através de uma cirurgia.
Existem duas formas principais de promover uma cirurgia para hérnias:
  • Cirurgia aberta, em que um corte é feito para permitir que o cirurgião possa empurrar a protuberãncia de volta para o abdômen
  • Cirurgia laparoscópica, que é uma técnica menos invasiva, mas mais difícil, em que vários cortes menores são feitos, permitindo que o cirurgião possa usar vários instrumentos especiais para reparar a hérnia
A maioria das pessoas é capaz de ir para casa no mesmo dia ou no dia após a cirurgia, e podem conseguir uma recuperação completa dentro de algumas semanas.
Se o seu médico recomendar uma cirurgia, é importante estar ciente dos potenciais riscos, bem como da possibilidade da hérnia recorrer.
Certifique-se de discutir os benefícios e riscos do procedimento em detalhe com o seu cirurgião antes de ser sujeito à cirurgia.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL