sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Abscesso periamigdaliano: Causas, sintomas e tratamento

Abscesso periamigdaliano causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
O espaço periamigdaliano situa-se entre cada amígdala e a parede da garganta. Uma infecção pode causar um edema cheio de pus (abscesso) que se desenvolve neste espaço.
Abscessos periamigdalianos, geralmente ocorrem como uma complicação de amigdalite. Na maioria das vezes, eles são causados por bactérias "strep" (estreptococos beta-hemolítico do grupo A).
O abscesso periamigdaliano também se pode designar de abscesso peritonsilar
Se um abscesso peritonsilar não for tratado rapidamente, a infecção pode espalhar-se para o pescoço, céu da boca e pulmões. O inchaço pode empurrar a tonsila para o centro da sua garganta e mover a úvula (tecido pendurado na parte de trás da garganta) do centro em direção ao lado afetado da sua garganta. Em casos graves, o inchaço pode tornar a respiração difícil ou pode mesmo fechar as vias respiratórias.
Na maioria das vezes, abscessos peritonsilares são encontrados em crianças mais velhas, adolescentes e adultos jovens, mas estes são menos comuns do que no passado, porque a amigdalite é agora frequentemente tratada com antibióticos, que destroem as bactérias causadoras de infecção.

Sintomas de abscesso periamigdaliano

Os sintomas de um abscesso peritonsilar incluem:
As alterações específicas na fala fazem com que a voz soe como se você estivesse a falar com a boca cheia de puré de batatas quentes.

Diagnóstico de abscesso peritonsilar

O médico examinará a sua garganta, boca e pescoço, e limpará a sua garganta com um cotonete. O material retirado com o cotonete é enviado para um laboratório para uma cultura, que pode identificar o tipo de bactérias que causam a infecção. O seu médico pode querer olhar para a sua garganta usando um pequeno instrumento iluminado e flexível, chamado endoscópio. Ele também pode pedir um raio-X ou tomografia computadorizada para verificar melhor a extensão da infecção nos tecidos moles do pescoço.

Tratamento para abscesso periamigdaliano

O seu médico irá prescrever antibióticos para tratar a infecção. Em infecções graves, estes antibióticos podem ser administrados por via intravenosa (na veia). Geralmente, você precisará de tomar antibióticos durante pelo menos 10 dias, sendo importante tomar todas os comprimidos prescritos, mesmo que você se sinta melhor.
Muitos abscessos não responderão aos antibióticos de modo isolado, e terão de ser drenados. Isto pode ser feito com uma agulha ou através de uma pequena incisão e aspiração do fluido para fora. Muitas vezes, isto é feito no consultório de um médico, mas ocasionalmente pode precisar de ser realizado numa sala de cirurgia, especialmente se a infecção se estendeu para baixo, no seu pescoço. O seu médico irá fornecer sedação adequada e medicação para a dor, para que se sinta confortável durante este procedimento. Como os sintomas tornam difícil comer ou beber, algumas pessoas podem precisar de fluidos intravenosos (injetados numa veia) para tratar ou prevenir a desidratação.
Se amigdalite ou um abcesso peritonsilar continuarem a reaparecer, você pode precisar de ter as suas amígdalas removidas cirurgicamente através de um procedimento chamado de amigdalectomia.


Prognóstico

Após o tratamento, as perspetivas são geralmente excelentes. Um abscesso peritonsilar pode voltar, entretanto. As possíveis complicações de um abcesso grave incluem pneumonia, líquido em torno dos pulmões ou coração, obstrução das vias respiratórias e infecção da pele do pescoço ou da mandíbula.


Duração

Após o tratamento, os sintomas devem desaparecer dentro de cinco a sete dias.

Prevenção de abscesso periamigdaliano

Amigdalites devem ser diagnosticadas e tratadas tão rapidamente quanto possível para ajudar a evitar o desenvolvimento de um abscesso peritonsilar.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL