sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Mononucleose infecciosa - Causas e tratamento

Mononucleose infecciosa causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
A mononucleose infecciosa é uma doença causada por uma infecção viral, sendo comumente chamada de mononucleose ou "mono". Mononucleose infecciosa é mais frequentemente causada pelo vírus Epstein-Barr, mas nalguns casos é causada por outros vírus.

Causas de mononucleose infecciosa

Mononucleose infecciosa foi apelidada de "doença do beijo", porque o vírus de Epstein-Barr é comumente transmitido durante os beijos. No entanto, espirros e tosses também podem transmitir o vírus.
Mononucleose infecciosa ocorre tipicamente pela primeira vez numa pessoa infetada com o vírus de Epstein-Barr. Mas a infecção com o vírus Epstein-Barr nem sempre causa mononucleose infecciosa. Muitas vezes, provoca apenas uma doença leve ou não provoca nenhuma doença.

Sintomas de mononucleose infecciosa

Normaçmente, os primeiros sintomas da mononucleose infecciosa incluem:
Normalmente, em breve, estes sintomas são seguidos por:

Diagnóstico para mononucleose infecciosa

O seu médico irá formular perguntas sobre o seu histórico médico e sintomas atuais. Ele vai querer saber sobre uma recente exposição a qualquer pessoa com sintomas de mononucleose.
Durante um exame físico, o médico irá procurar por sinais de mononucleose infecciosa. Estes podem incluir:
  • Febre
  • A garganta avermelhada com hipertrofia de amígdalas
  • Inchaço dos gânglios linfáticos no pescoço e noutros locais
  • Um aumento do baço
  • Uma erupção vermelha, geralmente no peito
O seu médico também poderá recorrer a exames de sangue para ajudar a fazer um diagnóstico. Os resultados destes testes de sangue podem não ser anormais até que a pessoa esteja doente há pelo menos uma semana.
Dois tipos de exames de sangue ajudam a fazer o diagnóstico:
  • Contagem diferencial de glóbulos brancos. Este teste mede os níveis de diferentes tipos de células brancas do sangue. Nas primeiras semanas de mononucleose infecciosa, o número de linfócitos (um tipo de glóbulo branco) são bastante elevados. Existe também um grande número de linfócitos incomuns, chamados de "linfócitos atípicos".
  • Testes heterófilos. A mononucleose infecciosa faz com que as células brancas do sangue possam produzir um tipo incomum de anticorpo chamado anticorpo heterófilo. Este teste mede os níveis de anticorpos heterófilos.

Tratamento para mononucleose infecciosa

Não existe cura médica para a mononucleose. Geralmente, a condição desaparece por conta própria.
A maioria dos tratamentos concentra-se em manter a pessoa mais confortável. Normalmente, a recuperação exige muito descanso, ingestão de muitos líquidos e tratamento dos sintomas.
Bebidas frias, sobremesas congeladas e gargarejo com água salgada podem ajudar a aliviar uma dor de garganta.
Ibuprofeno (Advil, Motrin) ou acetaminofeno (Tylenol) podem ser tomados para combater a febre e dores no corpo.
Prednisona pode encolher as amígdalas que ficam tão inchadas que se torna difícil respirar.

É importante proteger o baço da rutura. Evite atividades extenuantes, especialmente esportes de contato, durante pelo menos quatro semanas. Você deve esperar ainda mais tempo, se o seu médico encontrar o seu baço ainda ampliado.

Prevenção de mononucleose infecciosa

Esta doença é mais contagiosa durante a sua fase aguda. Isto é, quando a pessoa afetada ainda tem uma febre.
Pessoas com mononucleose infecciosa não precisam de ser mantidas isoladas de outras pessoas. No entanto, muitos médicos recomendam que o paciente evite beijar outras pessoas, enquanto estiver a sentir-se mal. Isto ajuda a evitar a disseminação da infecção.

Algumas autoridades também aconselham evitar compartilhar alimentos, bebidas ou utensílios durante as primeiras semanas da doença.

Postar um comentário
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL