quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Hiperplasia: Causas, sintomas e tratamento

Hiperplasia causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Hiperplasia e hiperplasia atípica do tecido da mama são condições benignas da mama (não são câncer). Estas condições não causam quaisquer sintomas ou dor, e normalmente são encontradas por acaso.
Embora elas sejam mais comuns em mulheres, hiperplasia e hiperplasia atípica também podem afetar homens, mas isso é muito raro.

O que é hiperplasia

Os seios são compostos de lóbulos (glândulas produtoras de leite) e ductos (tubos que transportam o leite ao mamilo), que estão rodeados por tecido glandular, fibroso e gorduroso.
Os lóbulos e ductos são revestidos por células chamadas células epiteliais. Por vezes, estas células aumentam em número. Isto é chamado de hiperplasia.
A hiperplasia pode ocorrer nos ductos (hiperplasia ductal) ou nos lóbulos (hiperplasia lobular) e pode ser classificada como leve, moderada ou florida (mais extensa), de acordo com a forma como as células se parecem, sob um microscópio.
Geralmente, a hiperplasia desenvolve-se naturalmente, com as alterações da mama que ocorrem com o avançar da idade. Esta condição pode afetar mulheres de qualquer idade, mas é mais comum em mulheres com mais de 35 anos.

O que é hiperplasia atípica

A hiperplasia atípica também é benigna. Esta ocorre quando as células da mama aumentam em número e também desenvolvem um padrão ou forma invulgar. Esta condição pode ocorrer nos ductos (hiperplasia ductal atípica) ou nos lóbulos (hiperplasia lobular atípica).
Foi demonstrado que ter hiperplasia ductal atípica pode aumentar ligeiramente o risco de desenvolver câncer da mama no futuro.
A hiperplasia lobular atípica é uma forma de neoplasia lobular.


Diagnóstico de hiperplasia

Tanto a hiperplasia como a hiperplasia atípica são normalmente encontradas por acaso após uma mamografia de rotina (raios-X ao peito) ou quando o tecido de uma biópsia (biópsia) do peito é examinada num microscópio de um laboratório.

Tratamento de hiperplasia

Normalmente, a hiperplasia não precisa de nenhum tratamento ou acompanhamento.

Tratamento de hiperplasia atípica

Uma vez que um diagnóstico de hiperplasia atípica é confirmado após uma biópsia, um especialista pode recomendar uma pequena operação para garantir que toda a hiperplasia é removida.
Alternativamente, uma biópsia de excisão assistida a vácuo pode ser recomendada. Após uma injecção de anestésico local, um pequeno corte é feito na pele. Uma sonda oca e ligada a um dispositivo de vácuo é colocada através do corte. Usando um ultrassom ou mamografia como guia, o tecido da mama é sugado através da sonda pelo vácuo, para dentro de uma câmara de recolha. O dispositivo de biopsia é utilizado até que a área a ser investigada seja removida. Isto pode significar que uma operação sob anestesia geral pode ser evitada. O tecido retirado é enviado para um laboratório e examinado sob um microscópio.
O seu especialista pode querer que você seja sujeito a consultas de acompanhamento. Estas podem incluir visitas à clínica e uma mamografia a cada um ou dois anos. Quantas vezes e por quanto tempo você terá de recorrer a consultas de acompanhamento, irá depender do que acontece ao longo do tempo.


Factos sobre hiperplasia

Ter hiperplasia não aumenta o risco de desenvolver câncer da mama. No entanto, ainda é importante estar ciente de que se deve recorrer a um médico quando detetar quaisquer mudanças nos seus seios, independentemente da altura em que isso ocorre após o seu diagnóstico de hiperplasia.
Se você tiver hiperplasia atípica, você pode ficar preocupada ou ansiosa com o facto do risco de câncer da mama ficar ligeiramente aumentado. No entanto, isso não significa necessariamente que você vai desenvolver câncer da mama.
É importante manter as consultas de acompanhamento e continuar a estar ciente da condição.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL