segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Mesotelioma ou câncer em membranas finas

Mesotelioma causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
O mesotelioma é uma forma rara de câncer que afeta as membranas finas que revestem a maioria dos órgãos do corpo. Na cavidade dos pulmões e no peito, esta membrana é chamada de pleura. No abdômen, ela é chamada peritônio. A membrana que envolve o coração é chamada pericárdio. Na maior parte das vezes, mesotelioma afeta os pulmões.

Causas de mesotelioma

A maioria dos casos de mesotelioma são causados pela exposição ao amianto. O amianto é um mineral que ocorre naturalmente. Este material foi usado numa grande variedade de produtos industriais incluindo:
  • Isolamentos
  • Cimento
  • Telhas para telhado
  • Pavimentos
Pessoas que operavam estes produtos ou trabalhavam em certas indústrias, como construção de navios, têm um risco aumentado de mesotelioma, porque eles podem ter inalado ou ingerido poeiras contendo partículas de amianto. Se elas foram para casa com a poeira em suas roupas, os membros da família também podem ter sido expostos ao amianto.
Alguns casos de mesotelioma têm sido associados a outras causas. Estas incluem a exposição a um meio de contraste de radiação utilizado antes de 1960 para ajudar os vasos sanguíneos a aparecem em raios-X. Nalguns casos, a causa é desconhecida.
As pessoas expostas ao amianto por um longo período de tempo, ou expostas a altos níveis de amianto, têm um risco aumentado de mesotelioma. Mas, mesmo as pessoas que ficaram expostas ao amianto durante um curto período de tempo podem desenvolver a doença. Fumar e ficar exposto ao amianto parece aumentar o risco para a condição.
Normalmente, a doença desenvolve-se entre 20 a 40 anos após a exposição ao amianto. Geralmente, as pessoas são diagnosticadas com mesotelioma entre as idades de 50 e 70 anos. Mais homens do que mulheres obtêm este tipo de câncer. Provavelmente, isto acontece porque os homens são mais propensos a trabalhar em indústrias que usavam amianto.

Sintomas de mesotelioma

Quase todas as pessoas diagnosticadas com mesotelioma nos pulmões ou no peito sentem dor no peito ou falta de ar como primeiro sintoma. Estes sintomas podem ser causados pelo próprio câncer, que irrita as células nervosas em tecidos próximos. Eles também podem ser causados por aumento de líquido entre as duas camadas da pleura.
Pessoas com mesotelioma no forro abdominal podem ter dor abdominal e inchaço causado por acúmulo de líquido.
Outros sintomas possíveis incluem:

Diagnóstico de mesotelioma

O seu médico irá formular perguntas sobre os seus sintomas e outras condições médicas que você teve. Em seguida, ele poderá examiná-lo.
Porque os sintomas do mesotelioma podem ser causados por outras condições médicas, provavelmente, o seu médico irá promover alguns testes. Estes testes incluem um eletrocardiograma (ECG) para verificar o seu coração e peito ou raios-X abdominal.
Se estes testes mostrarem anormalidades nos pulmões ou pleura, você vai precisar de uma tomografia computadorizada ou uma ressonância magnética. Estes estudos de imagem ajudam o médico a determinar o tamanho e localização de quaisquer tumores no peito ou no abdômen.
Se você tiver fluido no peito ou no abdômen, o médico pode usar uma agulha ou tubo fino para remover uma pequena amostra para exame. O fluido também podem ser drenado para aliviar a dor no peito e falta de ar. Ocasionalmente, o mesotelioma pode ser diagnosticado a partir desta amostra de fluido por si só. Mas na maioria dos casos, o seu médico também necessitará de uma amostra de tecido (biópsia).
Dependendo da localização do tumor, o médico irá fazer um pequeno corte através da parede toráxica ou no abdômen. Então, ele irá inserir um tubo iluminado através da incisão para verificar o tumor e remover um pequeno pedaço dele. O médico também pode procurar massas nas suas vias respiratórias ou remover nódulos linfáticos.
Exames de sangue para investigação, que verificam os níveis de dois produtos químicos de osteopontina e mesothelin, podem ajudar a diagnosticar mesotelioma (também podem avaliar a resposta do paciente ao tratamento). Os testes para estes marcadores estão disponíveis como parte de alguns ensaios clínicos.
Se o seu médico diagnosticar mesotelioma pleural, o próximo passo é determinar o estágio do câncer. Esta é uma medida para avaliar quanto o tumor se espalhou. Estes são os estágios de mesotelioma pleural:
  • Fase I. O tumor ocorre apenas no revestimento de um lado do peito ou do diafragma. Pode haver pequenas manchas no forro do pulmão. Não existem sinais de que o câncer se tenha espalhado para locais mais distantes.
  • Fase II. O câncer envolve um lado do peito ou diafragma, e torna-se uma grande parte do revestimento do pulmão, do diafragma, ou do próprio pulmão. Ele não se espalhou para os gânglios linfáticos ou para locais distantes.
  • Fase III. O câncer afeta um lado do peito, e cresce na parede do peito ou no revestimento exterior do coração, podendo espalhar-se para os gânglios linfáticos do mesmo lado que o tumor, mas não para outros nódulos linfáticos. Ele não se espalhou para locais distantes.
  • Fase IV. O câncer afeta um ou ambos os lados do peito e espalhou-se profundamente na parede do tórax, através da membrana, para a coluna, através do revestimento do coração, ou para o próprio coração. Ele pode ter-se espalhado para os nódulos linfáticos e para locais distantes.
A fase I, também é chamada de doença localizada. As fases II, III e IV são chamadas de doença avançada. Se a doença retornar após o tratamento, dá-se o nome de mesotelioma recorrente.
Os médicos não têm um sistema de estadiamento para o mesotelioma no abdômen.

Tratamento para mesotelioma

Mesotelioma pode ocorrer tanto no pulmão como na cavidade abdominal. Em ambos os locais, o mesotelioma é difícil de tratar. O câncer pode espalhar-se facilmente para os órgãos vizinhos. Se ele se espalhar, é quase impossível remover todo o tumor.
Adicionalmente à cirurgia, mesotelioma é tratado primeiramente com a terapia de radiação e quimioterapia. Não existe um tratamento padrão para o mesotelioma recorrente. 
A cirurgia para o mesotelioma pode ser orientada para o controle a longo prazo do câncer (cirurgia agressiva) ou alívio dos sintomas (procedimentos paliativos).
Normalmente, os cirurgiões executam a cirurgia agressiva apenas nos pacientes mais jovens, com boa saúde geral e doença em fase I. Eles avaliam os pacientes com cuidado para se certificarem de que eles podem tolerar a cirurgia.
Quando o mesotelioma é avançado, procedimentos paliativos podem aliviar ou controlar os sintomas. Por exemplo, os médicos podem aliviar a dor e falta de ar por drenagem do acúmulo de fluido no peito ou no abdômen. A pleura também pode ser removida para reduzir a dor causada pelo tumor ou para evitar que o fluido se acumule.
Se a doença ocorrer no abdômen, geralmente, a cirurgia é destinada a aliviar os sintomas.

Terapia de radiação para mesotelioma

Geralmente, os médicos têm um tempo muito difícil para fornecer uma radiação suficiente para matar o tumor sem prejudicar órgãos próximos. Doses mais baixas de radiação podem reduzir o tumor, mas não está claro se isso ajuda as pessoas a viver mais tempo do que se não forem tratadas.
A radiação após cirurgia não foi demonstrada como prolongamento da sobrevivência. Mas, atendendo a que se torna muito improvável que uma cirurgia remova todo o tumor, a radiação é muitas vezes realizada na esperança de matar as células tumorais deixadas para trás. A radioterapia também pode ser utilizada para aliviar os sintomas de mesotelioma, incluindo a dor no peito.

Quimioterapia para mesotelioma

A quimioterapia é o uso de medicamentos como tratamento. A maioria das drogas de quimioterapia são injetadas numa veia. No entanto, alguns médicos começaram a colocar drogas quimioterápicas diretamente na cavidade abdominal ou no peito. Esta estratégia permite o uso de doses mais altas de drogas e, nalguns casos, torna-se uma forma mais eficaz no tratamento do câncer.
A quimioterapia não pode curar mesotelioma, mas alguns medicamentos podem ajudar em alguns pacientes. A utilização de mais do que uma droga de cada vez, pode melhorar a resposta do paciente à medicação.
Tal como acontece com a terapia de radiação, a quimioterapia pode ser administrada após a cirurgia, numa tentativa de matar as células cancerosas que não puderam ser removidas.


Prevenção de mesotelioma

Para reduzir o risco de mesotelioma, evite a exposição ao amianto. Porque não existe nenhum nível seguro de exposição, qualquer exposição ao amianto é demasiada. Evite o consumo de cigarros, especialmente se você tiver sido exposto ao amianto.
Tenha um especialista que verifique se a sua casa tem isolamento que contenha amianto e áreas onde o amianto esteja a deteriorar-se. Isto é particularmente importante em casas antigas. O amianto deve ser profissionalmente removido ou selado. Tenha a qualidade do ar verificada cuidadosamente para ter a certeza de que é seguro voltar para áreas que já contiveram amianto.
Trabalhadores que lidam com materiais que contenham amianto, devem usar equipamentos de proteção para limitar a sua exposição e para não levar, poeiras de amianto em suas roupas para casa.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL