quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Insônia - Causas e tratamento de insônia

Insônia causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
A insônia é um distúrbio persistente que pode causar dificuldade para adormecer, dificuldade para permanecer adormecido ou ambas as situações, apesar da oportunidade para um sono adequado. Com insônia, você geralmente desperta sentindo-se cansado, o que motiva uma perda de capacidade para funcionar devidamente durante o dia. A insônia pode minar não só o seu nível de energia e humor, como também a sua saúde, desempenho no trabalho e qualidade de vida.
O tempo de sono considerado suficiente varia de pessoa para pessoa. A maioria dos adultos precisa de sete a oito horas de sono por noite.
Muitos adultos experimentam insônia em algum momento da sua vida, mas algumas pessoas têm insônia de longo prazo (crônica). A insônia pode ser o problema principal, ou pode ser secundária a outras causas, tais como uma doença ou medicação.
Você não tem que passar noites sem dormir. Mudanças simples nos seus hábitos diários, muitas vezes podem ajudar.

Causas de insônia

As causas mais comuns de insônia incluem:
  • Estresse. As preocupações com o trabalho, escola, saúde ou família podem manter a sua mente ativa durante a noite, o que pode dificultar o sono. Os eventos estressantes (como a morte ou doença de um ente querido, divórcio ou uma perda de emprego) podem levar à insônia.
  • Ansiedade. Ansiedades diárias, bem como transtornos de ansiedade mais graves, tais como transtorno de estresse pós-traumático, podem perturbar o seu sono. Preocupar-se antes de dormir pode tornar mais difícil adormecer.
  • Depressão. Você pode querer dormir demais ou ter problemas para dormir, se estiver deprimido. Muitas vezes, a insônia também ocorre com outros distúrbios de saúde mental.
  • Condições médicas. Se você tiver dor crônica, dificuldades respiratórias ou uma necessidade de urinar com frequência, você pode desenvolver insônia. Exemplos de condições associadas com a insónia incluem artrite, câncer, insuficiência cardíaca, doença pulmonar, doença de refluxo gastroesofágico (DRGE), distúrbios da tireoide, acidente vascular cerebral, doença de Parkinson e doença de Alzheimer.
  • Mudanças no seu ambiente ou horário de trabalho. Viajar ou trabalhar a uma hora tardia ou precoce pode perturbar o ritmo circadiano do seu corpo, o que torna difícil dormir. Os seus ritmos circadianos agem como um relógio interno, orientando situações tais como o ciclo sono-vigília, o metabolismo e a temperatura corporal.
  • Maus hábitos de sono. Maus hábitos de sono incluem uma programação irregular do sono, atividades estimulantes antes de dormir, um ambiente de sono desconfortável, e uso da sua cama para outras finalidades diferentes de dormir ou atividades sexuais.
  • Medicamentos. Muitos medicamentos podem interferir com o sono, incluindo alguns antidepressivos, medicamentos para problemas cardíacos e de pressão, medicamentos anti-alérgicos, estimulantes (como Ritalin) e corticosteroides. Muitos medicamentos de venda livre, incluindo algumas combinações de medicação para a dor, descongestionantes e produtos para perda de peso, contêm cafeína e outros estimulantes.
  • A cafeína, nicotina e álcool. Café, chá, cola e outras bebidas que contêm cafeína são estimulantes bem conhecidos. Beber café no final da tarde ou mais tarde pode fazer com que você não consiga pegar no sono durante a noite. A nicotina nos produtos de tabaco é outro estimulante que pode causar insônia. O álcool é um sedativo que pode ajudar a adormecer, mas impede estágios mais profundos do sono, e muitas vezes pode fazer com que você acorde no meio da noite.
  • Comer muito tarde durante a noite. Promover um lanche leve antes de dormir pode ser agradável, mas comer demais pode fazer com que você se sinta fisicamente desconfortável, o que torna difícil conseguir dormir. Muitas pessoas também experimentam azia, um refluxo de ácido e alimento do estômago para o esôfago depois de comer, o que pode mantê-lo acordado.

Diagnóstico de insônia

Além de fazer-lhe uma série de perguntas, o seu médico pode preencher um questionário para determinar o seu padrão de sono-vigília e o seu nível de sonolência diurna. Você também pode ser solicitado a manter um diário de sono por um par de semanas, se você não tiver feito isso antes.
Provavelmente, o seu médico irá fazer um exame físico para procurar sinais de outros problemas que possam estar a causar insônia. Ocasionalmente, um exame de sangue pode ser feito para verificar se existem problemas de tireoide ou outras condições que possam causar o problema.
Se a causa da sua insônia não for clara, ou se você tiver sinais de um outro distúrbio do sono, como apnéia do sono ou síndrome das pernas inquietas, você pode precisar de passar uma noite num centro de sono. Os testes são feitos para monitorar e registar uma variedade de atividades do corpo enquanto você dorme, incluindo as ondas cerebrais, respiração, batimentos cardíacos, movimentos oculares e movimentos corporais.

Tratamento para insônia

Mudanças nos seus hábitos de sono e abordagem de todas as causas subjacentes da insônia, como condições médicas ou medicamentos, podem restaurar um sono reparador para muitas pessoas. Se estas medidas não funcionarem, o médico pode recomendar medicamentos para ajudar a relaxar e dormir.

Terapias de comportamento

Tratamentos comportamentais podem ensinar-lhe novos comportamentos do sono e formas de melhorar o seu ambiente para dormir. Bons hábitos de sono podem promover um sono reconfortante e um nível adequado de alerta durante o dia. Terapias de comportamento são geralmente recomendadas como a primeira linha de tratamento para pessoas com insônia. Normalmente, estas são tão ou mais eficazes do que medicamentos para dormir.
Terapias de comportamento incluem:
  • A educação sobre bons hábitos de sono. Bons hábitos de sono incluem ter um horário de sono regular, evitar atividades estimulantes antes de dormir, e ter um ambiente de sono confortável.
  • Terapia cognitiva comportamental. Este tipo de terapia ajuda a controlar ou eliminar pensamentos e preocupações que o mantêm acordado. Esta também pode envolver a eliminação de crenças falsas ou preocupantes sobre o sono, como a ideia de que uma única noite inquieta vai deixá-lo doente.
  • Técnicas de relaxamento. O relaxamento muscular progressivo, biofeedback e exercícios respiratórios são formas de reduzir a ansiedade na hora de dormir. Estas estratégias podem ajudá-lo a controlar a sua respiração, frequência cardíaca, tensão muscular e humor.
  • Controle de estímulos. Isto significa limitar o tempo acordado que você gasta na cama e associar a sua cama e quarto apenas com sono e sexualidade.
  • A restrição do sono. Este tratamento reduz o tempo gasto na cama, promovendo privação parcial de sono, o que torna você mais cansado na noite seguinte. Uma vez que o seu sono melhorou, o seu tempo na cama será aumentado gradualmente.
  • Permanecer passivamente acordado. Também chamado de intenção paradoxal, este tratamento para a insônia visa reduzir a preocupação e ansiedade sobre ser capaz de conseguir dormir, através da permanência na cama, tentando ficar acordado em vez de esperar para adormecer.
  • Terapia de luz. Se você cair no sono muito cedo e, em seguida, despertar muito cedo, você pode usar a luminosidade para empurrar para trás o seu relógio interno. 

Medicamentos prescritos

Tomar pílulas prescritas pelo médico para dormir, como zolpidem (Ambien), eszopiclone (Lunesta), zaleplon (Sonata) ou ramelteon (Rozerem), que podem ajudá-lo a dormir. Geralmente, os médicos não recomendam prescrição de pílulas para dormir por mais de algumas semanas, mas vários medicamentos estão aprovados para uso a longo prazo.

Medicamentos de venda livre

Medicamentos para dormir que não necessitam de receita médica incluem anti-histamínicos que podem fazer com que você se possa sentir sonolento. Os anti-histamínicos podem, inicialmente, fazer você grogue, mas eles também podem reduzir a qualidade do seu sono, podendo causar efeitos colaterais, como sonolência diurna, tontura, retenção urinária, boca seca e confusão. Estes efeitos podem ser piores em adultos mais velhos. Os anti-histamínicos também podem agravar os problemas urinários, fazendo com que você se levante para urinar mais durante a noite.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL