quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Arterite temporal

Arterite temporal causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Arterite temporal, também chamada de arterite de células gigantes, é uma doença em que as artérias de médio porte que abastecem o olho, couro cabeludo e face, se tornam inflamadas e ficam mais estreitas. Esta doença pode causar a perda de visão, pelo que se torna essencial que o problema possa ser diagnosticado e tratado tão cedo quanto possível. Os vasos sanguíneos maiores, incluindo a aorta e as suas ramificações, também podem estar envolvidas, podendo levar a um enfraquecimento dos vasos sanguíneos, até mesmo anos depois.
Este distúrbio desenvolve-se quase exclusivamente em pessoas com mais de 55 anos de idade e mais comumente afeta as pessoas com idades entre os 70 e os 80 anos. Este distúrbio é relativamente raro. Entre as pessoas com idade superior a 55 anos, afeta cerca de 2 em cada 1000 pessoas.

Causas de arterite temporal

A causa da arterite temporal é desconhecida, embora tenha havido especulações de que, em algumas pessoas, o sistema imunológico do corpo responde de forma incorreta a uma infecção, começando a atacar o revestimento dos vasos sanguíneos como sendo um invasor externo. Pode haver uma contribuição genética, bem como sugerido por casos ocasionais que afetam mais do que um membro da mesma família. Uma possibilidade é que o sistema imunitário de certos indivíduos ou membros da família podem ser geneticamente programados para responder a uma infecção de forma anormal, uma resposta que leva à ocorrência deste tipo de condição.

Sintomas de arterite temporal

O sintoma mais comum associado ao transtorno é uma dor de cabeça latejante, muitas vezes num ou em ambos os lados da testa, embora possa surgir em qualquer local ao longo da cabeça ou no pescoço. Outros sintomas comuns incluem um ou mais dos seguintes:
  • Febre
  • Dor no maxilar depois de mastigar
  • Perda de apetite
  • Fadiga
  • Tosse seca
  • Sensibilidade do couro cabeludo
  • Embaçamento ou perda da visão num olho
  • Dores nos ombros, braços, quadris ou coxas, especialmente na parte da manhã (típica de polimialgia reumática, uma condição de artrite associada com arterite de células gigantes)

Quando consultar um médico

Se você tiver quaisquer sintomas associados a arterite temporal, especialmente uma nova dor de cabeça, febre inexplicável ou sintomas visuais, contate o seu médico.

Diagnóstico para arterite temporal

O seu médico pode suspeitar que você tem este transtorno se você for um adulto mais velho com uma nova dor de cabeça. Ele vai começar por pedir-lhe uma descrição detalhada dos seus sintomas, dos seus últimos problemas médicos e dos medicamentos que utiliza. Em seguida, o médico irá examiná-lo, com especial atenção para as artérias temporais, localizadas mesmo em frente do ouvido, acima da mandíbula, e para outros vasos sanguíneos. O seu médico irá considerar outras causas de dor de cabeça ou outros sintomas, e pode solicitar exames para verificar estas condições. No entanto, se a arterite temporal ainda for uma forte preocupação após a realização destes testes, um exame de sangue será solicitado. Geralmente, uma biópsia da artéria temporal é necessária para confirmar o diagnóstico. Neste processo, um pequeno pedaço do vaso sanguíneo será removido sob anestesia local e será examinado num laboratório. Uma nova pesquisa sugere que outros testes, incluindo ultrassom ou ressonância magnética das artérias temporais, podem ser úteis para a deteção desta condição, mas uma biópsia ainda é o melhor teste disponível.

Tratamento para arterite temporal

A arterite temporal é uma doença grave que requer atenção médica imediata, já que um atraso no diagnóstico e tratamento podem levar à perda de visão ou a outro tipo de complicações. O principal tratamento utiliza altas doses de prednisona e um corticosteroide, e a maioria das pessoas sente-se melhor dentro de alguns dias. A medicação é continuada com esta dose elevada durante aproximadamente um mês, e depois é gradualmente reduzida ao longo dos meses seguintes para uma dose mais baixa possível, podendo ser mesmo interrompida. É comum que este transtorno possa exigir, pelo menos, seis meses de terapia, e muitas vezes o tratamento é continuado por um ano ou mais, porque muitas pessoas experimentam sintomas típicos de polimialgia reumática (dores nos ombros, quadris ou ambos) ou dores de cabeça recorrentes quando a dose de prednisona é reduzida.
Alguns estudos descobriram que uma outra medicação, metotrexato (Folex, Rheumatrex), pode reduzir a dose de corticosteroides necessários e o tempo durante o qual eles precisam de ser tomados, embora outros estudos não confirmem isso. Como resultado, alguns médicos prescrevem metotrexato, na esperança de reduzir a exposição global aos corticosteroides. A utilização de esteroides pode conduzir a complicações, incluindo osteoporose, diabetes e ganho de peso. A investigação está em curso para identificar outros medicamentos eficazes, mas até agora os resultados têm sido decepcionantes.
Pesquisas recentes sugerem que doses baixas de aspirina podem ajudar a preservar a visão que é ameaçada por arterite temporal.


Prognóstico para arterite temporal

Se a visão não for afetada, a perspetiva é excelente. No entanto, uma vez que ocorre a perda de visão, geralmente, esta é permanente. Se a aorta ou ramificações próximas estiverem envolvidas, o prognóstico pode ser pior, porque estes vasos sanguíneos podem ampliar ou até mesmo romper. No entanto, a maioria das complicações relacionadas com a arterite temporal são causadas por terapia com esteroides, em vez da própria doença.


Duração da arterite temporal

Geralmente, esta condição dura vários anos. Geralmente, a melhoria começa dentro de dias depois do início do tratamento. Algumas pessoas são capazes de interromper o tratamento no prazo de seis meses, mas um tratamento mais prolongado ao longo de dois a três anos é mais usual. Ocasionalmente, a doença retorna depois de ter desaparecido por um período prolongado.


Prevenção de arterite temporal

Não existe nenhuma forma conhecida de prevenir esta doença. A perda de visão (e, talvez, outras complicações) podem ser impedidas pelo diagnóstico e tratamento imediato.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL