terça-feira, 28 de março de 2017

Câncer na garganta

Câncer na garganta ocorre quando as células nos órgãos utilizados para respirar, falar e engolir começam a dividir-se rapidamente e de forma anormal. A maioria dos cânceres na garganta começa nas cordas vocais. Mais tarde, ele espalha-se para a caixa de voz (laringe); para a parte de trás da garganta, incluindo a parte da língua e das amígdalas (toda esta área é chamada de faringe); ou abaixo da caixa de voz para a subglote e traquéia. Um sintoma precoce de câncer na garganta é a rouquidão inexplicada ou uma voz rouca.
Fumantes estão em alto risco de câncer na garganta. Outras pessoas com alto risco incluem aqueles que bebem muito álcool, especialmente se eles também fumarem. Pessoas com deficiência de vitamina A e certos tipos de papilomavírus humano (HPV) também podem ser mais propensos a desenvolver câncer na garganta.
Câncer na garganta é associado com outros tipos de câncer. Alguns pacientes com câncer na garganta são diagnosticados com câncer da boca, esôfago ou pulmão ao mesmo tempo. Algumas pessoas com câncer na garganta desenvolvem estes tipos de câncer mais tarde. O câncer de bexiga pode ocorrer em pacientes com câncer na garganta, porque o tabagismo também aumenta o risco deste tipo de câncer.
Câncer na garganta é mais comum entre homens do que mulheres, provavelmente porque mais homens fumam. Este tipo de câncer é menos comum entre pessoas com menos de 55 anos de idade. Muitos cânceres da garganta podem ser tratados com sucesso. No entanto, o tratamento pode afetar a capacidade da pessoa para falar.

Sintomas de câncer na garganta

Quando o câncer na garganta afeta as cordas vocais, o primeiro sintoma é uma mudança na voz, já que a voz pode soar rouca. Outros sintomas de câncer na garganta incluem:
  • Dor ou dificuldade ao engolir
  • Uma dor de garganta que não desaparece
  • Uma sensação de um "caroço na garganta" ou uma necessidade constante de engolir
  • Inchaço ou dor no pescoço
  • Glândulas alargadas (gânglios linfáticos), no pescoço
  • Uma tosse crônica
  • Pieira
  • Perda de peso inexplicada
  • Tossir sangue

Diagnóstico de câncer na garganta

Se o médico suspeitar que você tem câncer na garganta, ele irá examinar a sua garganta. Isto pode ser feito com um espelho num cabo comprido ou com um tubo iluminado chamado laringoscopio. O médico pode dar-lhe um anestésico local para aliviar o desconforto.
Se o seu médico encontrar qualquer anormalidade, ele pode fazer uma biópsia. Isto envolve a remoção de pedaços de tecido para exame sob um microscópio. O câncer na garganta só pode ser confirmado através de uma biópsia.
O seu médico pode solicitar um teste chamado de tomografia computadorizada. Este tipo especial de raios-X cria imagens do corpo a partir de ângulos diferentes, produzindo uma vista em corte transversal. A tomografia computadorizada pode ajudar a localizar um tumor, e a avaliar se um tumor pode ser removido cirurgicamente, e também pode determinar o estágio de desenvolvimento do câncer.
Os médicos descrevem o câncer usando etapas numéricas. Por exemplo, um tumor em estágio I ou 0 não cresceu para muito longe dos tecidos. Um tumor em estágio III ou IV pode estar a crescer através e para além de tecidos próximos.
Um teste de PET scam é a mais nova forma de avaliar a extensão de um câncer. O teste ajuda a determinar se o câncer se espalhou para os nódulos linfáticos no pescoço ou para outras partes do corpo. Os médicos também podem usá-lo para planejar o seu tratamento, ou como parte dos cuidados de acompanhamento a longo prazo.

Tratamento para câncer na garganta

O tipo de tratamento que você receberá depende em grande parte da localização do câncer e do quão longe ele se espalhou. Os tratamentos preferidos para as fases iniciais de câncer na garganta são radioterapia e cirurgia. Em casos mais avançados, a quimioterapia pode ser administrada em combinação com a cirurgia e/ou radioterapia. Quando o câncer na garganta já se espalhou amplamente por todo o corpo, a quimioterapia pode ser administrada isoladamente. Nestas circunstâncias, é improvável que a cirurgia ou radioterapia possam ajudar, sendo improvável que o câncer possa ser curado.
Aqui está o que o médico recomenda frequentemente, com base no estágio do câncer:
  • Câncer em estágio 0. Estes, geralmente podem ser tratados por remoção do tecido afetado.
  • Câncer em estágio I ou II. Estes cânceres requerem cirurgia, radioterapia ou ambos. A radioterapia pode ser altamente bem sucedida com estes tipos de câncer, mas câncer na garganta raramente é encontrado tão cedo.
  • Câncer de estágio III ou IV. O câncer nestas fases, geralmente, vai exigir uma combinação de cirurgia, radioterapia e quimioterapia.
A maioria dos cânceres em fases posteriores exige a remoção de parte ou de todo a laringe ou faringe. A remoção cirúrgica de parte ou da totalidade da laringe é chamada de laringectomia. A remoção cirúrgica de uma parte ou da totalidade da faringe é chamada faringectomia.
Uma das novidades mais excitantes do tratamento do câncer da faringe é o uso da cirurgia robótica. Operações complexas que levaram horas e foram bastante debilitantes, podem agora ser realizadas com maior eficiência usando técnicas robóticas assistidas.
A laringectomia é a cirurgia mais comum para câncer na garganta. Mesmo que apenas uma parte da laringe seja removida, o paciente vai perder alguma da sua capacidade de falar. Ele terá que aprender técnicas especiais ou ser sujeito a procedimentos reconstrutivos para recuperar o uso da sua voz.
Se as células cancerosas se espalharam para além da laringe ou faringe e para os linfonodos, uma cirurgia chamada esvaziamento cervical será necessária. Nesta cirurgia, nódulos linfáticos que se pensa conterem células cancerosas, são removidos. Isto pode ajudar a conter o câncer antes que se espalhe por todo o corpo. Após a cirurgia, terapia de radiação pode ser implementada para destruir as células cancerosas remanescentes.
Após o tratamento para o câncer na garganta, algumas pessoas vão aprender novas formas de falar com auxiliares de voz, técnicas de respiração, e reestruturação cirúrgica. Atendendo a que a faringe é uma passagem para o trato digestivo, os pacientes submetidos a faringectomia podem necessitar de cirurgia para reconstruir a faringe, para permitir que o alimento possa passar.
Procure aconselhamento e tratamento de especialistas que tratam de câncer na garganta regularmente. A experiência conta.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL