quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Dor pélvica - Causas e tratamento

Dor pélvica causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
A dor pélvica é uma dor que ocorre na parte mais baixa do abdômen e na pelve. Nas mulheres, a dor pélvica pode referir-se a sintomas decorrentes dos sistemas reprodutivos, urinários ou digestivos, ou pode ter origem em fontes músculo-esqueléticas.
Dependendo da sua fonte, a dor pélvica pode ser maçante ou afiada, podendo ser constante ou intermitente, e pode ser leve, moderada ou grave. Por vezes, esta dor pode irradiar para a região lombar, nádegas ou coxas. Por vezes você pode notar este tipo de dor apenas em determinados momentos, como quando você urina ou durante a atividade sexual.
A dor pélvica pode ocorrer de repente, de forma acentuada e rapidamente (aguda) ou a longo prazo (crônica). A dor pélvica crônica refere-se a qualquer dor pélvica constante ou intermitente que está presente há seis meses ou mais.

Causas de dor pélvica

Vários tipos de doenças e condições podem causar este tipo de dor. A dor crônica pode resultar de mais de uma condição.
A dor pélvica pode surgir a partir do seu sistema digestivo, reprodutivo ou urinário. Recentemente, os médicos têm reconhecido que alguma desta dor, dor pélvica crônica em particular, também pode surgir a partir de músculos e tecido conjuntivo (ligamentos) nas estruturas do assoalho pélvico. Ocasionalmente, esta dor pode ser causada por irritação dos nervos na pelve.

Causas associadas ao sistema reprodutor feminino

A dor decorrente do sistema reprodutor feminino pode ser causada por condições tais como:
  • Adenomiose
  • Endometriose
  • Cólicas menstruais (dismenorreia)
  • A gravidez ectópica (ou outras condições relacionadas com a gravidez)
  • Mittelschmerz (dor associada a ovulação)
  • Câncer de ovário
  • Cistos ovarianos
  • Doença inflamatória pélvica (DIP)
  • Miomas uterinos
  • Vulvodinia

Outras causas

Exemplos de outras possíveis causas de dor pélvica, que pode ocorrer em mulheres ou homens incluem:
  • Apendicite
  • Câncer de colo do útero
  • Constipação crônica
  • Doença de Crohn
  • Diverticulite
  • Fibromialgia
  • Hérnia inguinal
  • Cistite intersticial (também chamada de síndrome da bexiga dolorosa)
  • Obstrução intestinal
  • Síndrome do intestino irritável
  • Pedras nos rins
  • Abuso físico ou sexual passado
  • Espasmos dos músculos do assoalho pélvico
  • Prostatite
  • Colite ulcerativa
  • Infecção do trato urinário (ITU)

Sintomas associados a dor pélvica que sugerem um problema

Os sintomas associados a este tipo de dor que podem indicar um problema médico podem incluir:
  • Agravamento das cólicas menstruais
  • Dor menstrual
  • Sangramento vaginal, manchas ou corrimento
  • Dificuldade para urinar e dor quando se urina
  • Obstipação ou diarreia
  • Inchaço ou gás
  • Sangue visualizado num movimento intestinal
  • Dor durante a relação sexual
  • Febre ou calafrios
  • Dor na zona da anca
  • Dor na região da virilha

Quando consultar um médico

Se de repente, você desenvolver dor pélvica grave, que possa ser uma emergência médica, você deve procurar assistência médica imediatamente. Certifique-se de que a dor pélvica possa ser verificada pelo seu médico se esta ocorrer pela primeira vez, se interromper a sua vida diária, ou se ela tem piorado ao longo do tempo.

Como preparar a consulta médica

Dicas que o podem ajudar a obter o máximo provito da sua consulta médica incluem:
  • Antes da sua consulta médica, escreva as perguntas que você quer colocar ao seu médico.
  • Leve alguém com você, para ajudá-lo a fazer perguntas e lembrar o que seu médico lhe transmite.
  • No decorrer da consulta médica, anote os nomes dos novos medicamentos, tratamentos ou exames e quaisquer novas instruções que o seu médico lhe forneça.
  • Se você tiver necessidade de recorrer a uma consulta de acompanhamento, anote a data, hora, e um propósito para essa visita.
  • Saiba como é que pode entrar em contato com o seu médico, no caso de vir a ter algumas dúvidas.

Diagnóstico de dor pélvica

Para determinar o que está a causar a dor pélvica, primeiramente, o seu médico vai fazer-lhe várias perguntas sobre os seus sintomas e problemas médicos passados. Ele também irá realizar um exame físico e pode solicitar testes para determinar o que está a causar a sua dor. Exames que podem ser solicitados, incluem:
  • Exames de sangue e urina
  • Testes de gravidez em mulheres em idade reprodutiva
  • Cultura vaginal ou peniana, para verificar se existem doenças sexualmente transmissíveis, como gonorreia ou clamídia
  • Raios-X abdominais e pélvicos
  • Rastreio da densidade óssea (tipo especial de raios-X para determinar a força do osso)
  • Laparoscopia diagnóstica (procedimento que permite um olhar direto sobre as estruturas na pelve e abdômen)
  • Histeroscopia (procedimento para examinar o útero)
  • Exame de fezes (verificação de uma amostra de fezes para verificar a presença de sangue)
  • Endoscopia inferior (inserção de um tubo iluminado para examinar o interior do reto e parte ou a totalidade do cólon)
  • Ultrassom (exame que utiliza ondas sonoras para fornecer imagens dos órgãos internos)
  • Tomografia computadorizada do abdômen e da pelve (varredura que usa raios-X e computadores para produzir uma imagem de uma secção transversal do corpo)

Tratamento de dor pélvica

O tratamento da dor pélvica varia em função da causa, da intensidade da dor, e de quantas vezes a dor ocorre. Por vezes, a dor é tratada com medicamentos, incluindo antibióticos, se tal se tornar necessário. Se a dor resultar de um problema com um dos órgãos pélvicos, o tratamento pode envolver cirurgia ou outros procedimentos. Um médico pode fornecer mais informações sobre os vários tratamentos para a dor pélvica.
Na prática poderá afirmar-se que a dor pélvica é um sintoma associado a um condição médica, pelo que, o tratamento definitivo terá de promover o tratamento da condição que motiva a dor. 


Pontos chave sobre dor pélvica

Este tipo de dor é um problema comum entre as mulheres. A sua natureza e intensidade podem variar, e muitas vezes a sua causa é pouco clara.
A dor pode ser aguda ou crônica.
O tratamento específico dependerá da causa, tal como determinado por exame físico e testes.
O tratamento pode incluir medicamentos, cirurgia, fisioterapia e técnicas de gestão da dor.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL