quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Alergia ao látex - Causas e trtatamento de alergia ao latex

Alergia ao látex causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
A alergia ao látex é uma hipersensibilidade ao látex, que é uma substância natural feita da seiva leitosa da seringueira. As alergias ao látex surgem quando o sistema imunitário, que normalmente protege o organismo contra bactérias, vírus e toxinas, também reage ao látex. Em qualquer tipo de alergia, quando o sistema imune reage contra uma substância inofensiva, a substância é chamada de alérgeno.

Causas de alergia ao látex

Quando o sistema imune deteta o alérgeno, um tipo de anticorpo denominado imunoglobulina E (IgE) é produzido, provocando a libertação de produtos químicos dentro do corpo. Um produto químico é a histamina. A histamina é parcialmente responsável pela vermelhidão, coceira e inchaço que podem ocorrer na pele durante uma reação alérgica, o que produz sintomas de urticária, erupções cutâneas, um corrimento nasal, e olhos inchados e lacrimejantes. A histamina também pode levar a dificuldades de respiração e a uma reação denominada anafilaxia alérgica grave que pode incluir uma queda súbita da pressão sanguínea, aumento no pulso, e inchaço dos tecidos.
O látex é um material flexível, elástico e relativamente barato, que é utilizado num certo número de cuidados de saúde e produtos ao consumidor. Atendendo a que forma uma barreira eficaz contra organismos infecciosos, o látex é usado em artigos hospitalares e artigos médicos, tais como luvas cirúrgicas e de exame, e algumas partes do tubo anestésico, sacos de ventilação, tubo respiratório e linhas intravenosas. Além disso, é utilizado na fabricação de inúmeros produtos de consumo, incluindo balões, preservativos, diafragmas, luvas de borracha, solas de sapato e de ténis, mamilos para mamadeiras e chupetas, brinquedos, mangueiras de borracha e pneus. Sete milhões de toneladas métricas de látex são usadas na fabricação a cada ano.
Como o uso de produtos de látex aumenta, o mesmo acontece com a incidência de alergia ao látex. Luvas de exame de látex são utilizadas rotineiramente quando os profissionais de saúde promovem os procedimentos ou lidam com fluidos corporais. Por causa da sua exposição ao látex, os profissionais de saúde estão em maior risco de desenvolver uma hipersensibilidade a produtos de látex.
Além de trabalhadores cujas ocupações os expõem ao látex, as pessoas que sofrem repetidos procedimentos cirúrgicos também podem desenvolver alergia ao látex. Por exemplo, as crianças nascidas com o defeito de nascença chamado espinha bífida, geralmente são expostas repetidamente a produtos de látex, porque elas precisam de uma série de procedimentos médicos e cirúrgicos. Cerca de 50% das crianças com espinha bífida desenvolvem uma alergia ao látex.
As pessoas podem tornar-se sensíveis ao látex, como resultado do contato direto com produtos de borracha natural. A inalação de partículas de látex é uma forma comum que faz com que os profissionais de saúde se possam tornar sensiveis ao látex. Muitas luvas médicas são revestidas com amido de milho para as tornar mais fáceis de puxar e retirar. O amido de milho absorve as proteínas do látex, e, em seguida, carrega-os no ar, onde eles podem ser inalados.

Sintomas de alergia ao látex

Tal como acontece com qualquer tipo de alergia, geralmente, a primeira exposição a alergénios de látex não causa qualquer reação. No entanto, esta primeira exposição pode sensibilizar o sistema imunitário para o alérgeno, o que pode causar sintomas após exposições posteriores.
Quando a sensibilidade ocorre decido a um aditivo químico utilizado na fabricação de látex, a reação ocorre tipicamente um a dois dias após a exposição, e normalmente envolve uma forma de dermatite de contato, uma erupção cutânea que se assemelha a hera venenosa. Geralmente, a pele fica vermelha, rachada e com bolhas.
Quando existe sensibilidade à proteína do látex, sintomas mais graves podem ocorrer dentro de alguns minutos de exposição. Os sintomas incluem urticária, coriza (rinite alérgica) e asma alérgica. Em raras ocasiões, este tipo de alergia pode causar anafilaxia, uma reação alérgica grave que pode incluir uma queda súbita da pressão arterial, aumento da pulsação, dificuldade para respirar e inchaço dos tecidos. Sem tratamento rápido e adequado, anafilaxia pode levar a inconsciência e, raramente, a morte.


Diagnóstico de alergia ao látex

O médico pode suspeitar que os seus sintomas estão relacionados com uma sensibilidade ao látex, se você tiver uma história de exposição a este produto seguida pelo aparecimento de sintomas. Se você tiver outras alergias e condições alérgicas, você pode ser mais suscetível à alergia ao látex. Exemplos de condições alérgicas são a asma, a febre dos fenos ou eczema (dermatite atópica). Também parece haver uma ligação entre alergias ao látex e alergias a certos alimentos como abacate, banana, kiwi, abacaxi, tomate e castanhas.
Juntamente com o seu histórico de exposição, um exame de sangue chamado de RAST pode ajudar a determinar a sua sensibilidade ao látex. O RAST mede a quantidade de anticorpos IgE associados ao látex no seu sangue. Um teste cutâneo para alergia ao látex também pode ser realizado. Nalguns casos, os ensaios de desafio com produtos de látex são utilizados para confirmar o diagnóstico. Num teste de desafio, você fica longe do alérgeno suspeito por um período de tempo, e, em seguida, é exposto à substância para verificar se você desenvolve sintomas.


Tratamento de alergia ao látex

O tratamento mais importante para profissionais com alergia ao látex é evitar exposições repetidas, porque as exposições repetidas podem aumentar a sensibilidade. Pessoas com alergia ao látex podem precisar de ser transferidas para diferentes funções de trabalho ou podem ter de mudar de profissão.
Uma vez que você tenha uma reação ao látex, o tratamento depende do tipo e da gravidade da sua reação. Um anti-histamínico pode bloquear as ações da histamina, pelo que pode diminuir a coceira e inchaço. Medicamentos de corticosteróides, os quais são agentes anti-inflamatórios potentes, são usados para os sintomas mais graves. Estas fórmulas estão disponíveis na forma de comprimidos, produtos nasais, sprays, ou cremes tópicos. Apesar dos medicamentos de corticosteróides poderem ser muito eficazes contra reações alérgicas, eles podem produzir efeitos secundários graves, quando são utilizados em doses elevadas durante longos períodos de tempo. O seu médico irá pesar os benefícios e os riscos dos efeitos colaterais, e usará a menor dose que possa funcionar para o seu caso, se você precisar deles.
Anafilaxia, a reação alérgica mais grave, pode fazer com que os vasos sanguíneos se dilatem e possam limitar as passagens de ar dos pulmões, levando a respiração ofegante, dificuldades de respiração e uma queda na pressão arterial. Nos casos mais graves, perda de consciência e morte podem ocorrer. Anafilaxia requer uma injeção de emergência de epinefrina (adrenalina) e tratamento com fluidos intravenosos.
Se você tiver uma alergia ao látex, considere manter um kit de adrenalina de emergência.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL