quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Intoxicação alimentar

Intoxicação alimentar causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Intoxicação alimentar, também chamada de doença de origem alimentar, é uma doença causada pela ingestão de alimentos contaminados. Os organismos infecciosos (incluindo bactérias, vírus e parasitas) ou as suas toxinas são as causas mais comuns de intoxicação alimentar.
Os organismos infecciosos ou suas toxinas podem contaminar os alimentos em qualquer ponto do processamento ou de produção. A contaminação também pode ocorrer em casa, se os alimentos forem manuseados ou cozinhados incorretamente.
Os sintomas de intoxicação alimentar, que podem começar dentro de algumas horas depois da ingestão de alimentos contaminados, muitas vezes, incluem náuseas, vômitos ou diarreia. Na maioria das vezes, a intoxicação alimentar é leve e resolve-se sem tratamento. Mas algumas pessoas precisam de recorrer ao hospital.

Sintomas de intoxicação alimentar

Os sintomas de intoxicação alimentar variam de acordo com a fonte de contaminação. A maioria dos tipos de intoxicação alimentar causam um ou mais dos seguintes sinais e sintomas:
Sinais e sintomas podem começar dentro de horas após a ingestão do alimento contaminado, ou podem começar dias ou mesmo semanas depois. Geralmente, a doença causada por intoxicação alimentar dura desde algumas horas a vários dias.


Causas de intoxicação alimentar

A contaminação dos alimentos pode acontecer em qualquer ponto durante a sua produção, nomeadamente cultivo, colheita, processamento, armazenamento, transporte ou preparação. A contaminação cruzada (a transferência de organismos nocivos de uma superfície para outra) é muitas vezes a causa. Isto é especialmente problemático para alimentos crus ou prontos-a-comer, como saladas ou outros produtos. Atendendo a que estes alimentos não são preparados, os organismos prejudiciais não são destruídos, podendo causar intoxicação alimentar.
Muitos agentes bacterianos, virais ou parasitários podem causar intoxicação alimentar. 


Fatores de risco para intoxicação alimentar

Se você vai ficar doente ou não depois de comer alimentos contaminados, depende do seu organismo, da quantidade de exposição, da sua idade e da sua saúde. Grupos de alto risco incluem:
  • Os adultos mais velhos. Conforme você envelhece, o seu sistema imunológico pode não responder tão rapidamente e eficazmente aos organismos infecciosos, como quando você era mais jovem.
  • As mulheres grávidas. Durante a gravidez, alterações no metabolismo e circulação podem aumentar o risco de intoxicação alimentar. A sua reacção pode ser mais grave durante a gravidez. Raramente, o bebê também pode ficar doente.
  • Lactentes e crianças jovens. Os seus sistemas imunológicos ainda não estão totalmente desenvolvidos.
  • Pessoas com doença crônica. Ter uma condição crônica (como diabetes, doença hepática ou SIDA) ou receber quimioterapia ou radioterapia para o câncer, reduz a resposta imunológica da pessoa.

Diagnóstico de intoxicação alimentar

A intoxicação alimentar é muitas vezes diagnosticada com base numa história detalhada, incluindo quanto tempo você esteve doente, os seus sintomas e alimentos específicos que você comeu. O seu médico também irá realizar um exame físico, para procurar sinais de desidratação.
Dependendo dos seus sintomas e histórico de saúde, o médico pode realizar testes de diagnóstico, tais como um exame de sangue, cultura de fezes ou exame de parasitas, para identificar a causa e confirmar o diagnóstico.
Para uma cultura de fezes, o médico irá enviar uma amostra de fezes para um laboratório, onde um técnico tentará identificar o organismo infeccioso. Se um organismo for encontrado, provavelmente, o seu médico irá notificar o departamento de saúde local para determinar se a intoxicação alimentar está ligada a um surto.
Nalguns casos, a causa de intoxicação alimentar não pode ser identificada.


Tratamento para intoxicação alimentar

Normalmente, o tratamento para a intoxicação alimentar depende da fonte da doença, se for conhecida, e da gravidade dos seus sintomas. Para a maioria das pessoas, a doença resolve-se sem tratamento dentro de poucos dias, embora alguns tipos de intoxicação alimentar possam durar mais tempo.
O tratamento de intoxicação alimentar pode incluir:
  • Reposição de líquidos perdidos. Fluidos e eletrólitos (minerais, como sódio, potássio e cálcio que mantêm o equilíbrio de fluidos no corpo) perdem-se na diarreia persistente e precisam de ser substituídos. Algumas crianças e adultos com diarreia persistente ou vômitos podem necessitar de hospitalização, onde podem receber sais e líquidos através de uma veia (via intravenosa), para prevenir ou tratar a desidratação.
  • Antibióticos. O seu médico pode prescrever antibióticos se você tiver certos tipos de intoxicação alimentar bacteriana e se os seus sintomas forem graves. A intoxicação alimentar causada por listeria precisa de ser tratada com antibióticos intravenosos durante a hospitalização. Quanto mais cedo começar o tratamento, melhor. Durante a gravidez, o tratamento imediato com antibióticos pode ajudar a evitar que a infecção venha a afetar o bebê.
  • Adultos com diarreia que não é sangrenta e que não têm febre podem obter alívio ao tomar medicação loperamida (Imodium A-D) ou subsalicilato de bismuto (Pepto-Bismol). 

Estilo de vida e remédios caseiros para intoxicação alimentar

Geralmente, a intoxicação alimentar melhora sem tratamento dentro de 48 horas. Para ajudar a manter-se mais confortável e evitar a desidratação durante a recuperação, tente:
  • Deixar o seu estômago descansar. Pare de comer e beber por algumas horas.
  • Chupar pedaços de gelo ou tomar pequenos goles de água. Você também pode tentar beber refrigerante claro, caldo ou bebidas desportivas descafeinadas, como Gatorade. Você melhorará se beber bastante líquido e se quando você urina, esta ficar clara e não escura.
  • Começar por ingerir alimentos leves. Aos poucos comece a comer alimentos com baixo teor de gordura, que sejam fáceis de digerir, como bolachas, torradas, gelatina, bananas e arroz. Pare de comer se as náuseas retornarem.
  • Evitar certos alimentos e substâncias até que você esteja a sentir-se melhor. Estes incluem produtos lácteos, cafeína, álcool, nicotina e alimentos gordurosos ou muito temperados.
  • Descansar. A doença e desidratação podem enfraquece-lo e podem provocar cansaço.

Prevenção para intoxicação alimentar

Para prevenir a intoxicação alimentar em casa, considere:
  • Lavar as mãos, utensílios e superfícies de alimentos muitas vezes. Lave bem as mãos com água morna e sabão antes e depois de manusear ou preparar alimentos. Use água quente e sabão para lavar utensílios, tábuas de corte e outras superfícies que você usa.
  • Manter os alimentos crus separados de alimentos prontos-a-comer. Ao fazer compras, prepare a comida quando promove o armazenamento de alimentos, mantendo a carne crua, aves, peixes e mariscos longe de outros alimentos. Isto impede a contaminação cruzada.
  • Cozinhe os alimentos a uma temperatura segura. A melhor forma de saber se os alimentos são cozidos a uma temperatura segura é usar um termômetro para alimentos. Você pode matar organismos nocivos na maioria dos alimentos, ao cozinhá-los à temperatura certa.
  • Cozinhe a carne moída a 71,1 ºC; bifes, costeletas, como cordeiro, porco e vitela, a pelo menos 62,8 ºC. Cozinhe frango e peru a 73,9 ºC. Certifique-se de que o peixe, crustáceos e moluscos são cozinhados completamente.
  • Refrigere ou congele alimentos perecíveis rapidamente (dentro de duas horas depois da sua aquisição) ou prepare-os. Se a temperatura ambiente for superior a 32,2 ºC, os alimentos perecíveis refrigeram dentro de uma hora.
  • Descongele alimentos de forma segura. Não descongele os alimentos à temperatura ambiente. A maneira mais segura para descongelar comida é descongelar na geladeira. Se você usa microondas para alimentos congelados use o "degelo" ou ajuste a "50 por cento de energia", e certifique-se de cozinhá-los imediatamente.
  • Jogue fora em caso de dúvida. Se você não tem certeza se um alimento foi preparado, servido ou armazenado de forma segura, descarte-o. Comida deixada à temperatura ambiente por demasiado tempo pode conter bactérias ou toxinas que não podem ser destruídas por cozimento. Não saboreie a comida que possa estar estragada, simplesmente jogue-a fora. Mesmo que ela pareça ter bom aspeto ou cheire bem, ela pode não ser segura para comer.
Postar um comentário
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL