quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Estrabismo: Causas, sintomas e tratameto

Estrabismo causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Estrabismo é um problema visual em que os olhos não estão adequadamente alinhados e apontam para diferentes direções. Um olho pode olhar para a frente, enquanto que o outro olho se volta para dentro, para fora, para cima ou para baixo. A viragem do olho pode ocorrer de modo contínuo, ou pode aparecer e desaparecer. O olho que se mantém em linha reta (e o que está desalinhado) podem mudar ou alterar-se.
Estrabismo é uma condição comum entre as crianças, mas esta condição também pode ocorrer mais tarde, ao longo da vida. A condição pode ocorrer em famílias, no entanto, muitas pessoas com estrabismo não têm parentes com o problema.
Esotropia infantil, condição em que um olho se volta para dentro, é um tipo comum de estrabismo em lactentes. Crianças com esotropia podem não usar os seus olhos em conjunto. Geralmente, a esotropia acomodativa é a forma mais comum de esotropia que ocorre em crianças com 2 anos ou mais. Neste tipo de estrabismo, quando a criança tenta focar os olhos, para que estes possam ver claramente, os olhos terão de voltar-se para dentro. Este cruzamento dos olhos pode ocorrer quando os olhos visualizam ao longe, ao perto ou em ambos os casos.
Exotropia ou um olho que vira para fora, é um outro tipo comum de estrabismo. Isto ocorre mais frequentemente quando uma criança tem necessidade de focar objetos distantes. A exotropia pode ocorrer apenas de vez em quando, especialmente quando uma criança parece sonhar acordada, parece doente ou cansada. Muitas vezes, os pais podem notar que a criança aperta os olhos do mesmo modo que nós apertamos os olhos quando somos sujeitos a luz solar brilhante.

Causas de estrabismo

Seis músculos oculares que controlam o movimento dos olhos estão ligados ao lado de fora de cada olho. Em cada olho, cada pessoa tem um músculo ocular que move o olho para a direita, e um músculo que move o olho para a esquerda. Os outros quatro músculos movem o olho para cima ou para baixo, e em ângulo.
Para alinhar e focar ambos os olhos num único alvo, todos os músculos de cada olho devem estar equilibrados e trabalhar em conjunto. A fim de que os olhos se possam mover em conjunto, os músculos de ambos os olhos devem ser coordenados. O cérebro controla esses músculos.
Numa visão normal, ambos os olhos apontam para o mesmo local. O cérebro, em seguida, combina as duas imagens numa imagem única, tridimensional. Esta imagem tridimensional dá-nos a percepção de profundidade.
Quando um olho fica fora do alinhamento, duas imagens diferentes são enviadas para o cérebro. Numa criança, o cérebro aprende a ignorar a imagem do olho desalinhado e vê apenas a imagem do outro olho. Em seguida, a criança perde a percepção de profundidade.
Muitas vezes, os adultos que desenvolvem estrabismo têm visão dupla porque os seus cérebros já aprenderam a receber imagens de ambos os olhos e não podem ignorar a imagem do olho desviado. Geralmente, uma criança tem visão dupla.

Estrabismo é especialmente comum entre as crianças com distúrbios que podem afetar o cérebro, tais como:
Uma catarata ou lesão no olho que afete a visão também podem causar estrabismo. No entanto, a grande maioria das crianças com estrabismo não tem nenhum desses problemas. Muitas têm uma história familiar de estrabismo.

Ambliopia estrábica

Uma boa visão desenvolve-se durante a infância, quando ambos os olhos têm um alinhamento normal. Estrabismo pode causar visão reduzida ou ambliopia nos olhos desalinhados.
O cérebro vai dar atenção à imagem do olho alinhado e ignorar a imagem do olho cruzado. Se o mesmo olho for constantemente ignorado durante a fase inicial da infância, esse olho desalinhado pode deixar de desenvolver uma boa visão, ou pode até mesmo perder a visão. Ambliopia estrábica ocorre em aproximadamente metade das crianças que têm estrabismo.
Ambliopia pode ser tratada mediante o tapar do olho mais forte para fortalecer e melhorar a visão no olho mais fraco. Se ambliopia for detetada nos primeiros anos de vida, geralmente, o tratamento é bem sucedido. Se o tratamento for retardado, a ambliopia pode tornar-se permanente. Como regra, quanto mais cedo for tratada a ambliopia, melhor será o resultado para a visão.

Sintomas de estrabismo

O principal sinal de estrabismo é um olho que não se encontra alinhado. Por vezes, as crianças vão apertar os olhos como se fossem sujeitas a uma luz solar brilhante ou vão inclinar a cabeça para usar os seus olhos em conjunto.
Muitas vezes, os olhos das crianças parecem estar cruzados, embora na verdade eles não estejam. Esta condição é chamada pseudo-estrabismo. Muitas vezes, as crianças pequenas têm um nariz largo e plano, e uma dobra de pele na pálpebra interna pode fazer os olhos aparecerem cruzados. Esta aparência de pseudo-estrabismo pode melhorar à medida que a criança cresce. Um oftalmologista pode distinguir o verdadeiro estrabismo de um pseudo-estrabismo.


Diagnóstico

Estrabismo pode ser diagnosticado durante um exame da vista. Recomenda-se que todas as crianças entre os 3 e os 4 anos tenham a sua visão verificada pelo seu pediatra, médico de família ou especialista na avaliação de visão de crianças em fase pré-escolar. Qualquer criança que não cumpra este rastreio de visão deverá então ser sujeita a um exame oftalmológico completo por um oftalmologista.
Se houver um histórico familiar de estrabismo ou ambliopia, ou uma história familiar de utilização de óculos grossos, um oftalmologista deve verificar a visão ainda mais cedo do que os 3 anos de idade. Depois de um exame oftalmológico completo, um oftalmologista pode recomendar um tratamento apropriado.

Tratamento de estrabismo

O tratamento de estrabismo tem por objetivo endireitar os olhos e restaurar a visão binocular (dois olhos). Nalguns casos de estrabismo podem ser prescritos óculos para que o seu filho possa endireitar os olhos. Outros tratamentos podem envolver cirurgia para corrigir os músculos desequilibrados do olho ou para remover uma catarata. Muitas vezes torna-se necessário  aplicar patches ou tapar o olho forte para melhorar a ambliopia.
Crianças muito pequenas com esotropia, geralmente requerem cirurgia para realinhar os olhos.
Para esotropia acomodativa, os óculos podem reduzir o esforço de focalização, e muitas vezes podem alinhar os olhos. Por vezes, óculos bifocais são necessários para ver ao perto. Se não existir melhoria significativa no cruzamento dos olhos com os óculos, poderá tornar-se necessário recorrer a uma cirurgia.
Nos casos de exotropia, apesar de os óculos, exercícios, aplicação de patches ou prismas poderem reduzir ou ajudar a controlar a viragem do olho para o exterior, nalgumas crianças, muitas vezes será necessária uma cirurgia.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL