sábado, 4 de fevereiro de 2017

Doença renal policística

Doença renal policística causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
A doença renal policística provoca numerosos cistos (crescimentos não-cancerosos) que se podem formar em ambos os rins. Esta, é uma doença genética, ou seja, a pessoa herda a condição dos seus pais. 
Os rins são um par de órgãos em forma de feijão que se situam na parte superior do abdômen. Estes filtram os resíduos e o fluido em excesso no sangue, que são passados para fora do corpo em forma de urina. Os rins também regulam a quantidade de certas substâncias vitais do corpo, tais como electrólitos.
Quando a doença renal policística provoca a formação de vários cistos nos rins, os rins ficam gravemente alargados, e os cistos também tomam o lugar do tecido renal normal. Com menos tecido renal normal, os rins não podem funcionar tão bem, e, eventualmente, podem falhar. Normalmente, os cistos formam-se nos rins quando as pessoas envelhecem, mas a doença renal policística motiva muitos mais cistos do que o normal, podendo causar problemas no corpo.
Em cerca de metade das pessoas com o tipo mais comum de doença renal policística, eventualmente, os rins falham. Quando isto acontece, o paciente necessita de obter um transplante renal ou precisa de recorrer regularmente a diálise, em que uma máquina atua como o rim, e filtra o sangue. Normalmente, uma pessoa pode viver com a doença renal policística por muitos anos antes que os rins possam falhar.
A doença renal policística pode causar cistos no fígado e pâncreas e também pode causar problemas noutros órgãos, tais como aneurismas no cérebro (protuberâncias nas paredes dos vasos sanguíneos, que podem vazar e causar um acidente vascular cerebral).

Sintomas de doença renal policística

Os sintomas de doença renal policística autossômica dominante podem incluir os dois sintomas mais comuns que são dores de cabeça e dor nas costas e nos lados, entre as costelas e quadris. A dor pode ser leve ou grave; e pode aparecer e desaparecer ou ser persistente.
Os sintomas da doença renal policística autossômica dominante também podem incluir: 
Muitas pessoas vivem com a doença renal policística autossômica dominante durante várias décadas antes de desenvolver sintomas. 

A doença renal policística autossômica recessiva, muitas vezes provoca sintomas em bebês mesmo antes de nascer. Muitas vezes, as crianças com esta doença experimentam:
A gravidade da doença renal policística autossômica recessiva varia. Ela pode causar a morte em bebês com as formas mais graves, enquanto que outras pessoas vivem com esta doença na idade adulta sem experimentar qualquer sintoma.

Diagnóstico para a doença renal policística

Os médicos usam exames de imagem para diagnosticar os dois tipos de doença renal policística, geralmente o ultrassom. O ultrassom utiliza ondas sonoras para produzir imagens de estruturas no interior do corpo. Num ultrassom, o médico pode detetar cistos nos rins que têm cerca de 1 cm ou mais. Os médicos também podem utilizar outros exames de imagem, como tomografia computadorizada e ressonância magnética. Estas, podem medir o volume dos cistos, e podem ajudar os médicos a controlar a progressão da doença.
Através de exames de sangue, os médicos podem procuram por mutações genéticas que são conhecidas por causar a doença renal policística. Este teste pode diagnosticar a versão autossômica dominante da doença antes de grandes cistos se desenvolverem, permitindo que alguém com uma mutação, possa fazer o seu melhor para preservar a função renal através de uma boa alimentação e mantendo a pressão arterial sob controle. No entanto, o teste não pode prever quando é que os sintomas vão começar ou quão grave será a doença. O teste pode ser usado por pessoas com história familiar de doença renal policística, para verificar se elas vão passar o gene para os seus filhos.

Tratamento para doença renal policística

Infelizmente, não existe cura para a doença renal policística. No entanto, o tratamento pode aliviar os sintomas e ajudá-lo a viver uma vida mais longa e saudável. 

Dor

Medicamentos de venda livre para a dor podem ajudar a aliviar a dor no abdômen. Note-se, porém, que é importante conversar com o seu médico sobre qual o medicamento para a dor que você deve usar, já que alguns medicamentos para a dor, de venda livre, podem danificar os rins. Uma cirurgia para encolher os cistos também pode aliviar a dor.
Se você tiver dores de cabeça graves ou recorrentes, consulte o seu médico antes de tentar tratá-las com medicação de venda livre. Dores de cabeça podem ser causadas pela pressão arterial elevada, que precisa de ser tratada, a fim de curar as dores de cabeça, e de forma a prevenir outros problemas de saúde. A dor de cabeça muito grave pode ser causada por um aneurisma no cérebro. Um aneurisma é uma emergência médica que requer tratamento imediato.

Infecções do trato urinário

Os antibióticos podem tratar infecções do trato urinário que ocorrem frequentemente em pessoas com doença renal policística. Se você tiver sintomas de uma infecção do trato urinário, tais como dor ao urinar ou uma necessidade frequente de urinar, consulte o seu médico imediatamente. A infecção deve ser tratada rapidamente para evitar a sua propagação a partir do trato urinário para os cistos nos rins, onde as infecções são mais difíceis de tratar.


Pressão alta

Manter a pressão arterial sob controle é especialmente importante para as pessoas com a doença renal policística autossômica dominante, já que pode retardar os efeitos da doença nos rins. Comer alimento com um baixo teor de gordura, dieta pobre em sal, rica em frutas, legumes, grãos integrais e laticínios com baixo teor de gordura, pode ajudar a baixar a pressão arterial. Além disso, você deve evitar produtos de tabaco.
Medicação é muitas vezes necessária para o controle da pressão arterial. O tratamento mais eficaz para as pessoas com este transtorno é um inibidor da enzima conversora da angiotensina ou bloqueador do receptor de angiotensina. Se a pressão arterial ainda se mantiver elevada, um diurético e/ou um bloqueador beta podem ser adicionados.


Prevenção de doença renal policística

Atendendo a que a doença renal policística é uma doença genética, não existe nada que você possa fazer para a impedir.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL