terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Síndrome de Reye

Síndrome de Reye causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Síndrome de Reye é uma doença muito rara que danifica muitas partes do corpo, especialmente o cérebro e o fígado. Por razões desconhecidas, as partes das células que produzem energia (mitocôndrias) param de funcionar corretamente, o que provoca uma doença grave. Os problemas mais graves são inchaço do cérebro e problemas com a quebra de gordura, o que resulta em acúmulo no fígado e noutros órgãos. A doença pode ser fatal, especialmente se não for detetada precocemente e tratada adequadamente.
Embora a síndrome de Reye possa ocorrer em qualquer idade, ela afeta mais frequentemente as crianças com idade entre os de 3 e os 12 anos.
Normalmente, a síndrome de Reye ocorre vários dias depois da criança estar a recuperar de uma infecção viral, como a gripe, resfriado comum, ou varicela. Ela também pode desenvolver-se enquanto a criança ainda está doente, poucos dias depois da doença viral começar. Embora a causa exata da síndrome de Reye não seja conhecida, os investigadores acreditam que esta pode ser devida a uma resposta anormal à aspirina ou produtos contendo aspirina, tomados durante uma doença viral. Por esta razão, nunca dê aspirina ou medicamentos que contenham aspirina a crianças com febre ou com uma doença semelhante à gripe.

Sintomas de síndrome de Reye

Os sintomas da síndrome de Reye podem incluir:
Em lactentes, os sintomas da síndrome de Reye podem não seguir este padrão típico. Por exemplo, crianças com síndrome de Reye nem sempre vomitam.

Diagnóstico para síndrome de Reye

O médico pode suspeitar que uma criança tem síndrome de Reye com base nos sintomas e numa história de doença viral muito recente. Exames de sangue, incluindo testes de função hepática, serão realizados. Muitas vezes, outros testes são necessários para confirmar o diagnóstico, incluindo:
  • A biópsia do fígado - Um pequeno pedaço de fígado é removido e examinado.
  • Uma punção lombar - Uma agulha é usada para remover o líquido a partir da medula espinhal, de modo que a possa ser examinado.
A síndrome de Reye pode ser difícil de diagnosticar. Por vezes é confundida com outras doenças graves, como encefalite, meningite, diabetes não controlada, ou overdose de drogas.

Tratamento para síndrome de Reye

O tratamento da síndrome de Reye depende dos sintomas, mas todos os pacientes com síndrome de Reye precisam de ser tratados num hospital e cuidadosamente monitorizados. O tratamento concentra-se em proteger o cérebro contra danos irreversíveis, prevenindo ou reduzindo o inchaço do cérebro.
Os tratamentos específicos podem incluir:
  • Administração de fluidos contendo açúcar e sais, por via intravenosa (na veia)
  • Medicamentos (por exemplo, para diminuir o inchaço do cérebro ou tratar problemas causados por insuficiência hepática)
  • Intubação (inserção de um tubo que ajuda com a respiração)
Normalmente, pacientes com doença mais grave são tratados numa unidade de terapia intensiva.


Prevenção de síndrome de Reye

Embora uma ligação clara entre a aspirina e a síndrome de Reye ainda não tenha sido comprovada, os especialistas concordam que, para evitar a síndrome de Reye, a abordagem mais segura é nunca dar aspirina ou medicamentos que contenham aspirina para as crianças. Leia os rótulos cuidadosamente. Procure a palavra aspirina e outras palavras que também significam aspirina como acetilsaliciato, ácido acetilsalicílico, ácido salicílico e salicilato. Quando necessário, medicamentos não sujeitos a aspirina, como o paracetamol (Tylenol), devem ser usados em vez desses.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL