terça-feira, 7 de março de 2017

Colostomia - Para que se usa a colostomia

Colostomia para que serve como preparar como se faz riscos
A colostomia é um procedimento cirúrgico que leva uma extremidade do intestino grosso para fora através de uma abertura (estoma) feita na parede abdominal. As fezes que se movem através do intestino podem drenar através do estoma num saco anexado ao abdômen.

Para que se usa a colostomia

As razões pelas quais uma colostomia pode ser implementada incluem:
  • Infecção do abdômen, como diverticulite perfurada ou um abscesso.
  • Lesão no cólon ou reto (por exemplo, uma ferida de bala).
  • Obstrução parcial ou completa do intestino grosso (obstrução intestinal).
  • Câncer de reto ou de cólon.
  • Feridas ou fístulas no períneo, a área entre o ânus e a vulva (mulheres) ou o ânus e o escroto (homens).

Como se implementa a colostomia

Geralmente, o procedimento é realizado após:
  • Ressecção intestinal
  • Lesão no intestino
A colostomia pode ser de curta duração ou permanente.
Uma colostomia é realizada enquanto uma pessoa permanece sob anestesia geral (a dormir e livre de dor), podendo ser realizada com um grande corte cirúrgico no abdômen ou com pequenas incisões e uma pequena câmera (laparoscopia).
O tipo de abordagem utilizada depende de que outro procedimento se torna necessário implementar. Geralmente, o corte cirúrgico é feito no meio do abdômen. Uma ressecção intestinal ou reparação é feita conforme necessário.
Para uma colostomia, uma extremidade de cólon saudável é trazida para o exterior através de uma abertura feita na parede do abdômen, geralmente no lado esquerdo. As bordas do intestino são costuradas à pele da abertura. Esta abertura é chamada de estoma. Um saco chamado aparelho de estoma é colocado em torno da abertura para permitir que as fezes possam drenar.
A sua colostomia pode ser de curto prazo. Se você for sujeito a uma cirurgia em parte do seu intestino grosso, uma colostomia permite que a outra parte do seu intestino possa descansar enquanto você recupera. Uma vez que o seu corpo se recupera completamente da primeira cirurgia, você terá outra cirurgia para reconectar as extremidades do intestino grosso. Geralmente, isto é feito após 12 semanas.


Riscos associados a colostomia

Riscos associados à anestesia e cirurgia em geral podem incluir:
  • Reacções a medicamentos e problemas respiratórios
  • Sangramento, coágulos de sangue e infecção
Os riscos associados a uma colostomia incluem:
  • Sangramento dentro da sua barriga
  • Dano aos órgãos próximos
  • Desenvolvimento de uma hérnia no local do corte cirúrgico
  • O intestino criar uma protuberância através do estoma, maior do que deveria (prolapso da colostomia)
  • Estreitamento ou bloqueio da abertura da colostomia (estoma)
  • Cicatriz que se forma no tecido da barriga e que causa bloqueio intestinal
  • Irritação na pele
  • Quebra de ferida aberta

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL