segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Cálculos biliares ou pedras na vesícula biliar

Cálculos biliares causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Os cálculos biliares são pequenas pedras que geralmente são produzidas pelo colesterol e que se formam na vesícula biliar.


A vesícula biliar

A vesícula biliar é um órgão pequeno tipo bolsa que se encontra debaixo do fígado. A sua principal finalidade é armazenar e concentrar a bílis. Bílis é um líquido produzido pelo fígado que ajuda na digestão das gorduras. A bílis é transmitida a partir do fígado através de uma série de canais, conhecidos como ductos biliares, na vesícula biliar.
A bílis é armazenada na vesícula biliar, sendo que, ao longo do tempo torna-se mais concentrada, o que faz com que exista uma melhor digestão das gorduras. A vesícula biliar fornece a bílis para o sistema digestivo, quando se torna necessário.

Sintomas de cálculos biliares

Na maior parte dos casos, os cálculos não causam quaisquer sintomas e não precisam de ser tratados.
No entanto, se um cálculo biliar ficar preso num ducto (abertura) no interior da vesícula biliar pode desencadear uma dor abdominal intensa e repentina que geralmente dura entre uma e cinco horas. Este tipo de dor abdominal é conhecida como cólica biliar.
Algumas pessoas com pedras na vesícula biliar também podem desenvolver complicações, tais como a inflamação da vesícula biliar (colecistite), que pode causar:
Quando as pedras na vesícula biliar causam sintomas ou complicações, são conhecidas como doença do cálculo biliar ou colelitíase.

Causas de cálculos biliares

Pensa-se que os cálculos se possam desenvolver por causa de um desequilíbrio na composição química da bile no interior da vesícula biliar. Na maioria dos casos, os níveis de colesterol na bílis tornam-se demasiado elevados e transformam o excesso de colesterol em “pedras”.
As pedras na vesícula biliar são muito comuns. Estima-se que mais de um em cada 10 adultos possa vir a ter cálculos biliares, embora apenas uma minoria de pessoas desenvolvam sintomas.


Fatores de risco para cálculos biliares

Uma pessoa estará em risco de desenvolver pedras na vesícula biliar se:
  • Tiver sobrepeso ou for obesa
  • For do sexo feminino
  • Tiver 40 anos ou mais (o risco aumenta à medida que envelhecemos)

Complicações assoviadas a cálculos biliares

Complicações associadas a este tipo de problema podem incluir:
  • Inflamação da vesícula biliar. Um cálculo biliar que se aloja na parte mais estreita da vesícula biliar pode causar a sua inflamação (colecistite). A colecistite pode causar dor e febre severas.
  • Bloqueio da via biliar comum. Os cálculos podem bloquear os tubos (ductos) através dos quais a bile flui da vesícula biliar ou fígado para o intestino delgado, podendo resultar em infecção da via biliar ou icterícia.
  • Bloqueio do ducto pancreático. O ducto pancreático é um tubo que vai do pâncreas para o ducto biliar. Sucos pancreáticos, que ajudam na digestão, fluem através do ducto pancreático. Um cálculo biliar pode causar bloqueio no ducto pancreático, o que pode levar à inflamação do pâncreas (pancreatite). A pancreatite causa dor abdominal intensa e constante, e geralmente requer hospitalização.
  • Câncer da vesícula biliar. As pessoas com história de cálculos biliares têm um risco aumentado de câncer de vesícula biliar. Mas o câncer da vesícula biliar é muito raro, pelo que, embora o risco de câncer seja elevado, a probabilidade de ocorrer câncer da vesícula biliar ainda é muito pequena.

Diagnóstico de cálculos biliares

Testes e procedimentos utilizados para diagnosticar este tipo de problema incluem:
  • Testes para criar imagens da sua vesícula biliar. O médico pode recomendar uma ultra-sonografia abdominal e uma tomografia computadorizada (TC) para criar imagens da vesícula biliar. Essas imagens podem ser analisadas para procurar sinais de cálculos biliares.
  • Testes para verificar os seus ductos biliares, para procurar cálculos biliares. Um teste que usa uma tinta especial para destacar os canais biliares em imagens pode ajudar o seu médico a determinar se um cálculo biliar está a causar um bloqueio. Os testes podem incluir varredura do ácido iminodiacético hepatobiliar (HIDA), ressonância magnética (MRI) ou colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE).
  • Exames de sangue para procurar complicações. Testes de sangue podem revelar uma infecção, icterícia, pancreatite ou outras complicações causadas por cálculos biliares.

Tratamento de cálculos biliares

Geralmente, o tratamento apenas será necessário se as pedras na vesícula biliar estiverem a causar:
  • Sintomas, tais como dor abdominal
  • Complicações, como icterícia ou pancreatite aguda
Nestes casos, a cirurgia para remover a vesícula biliar pode ser recomendada. Este procedimento, conhecido como uma colecistectomia laparoscópica é relativamente simples de realizar e tem um baixo risco de complicações.
Você pode levar uma vida perfeitamente normal, sem uma vesícula biliar. O fígado ainda irá produzir bile para digerir os alimentos, mas a bílis irá escorrer apenas continuamente para o intestino delgado, em vez de acumular-se na vesícula biliar.


Perspetiva para casos de cálculos biliares

A maioria dos casos de cálculo biliar são facilmente tratados com cirurgia. Casos muito graves podem ser fatais, especialmente em pessoas que já estão com uma saúde debilitada. No entanto, as mortes devido a cálculo biliar são raras.


Prevenção de cálculos biliares

Você pode reduzir seu risco de obter cálculos biliares se:
  • Não perder as refeições. Tente manter as suas refeições habituais a cada dia. Saltar refeições ou jejuar pode aumentar o risco de cálculos biliares.
  • Perder peso lentamente. Se você precisar de perder peso, vá com calma. A perda rápida de peso pode aumentar o risco de cálculos biliares. Aponte para perder cerca de 0,5 a 1 quilograma por semana.
  • Manter um peso saudável. A obesidade e o excesso de peso aumentam o risco de cálculos biliares. Trabalhe para alcançar um peso saudável, reduzindo o número de calorias que você ingere e aumentando a quantidade de atividade física que você obtém. Uma vez que você alcança um peso saudável, trabalhe para manter esse peso, continuando uma dieta saudável e continuando a exercitar-se.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL