sábado, 8 de outubro de 2016

Sarcoma de Ewing - Causas e tratamento de sarcoma de Ewing

Sarcoma de Ewing causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Sarcoma de Ewing é um câncer muito raro que aparece como um tumor sólido, mais frequentemente em crianças e adolescentes. A maioria dos casos ocorre entre as idades de 10 e 20 anos, e cerca de um quarto dos casos ocorre antes dos 10 anos. Apenas uma pequena percentagem de pessoas com sarcoma de Ewing tem mais de 20 anos. Quase todas as pessoas com este tipo de câncer são brancas.
Atendendo a que o sarcoma de Ewing se desenvolve tipicamente nos ossos, costumava ser considerado um câncer ósseo. Mas, na verdade, esta condição surge a partir de um tipo de célula nervosa primitiva. É por isso que o sarcoma de Ewing pode ocorrer nos tecidos moles do corpo. Quando isso acontece, ele é chamado de sarcoma de Ewing não-ósseo.
Geralmente, o sarcoma de Ewing desenvolve-se nos braços ou pernas. No entanto, pode ocorrer na pélvis, costelas, coluna vertebral, e, em casos raros, noutros ossos ou tecidos moles. Quando diagnosticado, cerca de um quarto dos casos do sarcoma de Ewing já se espalharam (metástase) para outra parte do corpo. Os locais mais comuns de metástase são
os pulmões, outro osso ou a medula óssea.

Causas de sarcoma de Ewing

Como outros tipos de câncer, o sarcoma de Ewing é causado por células anormais que se multiplicam sem controle. As células de sarcoma de Ewing parecem ter uma mudança no material químico (ADN) que a pessoa herdou dos seus progenitores. Esta modificação, designada por uma translocação, geralmente, envolve um rearranjo de ADN entre dois cromossomas. No entanto, o problema não é herdado, mas desenvolve-se após o nascimento.
Sarcoma de Ewing não parece estar relacionada com:
  • Exposição à radiação
  • Exposição a produtos químicos
  • Outros fatores ambientais
Ninguém sabe o que faz com que ocorra a mudança genética que leva ao sarcoma de Ewing.

Sintomas de sarcoma de Ewing

Os sintomas do sarcoma de Ewing incluem:
  • Dor persistente e inchaço num braço ou perna, que pode ocorrer em repouso e até pode despertar a pessoa durante o sono
  • Um nódulo firme no braço ou perna, que por vezes motiva sensibilidade
  • Mancar (se o tumor afetar a perna)
  • Dificuldade respiratória (se o tumor afetar as costelas)
  • Febre
  • Perda de peso.
Em crianças fisicamente ativas, a dor e inchaço devidos ao sarcoma de Ewing podem ser confundidos com sintomas de uma lesão esportiva. Em pessoas que têm febre, os sintomas do sarcoma de Ewing podem ser confundidos com os de uma infecção óssea. Como resultado, o diagnóstico de sarcoma de Ewing pode levar tempo.

Diagnóstico para sarcoma de Ewing

Depois de revisar os seus sintomas, o médico irá examinar a área dolorosa. O médico irá verificar a área para a temperatura, vermelhidão, inchaço, sensibilidade, movimento limitado e quaisquer sinais de que uma articulação esteja envolvida. Os exames de sangue e urina e um raio-X da área seguem-se geralmente ao exame físico.
Na maioria dos casos, os resultados dos testes laboratoriais são normais porque os testes de sangue e urina não podem confirmar o diagnóstico de sarcoma de Ewing. No entanto, normalmente, o raio-X irá mostrar uma anormalidade consistente com sarcoma de Ewing, ou outro problema, tal como a destruição do osso.
Se o seu médico encontrar provas de raio-X de um tumor ósseo, ele irá encaminhá-lo para um hospital que tenha instalações, pessoal, e experiência para tratar o câncer de osso. Lá, você será sujeito a diversos testes, como uma ressonância magnética, para verificar se o tumor invadiu outras estruturas.
Após a localização do tumor ser determinada, você será sujeito a uma biópsia para confirmar o diagnóstico de sarcoma de Ewing. Durante uma biópsia, uma pequena quantidade de tecido é removida e examinada num laboratório.
Provavelmente, haverá necessidade de realizar uma radiografia de tórax, tomografia computadorizada e uma cintilografia óssea. Uma PET scan também pode ser encomendada. Juntamente com uma biópsia de medula óssea, estes testes podem mostrar se o câncer se espalhou para os pulmões, outros ossos ou para a medula óssea.


Tratamento para sarcoma de Ewing

O sarcoma de Ewing é tratado com cirurgia, radioterapia e/ou quimioterapia. A escolha do tratamento depende do tamanho do tumor e da quantidade de tecido vizinho que foi invadido.
De modo a parar o crescimento ou disseminação do tumor, os médicos podem remove-lo cirurgicamente ou tratá-lo com radiação. Normalmente, os cirurgiões podem remover o tumor sem amputar o membro. Em seguida, o cirurgião preenche a área com um enxerto de osso ou material artificial (prótese), de modo que o paciente possa manter tanto quanto possível a sua função. Se o câncer se espalhou para os pulmões, os cirurgiões abrem o peito para remover o máximo de câncer possível. A radioterapia também é muito eficaz no tratamento do sarcoma de Ewing.
Quase sempre, a quimioterapia é utilizada em adição à radiação e/ou cirurgia. Por vezes, os médicos recorrem a quimioterapia antes da cirurgia, o que torna mais fácil a remoção do tumor. A quimioterapia também diminui a probabilidade de que o tumor se espalhe para outras partes do corpo.
Se o tratamento for bem sucedido, serão necessárias visitas de acompanhamento com o seu médico durante muitos anos. Isto ocorre porque o sarcoma de Ewing pode retornar nos 10 anos seguintes ao diagnóstico. Além disso, se você receber terapia de radiação, um segundo câncer pode desenvolver-se no local onde recebeu a radiação. Você também pode sofrer efeitos colaterais tardios da quimioterapia. Periodicamente o seu médico pode solicitar:
  • Exames de sangue para monitorizar as contagens de sangue e função renal
  • Um ecocardiograma para monitorar a função cardíaca

Prevenção de sarcoma de Ewing

Não existe nenhuma forma conhecida de evitar o sarcoma de Ewing.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL