terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Tratamento para obesidade

Este artigo aborda o tratamento da obesidade.
Se quiser conhecer a definição da obesidade, as suas causas, sintomas, diagnóstico, prevenção e medicinas alternativas para tratamento da obesidade aceda ao artigo Obesidade.

O objetivo do tratamento da obesidade é alcançar e manter um peso saudável. Você pode precisar de trabalhar com uma equipe de profissionais de saúde, incluindo um nutricionista, conselheiro comportamental ou um especialista em obesidade, para ajudá-lo a entender e a fazer mudanças nos seus hábitos alimentares e atividade.
Geralmente, o objetivo inicial do tratamento é conseguir uma perda de peso modesta (entre 3 a 5 por cento do seu peso total). Isto significa que se você pesar 91 kg e for obeso por padrões de IMC, você precisará de perder apenas entre 2,7 e 4,5 kg para que a sua saúde possa começar a melhorar. No entanto, quanto mais peso você perder, maiores serão os benefícios.
Todos os programas de perda de peso requerem mudanças nos seus hábitos alimentares e aumento da atividade física. Os métodos de tratamento mais adequados para você dependerão do seu nível de obesidade, da sua saúde e vontade de participar no seu plano de perda de peso.
Outras ferramentas de tratamento incluem:
  • Mudanças dietéticas
  • Exercício e atividade
  • Mudança de comportamento
  • Prescrição de medicamentos para perda de peso
  • Cirurgia para perda de peso

Mudanças dietéticas

A redução de calorias e prática de hábitos alimentares mais saudáveis são vitais para superar a obesidade. Embora você possa perder peso rapidamente no início, uma lenta e constante perda de peso a longo prazo é considerada a forma mais segura de perder peso, sendo a melhor forma de mantê-lo permanentemente.
Evite mudanças de dieta drásticas e irreais, como dietas radicais, porque é normal que a perda rápida de peso possa voltar a longo prazo.
Participe de um programa abrangente de perda de peso por pelo menos seis meses, e num programa de manutenção de pelo menos um ano, para aumentar as suas chances de sucesso de perda de peso.
Não existe uma dieta única que possa ser melhor para perder peso. Escolha uma dieta que inclua alimentos saudáveis e que você sinta que vai trabalhar para você. Mudanças na dieta para tratar a obesidade incluem:
  • Cortar calorias. A chave para a perda de peso é reduzir o número de calorias que você ingere. Você e o seu médico podem rever os seus hábitos típicos de comer e beber para verificar quantas calorias você consome normalmente, para verificar onde você pode cortar. Você e o seu médico podem decidir quantas calorias você precisa de tomar em cada dia para perder peso, mas a quantidade típica é de 1.200 a 1.500 calorias para mulheres e 1.500 a 1.800 para os homens.
  • Sentir-se cheio com menos quantidade de comida. O conceito de densidade de energia pode ajudar a satisfazer a sua fome com menos calorias. Todos os alimentos têm um certo número de calorias dentro de uma determinada quantidade (em volume). Alguns alimentos (como sobremesas, doces, gorduras e alimentos processados) são ricos em densidade de energia. Isto significa que um pequeno volume de alimentos tem um grande número de calorias. Em contraste, outros alimentos, como frutas e verduras, têm menor densidade de energia. Estes alimentos fornecem uma porção de tamanho superior com um menor número de calorias. Ao comer porções maiores de alimentos que têm menos calorias, você reduz os sintomas de fome, toma menos calorias e pode sentir-se melhor com a sua refeição, o que contribui para o grau de satisfação que você pode sentir em geral.
  • Fazer escolhas mais saudáveis. Para melhorar a sua saúde global através da dieta, coma mais alimentos de origem vegetal, como frutas, legumes e carboidratos de grãos integrais. Enfatize também fontes magras de proteína (como feijão, lentilhas e soja) e carnes magras. Se você gosta de peixe, tente incluir peixe duas vezes por semana. Limite sal e açúcar. Escolha produtos lácteos com baixo teor de gordura. Coma pequenas quantidades de gorduras, e verifique se elas vêm de fontes saudáveis para o coração, tais como óleos de oliva, canola e nozes.
  • Restringir certos alimentos. Certas dietas podem limitar a quantidade de um determinado grupo de alimento, como carboidratos ou alimentos cheios de gordura. Pergunte ao seu médico quais os planos de dieta que têm sido eficazes e que possam ser úteis para você. A ingestão de bebidas adoçadas com açúcar é uma forma de consumir mais calorias do que aquelas que você pretende, pelo que, limitar estas bebidas ou eliminá-las por completo é uma boa forma de começar a cortar calorias.
  • Usar substitutos de refeição. Estes planos sugerem que você substitua uma ou duas refeições com os seus produtos (como shakes de baixa caloria ou barras de refeição) e coma lanches saudáveis e uma alimentação saudável, como uma terceira refeição equilibrada que tenha baixos teores de gordura e calorias. No curto prazo, este tipo de dieta pode ajudar a perder peso. Tenha em mente que estas dietas, provavelmente não vão ensiná-lo a mudar o seu estilo de vida global, pelo que, você pode ter que continuar com estes tipo de dieta, se quiser manter o seu peso adicional afastado.
  • Desconfiar de soluções rápidas. Você pode ser tentado por dietas da moda que prometem perda de peso rápida e fácil. Porém, a realidade, é que não existem alimentos mágicos ou soluções rápidas. As dietas da moda podem ajudar no curto prazo, mas os resultados a longo prazo não parecem ser melhores do que os de outras dietas. Da mesma forma, você pode perder peso através de uma dieta radical, mas é provável que você recupere o peso quando parar a dieta. Para perder peso (e mantê-lo) você tem que adotar hábitos alimentares saudáveis que possa manter ao longo do tempo.

Exercício e atividade

Aumento da atividade física ou exercício é uma parte essencial do tratamento da obesidade. A maioria das pessoas que são capazes de manter a sua perda de peso por mais de um ano obtêm exercício regular, mesmo que seja um simples caminhar.
Para aumentar o seu nível de atividade considere:
  • Exercício. As pessoas que estão com sobrepeso ou obesas têm necessidade de obter pelo menos 150 minutos por semana de atividade física de intensidade moderada para evitar mais ganho de peso ou para manter a perda de uma quantidade modesta de peso. Para conseguir uma perda de peso mais significativa, pode ser necessário promover exercício durante 300 minutos ou mais por semana. Provavelmente, você terá que aumentar gradualmente a quantidade de exercício enquanto a sua resistência e aptidão melhoram.
  • Continue a andar. Mesmo que o exercício aeróbico regular seja a forma mais eficiente de queimar calorias e perder peso em excesso, qualquer movimento extra ajuda a queimar calorias. Promover mudanças simples durante todo o dia pode adicionar grandes benefícios. Deixe o carro mais distante da loja para caminhar mais, reveja as suas tarefas domésticas e de jardinagem e levante-se e movimente-se periodicamente, usando um pedômetro para acompanhar quantos passos você realmente promove ao longo de um dia.

Mudanças de comportamento

Um programa de modificação de comportamento pode ajudá-lo a fazer mudanças de estilo de vida, a perder peso e a mantê-lo. As medidas que pode tomar incluem a análise dos seus hábitos atuais para descobrir quais os fatores ou situações que podem ter contribuído para a sua obesidade.
Todas as pessoas são diferentes e têm diferentes obstáculos para gerir o seu peso, tais como a falta de tempo para exercitar-se ou comer a horas tardias durante a noite. Adapte as suas mudanças de comportamento para atender às suas preocupações individuais.
A modificação do comportamento, por vezes chamada de terapia de comportamento, pode incluir:
  • Aconselhamento. Terapia ou intervenções com especialistas em saúde mental ou outros profissionais podem ajudá-lo a resolver problemas emocionais e comportamentais relacionados com a alimentação. A terapia pode ajudá-lo a entender porque é que você come demais e pode ensinar-lhe formas saudáveis de lidar com a ansiedade. Você também pode aprender a controlar a sua dieta e atividade, compreender gatilhos alimentares, e lidar com os desejos de comida. A terapia pode ser realizada de forma individual ou em grupo. Programas mais intensivos (aqueles que incluem 12 a 26 sessões por ano) podem ser mais úteis para alcançar os seus objetivos de perda de peso.
  • Grupos de apoio. Você pode encontrar camaradagem e compreensão em grupos de apoio, onde os outros partilham desafios semelhantes aos seus em relação à obesidade. 

Medicamentos prescritos para perda de peso

Perder peso requer uma dieta saudável e exercício físico regular. Mas, em certas situações, a prescrição de medicação para a perda de peso pode ajudar.
Porém, tenha em mente, que a medicação para perda de peso é feita para ser usada juntamente com dieta, exercício e mudanças de comportamento, e não em vez deles. Se você não fizer essas outras mudanças na sua vida, é improvável que a medicação possa funcionar.
O seu médico pode recomendar medicação para perda de peso, se outros métodos de perda de peso não estiverem a funcionar e se você se encontrar com um dos seguintes critérios:
  • O seu índice de massa corporal (IMC) é de 30 ou maior
  • O seu IMC é superior a 27, e você também tem complicações médicas devido a obesidade, como diabetes, pressão arterial alta ou apneia do sono
Antes de escolher um medicamento para você, o seu médico irá considerar o seu histórico de saúde, bem como possíveis efeitos secundários. Alguns medicamentos para perda de peso não podem ser usados por mulheres que estejam grávidas ou pessoas que tomam certos medicamentos ou que tenham condições crônicas de saúde.
Medicamentos para perda de peso comumente prescritos incluem orlistat (Xenical), lorcaserin (Belviq), fentermina e topiramato (Qsymia), bupropiona e naltrexone (Contrave) e liraglutide (Saxenda).
Você vai precisar de acompanhamento médico próximo ao tomar um medicamento prescrito para perda de peso. Além disso, mantenha em mente que um medicamento para perda de peso pode não funcionar para todos, e os efeitos podem diminuir ao longo do tempo. Quando parar de tomar uma medicação para perda de peso, você pode recuperar grande parte ou todo o peso que você perdeu.

Cirurgia para perda de peso

Nalguns casos, uma cirurgia para perda de peso, também chamada de cirurgia bariátrica, pode ser uma opção. A cirurgia para perda de peso limita a quantidade de alimento que você é capaz de comer confortavelmente ou diminui a absorção de alimentos e calorias, ou ambos. Embora a cirurgia de perda de peso ofereça a melhor chance de perder mais peso, pode representar sérios riscos.
Cirurgia para perda de peso em casos de obesidade pode ser considerada se você já tentou outros métodos para perder peso que não funcionaram e:
  • Você tiver extrema obesidade (IMC de 40 ou superior)
  • O seu IMC situar-se entre 35 a 39,9, e você também tiver um sério problema de saúde relacionado com o peso, como diabetes ou pressão arterial elevada
  • Você estiver empenhado em fazer mudanças de estilo de vida que se tornam necessárias
Esta cirurgia não garante que você vai perder todo o seu excesso de peso ou que você vai mantê-lo a longo prazo. O sucesso da perda de peso após a cirurgia depende do seu compromisso para implementar mudanças ao longo da vida nos seus hábitos alimentares e promoção de exercício.
Cirurgias comuns cirurgias para perda de peso incluem:
  • Cirurgia de bypass gástrico. No bypass gástrico, o cirurgião cria uma pequena bolsa na parte superior do seu estômago. O intestino delgado é então cortado a uma curta distância abaixo do estômago e ligado para a nova bolsa. Alimentos e fluxo líquido vão diretamente da bolsa para esta parte do intestino, ignorando a maioria do seu estômago.
  • Bandagem gástrica ajustável por laparoscopia. Neste procedimento, o estômago é separado em duas bolsas com uma banda inflável. Puxando e apertando a banda, como um cinto, o cirurgião cria um pequeno canal entre as duas bolsas. A banda não permite que a abertura se expanda, sendo geralmente projetada para ficar no lugar permanentemente.
  • Derivação biliopancreática com desvio duodenal. Este processo começa com o cirurgião a remover uma grande parte do estômago. O cirurgião deixa a válvula que liberta alimentos para o intestino delgado e a primeira parte do intestino delgado (duodeno). Em seguida, o cirurgião fecha a parte do meio do intestino e atribui a última parte diretamente para o duodeno. A secção separada do intestino é recolocada para o fim do intestino, para permitir que sucos biliares e digestivos possam fluir para esta parte do intestino.
  • Manga gástrica. Neste procedimento, parte do estômago é removido, criando um reservatório inferior para os alimentos. Esta é uma cirurgia menos complicada do que bypass gástrico ou derivação biliopancreática com desvio duodenal.

Outros tratamentos para obesidade

Bloqueio do nervo vago é um outro tratamento para a obesidade. Este procedimento envolve a implantação de um dispositivo sob a pele do abdômen que envia pulsos elétricos intermitentes ao nervo vago abdominal, que diz ao cérebro quando é que o estômago está vazio ou cheio. Esta nova tecnologia recebeu aprovação da entidade regulador dos EUA em 2014 para uso em adultos que não têm sido capazes de perder peso com um programa de perda de peso e que têm um IMC de 35 a 45, com pelo menos uma condição relacionada com a obesidade, como diabetes tipo 2.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL