terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Anorexia - Causas e tratamento de anorexia

Anorexia causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Anorexia nervosa, muitas vezes chamada simplesmente de anorexia é um transtorno alimentar caracterizado por um peso corporal anormalmente baixo, medo intenso de ganhar peso e uma percepção distorcida do peso corporal. Pessoas com anorexia colocam uma grande importância em controlar o seu peso e forma, usando esforços extremos que tendem a interferir significativamente com as suas atividades diárias.
Para evitar o ganho de peso ou para continuar a perder peso, normalmente, as pessoas com anorexia restringem severamente a quantidade de comida que ingerem. Elas podem controlar a ingestão de calorias através de vômitos provocados após a ingestão de alimentos ou através do abuso do uso de laxantes, auxiliares de dieta, diuréticos ou enemas. Elas também podem tentar perder peso através de exercício excessivo.
Não importa como é que a perda de peso é alcançada, já que a pessoa com anorexia tem um medo intenso de ganhar peso.
Anorexia não é realmente um problema com o alimento, mas antes uma forma insalubre para tentar lidar com problemas emocionais. Quando você tem anorexia, muitas vezes você equipara magreza com auto-estima.
Anorexia pode ser muito difícil de ultrapassar. Mas com tratamento adequado, você pode ter uma melhor noção de quem você é, e voltar a hábitos alimentares mais saudáveis, podendo reverter algumas das complicações graves de anorexia.

Sintomas de anorexia

Os sinais físicos e sintomas de anorexia nervosa estão relacionados com a falta de ingestão de alimentos, mas o transtorno também inclui questões emocionais e comportamentais relacionadas a uma percepção irrealista do peso corporal e um medo extremamente forte de ganhar peso ou de ficar gordo.

Sintomas físicos de anorexia

Sinais e sintomas físicos de anorexia podem incluir:

Sintomas emocionais e comportamentais de anorexia

Sintomas comportamentais de anorexia podem incluir tentativas de perder peso por meio de:
  • Restringir severamente a ingestão de alimentos através de dieta ou jejum, podendo incluir exercício excessivo
  • Vômitos auto-induzidos para se livrar dos alimentos, que pode incluir o uso de laxantes, enemas, auxiliares de dieta ou produtos à base de plantas

Causas de anorexia

A causa exata da anorexia nervosa é desconhecida. Tal como acontece com muitas doenças, provavelmente existe uma combinação de fatores biológicos, psicológicos e ambientais:
  • Biológicos. Embora ainda não esteja claro quais os genes que estão envolvidos, pode haver mudanças genéticas que tornam algumas pessoas mais vulneráveis a desenvolver anorexia. Algumas pessoas podem ter uma tendência genética para o perfeccionismo, sensibilidade e perseverança, que são todos traços associados à anorexia.
  • Psicológicos. Algumas características emocionais podem contribuir para a anorexia. As mulheres jovens podem ter traços de personalidade obsessiva-compulsiva que tornam mais fácil manter dietas rigorosas e renunciar a alimentos, apesar de estarem com fome. Elas podem ter uma preocupação extrema com o perfeccionismo, levando-as a pensar que nunca estão suficientemente magras. Elas também podem ter altos níveis de ansiedade e restringir a sua alimentação para ficarem mais magras.
  • Meio Ambiente. A cultura ocidental moderna enfatiza a magreza. Sucesso e valer a pena são muitas vezes sinónimo de ser magro. A pressão dos colegas pode ajudar a alimentar o desejo de ser magro, particularmente entre os jovens.

Complicações associadas a anorexia

Anorexia nervosa pode ter inúmeras complicações. Na sua forma mais grave, pode ser fatal. A morte pode ocorrer de repente (mesmo quando alguém não está severamente abaixo do peso). Isto pode resultar de ritmos cardíacos anormais (arritmias) ou de um desequilíbrio de electrólitos (minerais, tais como sódio, potássio e cálcio que mantêm o equilíbrio de fluidos no seu corpo).
Outras complicações da anorexia incluem:
  • Anemia
  • Problemas cardíacos, tais como prolapso da válvula mitral, ritmos cardíacos anormais ou insuficiência cardíaca
  • Perda de massa óssea, aumentando o risco de fraturas mais tarde ao longo da vida
  • Nas mulheres, a ausência de um período mesntrual
  • Nos homens, diminuição da testosterona
  • Problemas gastrointestinais, como prisão de ventre, inchaço ou náuseas
  • Anormalidades eletrolíticas, tais como baixo nível de potássio no sangue, sódio e cloreto
  • Problemas renais
  • Suicídio

Diagnóstico de anorexia

Se o seu médico suspeitar que você tem anorexia nervosa, normalmente, ele irá executar vários testes e exames para ajudar a apontar um diagnóstico, descartar causas médicas para a perda de peso e verificar as possíveis complicações relacionadas.
Geralmente, estes exames e testes incluem:
  • Exame físico. Este pode incluir a medição da sua altura e peso; verificar os seus sinais vitais, tais como frequência cardíaca, pressão arterial e temperatura; verificar a sua pele e unhas para procurar por problemas; ouvir o seu coração e pulmões; e examinar o seu abdômen.
  • Testes de laboratório. Estes podem incluir um hemograma completo (CBC) e exames de sangue mais especializados para verificar eletrólitos e proteínas, bem como o funcionamento do seu fígado, rim e tireoide. A urina também pode ser testada.
  • Avaliação psicológica. Provavelmente, um médico ou profissional de saúde mental irá fazer perguntas sobre os seus pensamentos, sentimentos e hábitos alimentares. Você também pode ser solicitado a preencher questionários de auto-avaliação psicológica.
  • Outros estudos. Raios-X podem ser tomados para verificar a sua densidade óssea, para verificar se existem fraturas por estresse ou ossos quebrados, ou para verificar se existem problemas do coração ou pneumonia. Um eletrocardiograma pode ser feito para procurar irregularidades cardíacas. Os testes também pode ser feitos para determinar a quantidade de energia que o seu corpo usa, o que pode ajudar no planejamento de necessidades nutricionais.

Critérios diagnósticos para anorexia

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), publicado pela Associação Americana de Psiquiatria, é usado por especialistas de saúde mental para diagnosticar condições mentais, mas também são usados por companhias de seguros para reembolsar tratamentos.
Os critérios de diagnóstico DSM-5 para anorexia incluem:
  • Restringir a ingestão de alimentos, que inclui comer menos do que o necessário para manter um peso corporal que é igual ou superior ao peso normal mínimo para a sua idade e altura.
  • Medo de ganhar peso, um medo intenso de ganhar peso ou ficar gordo, ou um comportamento persistente que interfere com o ganho de peso, tais como vômitos ou uso de laxantes, mesmo que a pessoa esteja abaixo do peso.
  • Problemas com a imagem corporal, negando a gravidade de ter um baixo peso corporal, e ligar o seu peso à sua auto-estima, ou descrever uma imagem distorcida da sua aparência ou forma.

Tratamento de anorexia

Quando você tem anorexia nervosa, você pode precisar de vários tipos de tratamento. Geralmente, o tratamento é feito usando uma abordagem de equipe que inclui prestadores de serviços médicos, profissionais de saúde mental e nutricionistas, todos com experiência em transtornos alimentares. Terapia contínua e educação nutricional são muito importantes para uma recuperação continuada.
Deixamos aqui uma imagem  do que está comumente envolvido no tratamento de pessoas com anorexia.

Hospitalização e outros programas para anorexia

Se a sua vida estiver em perigo imediato, você pode necessitar de tratamento num serviço de emergência de um hospital para resolver problemas como uma perturbação do ritmo cardíaco, desidratação, desequilíbrio eletrolítico ou problemas psiquiátricos. A hospitalização pode ser necessária para complicações médicas, emergências psiquiátricas, desnutrição grave ou persistente recusa para comer. A hospitalização pode ocorrer numa ala médica ou psiquiátrica.
Algumas clínicas são especializadas no tratamento de pessoas com transtornos alimentares. Algumas podem oferecer programas diários ou programas residenciais, em vez de internação integral. Especializados programas de transtorno alimentar podem oferecer um tratamento mais intensivo durante longos períodos de tempo.

Cuidados médicos para anorexia

Por causa das várias causas de complicações da anorexia, pode ser necessário recorrer a monitorização frequente dos sinais vitais, nível de hidratação e eletrólitos, bem como avaliação das condições físicas relacionadas. Em casos graves, as pessoas com anorexia podem, inicialmente, precisar de ser alimentadas através de um tubo que é colocado no seu nariz, para o estômago (sonda nasogástrica).
Um médico de cuidados primários pode ser a pessoa que coordena o cuidado com os outros profissionais de saúde envolvidos. Porém, por vezes, é o profissional de saúde mental que coordena os cuidados.

A restauração de um peso saudável na anorexia

O primeiro objetivo do tratamento é retornar a um peso saudável. Você não pode recuperar de um transtorno alimentar sem restaurar um peso adequado e aprender a manter uma nutrição adequada.
Um psicólogo ou outro profissional de saúde mental pode trabalhar com você para desenvolver estratégias comportamentais que podem ajudá-lo a voltar a um peso saudável. Um nutricionista pode oferecer orientação para voltar para padrões regulares de alimentação, incluindo o fornecimento de planos de refeições específicas e necessidades de calorias que ajudam a atender as suas metas de peso. Provavelmente, a sua família também será envolvida na ajuda da manutenção de hábitos alimentares normais.

Psicoterapia para anorexia

Alguns tipos de terapia podem ser benéficos. Estes incluem:
  • Terapia baseada na família. Este é o único tratamento baseado em evidências para adolescentes com anorexia. Porque o adolescente com anorexia não é capaz de fazer boas escolhas sobre alimentação e saúde, enquanto permanece sob este estado grave, esta terapia mobiliza os pais para ajudar os seus filhos com a reeducação alimentar e restauração do peso, até que o adolescente possa fazer boas escolhas para a sua saúde.
  • Terapia individual. Para os adultos, terapia cognitivo-comportamental (especificamente terapia cognitivo-comportamental reforçada) foi demonstrada como podendo ajudar. O principal objetivo é normalizar os padrões e comportamentos alimentares para apoiar o ganho de peso. O segundo objetivo é ajudar a mudar crenças e pensamentos distorcidos que mantêm a restrição do alimento. Geralmente, este tipo de terapia é feito uma vez por semana ou através de um programa de tratamento diário, mas nalguns casos, pode ser parte de um tratamento num hospital psiquiátrico.
Também poderá gostar de ler:

Postar um comentário
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL