quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Linfedema - Causas e tratamento de linfedema

Linfedema causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Linfedema é o acúmulo de líquido chamado linfa nos tecidos sob a pele, quando algo bloqueia o seu fluxo normal. Isto faz com que ocorra inchaço, mais comumente num braço ou perna.
Normalmente, a linfa faz um trabalho importante para o corpo. Ela carrega materiais estranhos e bactérias para longe da sua pele e dos tecidos do corpo, e circula células que combatem as infecções que fazem parte do seu sistema imunológico.
A linfa flui lentamente através da rede de vasos do sistema linfático. 

Causas de linfedema

A linfedema ocorre quando existe drenagem linfática inadequada do corpo, geralmente a partir de um bloqueio num canal de linfa. Fluido linfático acumula-se sob a pele e provoca inchaço. Mais comumente, linfedema afeta os braços ou pernas.
Inchaço de linfedema pode ser semelhante ao edema mais comum causado por vazamento de vasos sanguíneos minúsculos sob a pele.
Na maioria dos casos de linfedema, o sistema linfático foi ferido, de modo que o fluxo de linfa é bloqueado temporariamente ou permanentemente. Isto é chamado de linfedema secundário. As causas mais comuns incluem:
  • Danos cirúrgicos - cortes cirúrgicos e remoção dos linfonodos podem interferir com o fluxo normal de linfa. Por vezes, o linfedema aparece imediatamente após uma cirurgia e desaparece rapidamente. Noutros casos, o linfedema desenvolve-se a partir de um mês até 15 anos após um procedimento cirúrgico. Linfedema ocorre com bastante frequência em mulheres que tiveram vários nódulos linfáticos removidos durante uma cirurgia para câncer de mama.
  • Uma infecção envolvendo os vasos linfáticos - uma infecção que envolve os vasos linfáticos pode ser suficientemente grave para causar linfedema. Em áreas de regiões tropicais e subtropicais, como a América do Sul, Caribe, África, Ásia e Pacífico Sul, parasitas são uma causa comum de linfedema. Filariose, uma infecção decorrente de um parasita, bloqueia os canais linfáticos e provoca inchaço e espessamento abaixo da pele, geralmente nas pernas.
  • Câncer - linfoma, um câncer que começa nos gânglios linfáticos, ou outros tipos de câncer que se espalham para os gânglios linfáticos, podem bloquear os vasos linfáticos.
  • A terapia de radiação para o câncer - Este tratamento pode causar o desenvolvimento de cicatrizes e bloquear os vasos linfáticos.
Quando linfedema ocorre sem qualquer lesão ou infecção conhecida, é chamado linfedema primário. Os médicos diagnosticam três tipos de linfedema primário, de acordo com a altura em que os primeiros sintomas aparecem:
  • No momento do nascimento - Também conhecido como linfedema congênito. O risco é maior em recém-nascidos do sexo feminino. As pernas são mais afetadas do que os braços. Geralmente ambas as pernas estão inchadas.
  • Após o nascimento, mas antes de 36 anos de idade - Normalmente, é referido pela primeira vez durante os primeiros anos da adolescência. Este é o tipo mais comum de linfedema primário.
  • Idade superior a 36 anos de idade – Este, é o tipo mais raro de linfedema primário.
Provavelmente, todos os três tipos de linfedema primário estão relacionados com o desenvolvimento anormal dos canais linfáticos antes do nascimento. A diferença é a altura em que aparecem os sintomas de inchaço das pernas ou braços.

Sintomas de linfedema

Linfedema causa inchaço com uma sensação de peso, aperto ou plenitude, geralmente num braço ou perna. Na maioria dos casos, apenas um braço ou perna é afetado. Geralmente, inchaço na perna começa no pé, e, em seguida, move-se para cima, atingindo o tornozelo e o joelho. Os sintomas adicionais podem incluir:
  • Dor surda no membro afetado
  • A sensação de aperto na pele do membro afetado
  • Dificuldade em mover um membro ou promover flexão de uma articulação, por causa do inchaço e aperto da pele
O linfedema pode torná-lo mais susceptivel a desenvolver uma infecção da pele. Sinais de infecção incluem febre, dor, calor e vermelhidão. Se linfedema se tornar crônico (de longa duração), muitas vezes, a pele na área afetada torna-se espessa e dura.


Diagnóstico para linfedema

O seu médico irá perguntar-lhe se você foi sujeito a qualquer cirurgia, radioterapia ou infecções na área afetada. O médico pode perguntar se você já teve um coágulo de sangue. Se uma criança tiver linfedema, o médico irá perguntar se alguém na sua família teve inchaço nas pernas que começou numa idade jovem. Isto pode indicar um distúrbio hereditário.
O médico examinará a área inchada e pressionará sobre a pele afetada para procurar um recuo. A pele vai recuar em pessoas com o tipo mais comum de edema causado por vasos sanguíneos com vazamentos. Isto não acontece quando você pressiona sobre a pele, se você tiver linfedema.
O seu médico pode medir a circunferência do braço ou perna afetada para determinar quão inchado está em comparação com o outro membro. O médico também irá procurar por sinais de infecção, como febre, vermelhidão, calor e sensibilidade.
Normalmente, nenhum teste específico é necessário para diagnosticar linfedema. Mas alguns testes podem ser solicitados, se o diagnóstico não for claro ou se não houver nenhuma causa óbvia para a sua condição:
Um hemograma pode verificar um alto nível de glóbulos brancos, o que significa que você pode ter uma infecção.
Um ultrassom pode procurar por coágulos sanguíneos, que podem causar o inchaço num braço ou perna.

A tomografia computadorizada (TC) procura por uma massa ou tumor que possa estar a bloquear os vasos linfáticos no braço ou perna inchada.

Tratamento para linfedema

O tratamento básico para o linfedema inclui:
  • Elevar o membro afetado
  • Fazer exercícios para ajudar a reduzir o inchaço
  • Manter o membro afetado limpo e seco, e aplicação periodica de loções lubrificantes
Se linfedema afetar as pernas, evite usar meias com faixas apertadas na parte superior. Evite ficar em pé por longos períodos. Se você trabalha em pé todos os dias, o seu médico pode prescrever meias de compressão especiais para usar durante todo o dia. O seu médico pode sugerir que você siga uma dieta rica em proteínas e com baixo teor de sal, e que você perca peso, se for obeso.
Para as pessoas com linfedema mais grave, os médicos prescrevem mangas insufláveis que podem ser usadas em torno do braço ou perna, chamados de dispositivos de compressão pneumática. Estas mangas são ligadas a uma máquina que enche e esvazia alternadamente com ar, e que pode ser utilizada em casa, para ajudar a reduzir o inchaço do membro. Uma alternativa para mangas cheias de ar é envolver o membro com um curativo não-elástico, e ajustar a bandagem cada vez que o inchaço diminui.
Um tratamento muito útil é um tipo de massagem terapêutica chamada drenagem linfática manual. A massagem não deve ser feita se você tiver câncer no membro. As pessoas com linfedema são mais propensas a infecção no braço ou na perna afetada. Se o médico suspeitar que você tem uma infecção, você terá que tomar antibióticos por via oral ou numa veia (via intravenosa).

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
Postar um comentário

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL