terça-feira, 21 de março de 2017

Arterite de Takayasu - Causas, sintomas e tratamento

Arterite de Takayasu causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
A arterite de Takayasu é uma doença crônica (de longo prazo) em que as artérias se tornam inflamadas. Esta condição também é conhecida como aortite de Takayasu, doença sem pulso e síndrome do arco aórtico. O nome vem do médico que primeiro relatou o problema em 1905, Dr. Mikito Takayasu.
Na maioria dos casos, arterite de Takayasu tem como alvo a aorta e os seus ramos principais, incluindo artérias no cérebro, braços e rins. A aorta é a principal artéria do corpo, que bombeia o sangue rico em oxigênio do coração para o resto do corpo. Menos frequentemente, as artérias coronárias arteriais e pulmonares também estão envolvidas. Este problema causa danos nos principais órgãos do corpo, como redução ou ausência de pulso nos braços e pernas e sintomas de má circulação, tal como um braço ou uma perna fresca ou fria, dores musculares com o uso de esforço, ou sintomas de acidente vascular cerebral, se as artérias cerebrais ficarem estreitadas ou bloqueadas. Ao longo do tempo, arterite de Takayasu pode causar cicatrizes, estreitamento e "balão" anormal em vasos sanguíneos envolvidos. A doença pode ser fatal.

Causas de arterite de Takayasu

Embora a causa da arterite de Takayasu seja desconhecida, pode ser uma doença auto-imune, o que significa que as defesas imunes atacam as células do próprio corpo, em vez de as proteger dos invasores externos.
Na Ásia, arterite de Takayasu é uma das principais causas de pressão arterial elevada em adolescentes e adultos jovens. No entanto, na América do Norte e na Europa, a arterite de Takayasu é uma doença muito rara que afeta apenas 2 ou 3 em cada 1 milhão de pessoas a cada ano. Ela é 8 vezes mais comum em mulheres do que em homens. Embora 75 por cento das pessoas comecem a ter sintomas durante a sua adolescência, a idade média em que o problema é diagnosticado, ocorre geralmente por volta dos 29 anos. Isto acontece porque os primeiros sintomas de artrite de Takayasu são mais gerais e comuns, tais como fadiga. Até 96 por cento das pessoas não são diagnosticadas até que elas têm sintomas mais tarde, mais específicos.

Sintomas de arterite de Takayasu

Os sintomas de artrite de Takayasu variam dependendo da fase da doença e das artérias afetadas. Os primeiros sintomas podem incluir febre, fadiga, falta de apetite, perda de peso, suores noturnos, dores nas articulações e dor torácica. Os sintomas tardios estão tipicamente relacionados com o estreitamento das artérias e uma diminuição do fluxo sanguíneo para certos órgãos. Estes sintomas posteriores podem incluir:
  • Dor de cabeça, náuseas ou fadiga relacionadas com a hipertensão arterial e insuficiência renal
  • Dor no peito, especialmente com esforço
  • Falta de ar e fadiga, decorrente de insuficiência cardíaca congestiva
  • Desmaios, tonturas, alterações na visão, ataques isquémicos transitórios (mini-derrames) ou um acidente vascular cerebral, decorrentes de mau fluxo sanguíneo para o cérebro
  • Dor abdominal, náuseas e vômitos, resultante da má circulação de sangue para o abdômen
  • Fraqueza muscular e dor nos braços ou pernas, quando eles são movidos

Diagnóstico de arterite de Takayasu

Atendendo a que a arterite de Takayasu é muito rara e porque os primeiros sintomas não são específicos, um médico pode não suspeitar que você tem a doença até que você desenvolva sintomas de artérias estreitadas. Isto pode demorar meses, ou mesmo anos, após o início da doença.
As melhores pistas para constatar que você pode ter artrite de Takayasu podem ser a pressão arterial elevada que não pode ser explicada por qualquer outro motivo, dificuldade em obter uma medição da pressão arterial num lado, a diferença na leitura da pressão arterial entre os dois braços ou sintomas de má circulação (todos estes são achados incomuns numa pessoa mais jovem).
O seu médico pode suspeitar que você tem artrite de Takayasu, se você tiver pelo menos três dos seis critérios desenvolvidos pelo American College of Rheumatology para distingui-la de outras formas de vasculite:
  • Os sintomas começam aos 40 anos ou mais cedo
  • Fraqueza muscular e dor ao mover os seus braços ou pernas
  • Um pulso fraco na artéria braquial (principal artéria do braço)
  • Um som chamado de sopro, o que indica fluxo sanguíneo turbulento, quando o médico escuta a sua aorta ou artéria subclávia com um estetoscópio
  • Os sinais de danos para a aorta ou para outras artérias, avaliados através de um teste chamado angiograma, o qual corresponde a uma série de raios-X de artérias
  • A diferença de pelo menos 10 mm Hg (milímetros de mercúrio) na pressão arterial sistólica (o primeiro número da sua leitura de pressão arterial) no seu braço direito e esquerdo
Para confirmar o diagnóstico, o médico irá avaliar os seus sintomas e história médica, devendo examiná-lo, dando especial atenção ao seu coração e vasos sanguíneos. Ele irá medir a pressão arterial nos seus braços e pernas e verificar a intensidade de pulsos nas suas extremidades e pescoço. O médico também poderá usar um estetoscópio para ouvir áreas específicas do seu peito, pescoço e abdômen.
Após o exame físico, o médico pode solicitar exames de sangue. Além disso, para identificar as áreas onde as artérias estão danificadas, o médico pode solicitar um ou mais estudos:, que podem incluir angiografia padrão, angiografia por ressonância magnética, ultra-som Doppler, ressonância magnética padrão ou tomografia computadorizada.

Tratamento para arterite de Takayasu

Geralmente, os médicos começam o tratamento para a artrite de Takayasu com medicamentos glicocorticóides, como a prednisona. Se estes medicamentos por si só não funcionarem bem, em seguida, podem ser adicionadas drogas imunossupressoras mais fortes, incluindo o metotrexato (Folex, metotrexato e Rheumatrex), azatioprina (Imuran), mofetil (CellCept), leflunomida (Arava) ou ciclofosfamida (Cytoxan, Neosar). Estudos recentes sugerem que adalimumab injetável (Humira), etanercept (Enbrel) ou infliximab (Remicade) podem ser úteis para controlar a inflamação vascular de arterite de Takayasu quando outros medicamentos falham. Medicamentos para pressão arterial também podem ser necessários para controlar a pressão arterial elevada.
Se a arterite de Takayasu causar redução significativa de uma artéria, o segmento estreitado pode precisar de ser reparado ou alargado. Dependendo da artéria afetada, isto pode ser feito de uma de três maneiras:
  • Cirurgia tradicional (aberta)
  • Angioplastia transluminal percutânea de balão, em que um pequeno balão é inserido no vaso sanguíneo, e em seguida, insuflado para dilatar
  • Colocação percutânea de uma prótese endovascular, na qual um dispositivo de malha pequena é colocado na artéria para manter o vaso sanguíneo aberto
Segmentos de artérias inflamadas podem tornar-se enfraquecidos, conduzindo à formação de um aneurisma. Estas podem expandir ao longo do tempo, podendo ser sujeitos a rutura, um evento potencialmente fatal. Assim, testes para aneurismas podem ser recomendados para as pessoas com artrite de Takayasu, e se um aneurisma for grande, uma reparação cirúrgica pode ser recomendada.


Prognóstico para arterite de Takayasu

Os sintomas desaparecem em cerca de 60 por cento das pessoas com arterite de Takayasu, quando elas são tratadas com glucocorticóides por si só. No entanto, os sintomas voltam em cerca de metade destes pacientes. Quando os sintomas regressam, o retratamento com uma combinação de glicocorticóides e outros fármacos imunossupressores têm uma taxa de sucesso de 40 a 80 por cento. Mas é comum que os sintomas possam voltar novamente. Em geral, cerca de 80 a 90 por cento das pessoas com esta condição responde a alguma forma de terapia médica.
Em geral, cerca de 85 por cento das pessoas sobrevive durante pelo menos 15 anos após o diagnóstico da condição. Este número cai para 70 por cento para aqueles que têm pressão arterial elevada grave ou danos significativos na aorta.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL