terça-feira, 25 de julho de 2017

Câncer anal - Causas e tratamento

Câncer anal causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Câncer anal é uma malignidade rara, que começa no ânus, a abertura na extremidade do recto. Cerca de metade de todos os cânceres deste tipo são diagnosticados antes de o tumor maligno se espalhar para além do local principal, ao passo que 13% a 25% são diagnosticados após o câncer se espalhar para os gânglios linfáticos, e 10% são diagnosticados após o câncer se espalhar para órgãos distantes.
Quando é detetado precocemente, o câncer anal é altamente tratável.
A taxa de sobrevida global em cinco anos após o diagnóstico de um câncer deste tipo é de 60% para os homens e 71% para as mulheres.
Quando o câncer é diagnosticado no seu estágio inicial, a taxa de sobrevivência de cinco anos é de 82%. Quando o câncer se espalha para os gânglios linfáticos circundantes, a sobrevivência de cinco anos cai para 60%. Se o câncer se espalhar para órgãos distantes, cerca de um em cada cinco pacientes vive por cinco anos ou mais.


Causas e fatores de risco para câncer anal 

A maioria dos cânceres anais (80%) são diagnosticados em pessoas que têm mais de 60 anos de idade. Antes dos 35 anos de idade, este câncer é mais comum em homens. No entanto, depois dos 50 anos de idade, o câncer anal é ligeiramente mais comum em mulheres.
A taxa de incidência deste câncer é seis vezes maior em homens solteiros em comparação com homens casados.
O sexo anal receptivo está fortemente relacionado com o desenvolvimento de câncer anal.
A infecção anal com o vírus do papiloma humano (HPV), que resulta em verrugas genitais, é um importante fator de risco para o câncer.
Pacientes imunocomprometidos, como aqueles que têm doença HIV, são propensos a ter um câncer deste tipo. Neste subgrupo, o prognóstico é pior do que para pacientes não-imunocomprometidos.
Gardasil, uma das vacinas contra o HPV, originalmente aprovada para a prevenção do câncer do colo do útero, também está aprovada para a prevenção do câncer anal em homens e mulheres ,em muitos países.

Sintomas do câncer anal

O sintoma mais comum associado com este câncer é a hemorragia.
Atendendo a que o prurido anal também pode ser um sintoma de câncer, inicialmente, muitas pessoas atribuem a sua hemorragia e prurido a hemorroidas. Isto pode atrasar o diagnóstico deste câncer.
Outros sinais e sintomas associados a este problema de saúde podem incluir:
  • Dor ou pressão na região anal
  • Descargas do ânus, que não são usuais
  • Mudança nos hábitos intestinais

Diagnóstico de câncer anal

Este tipo de câncer pode ser detetado durante um exame retal digital de rotina ou durante um procedimento secundário, tal como a remoção do que se acredita ser uma hemorroida.
O câncer também pode ser detetado com procedimentos mais invasivos, como numa anoscopia, proctoscopia, ou ultrassom endorretal.
No caso de se suspeitar de câncer, deve ser implementada uma biópsia e a amostra deverá ser examinad por um patologista.
O diagnóstico pode incluir uma varredura abdominal e pélvica ou um exame de ressonância magnética pélvica para avaliar os linfonodos pélvicos, uma radiografia de tórax e  estudos da função hepática. Um PET scan não se torna necessário.

Tratamento de câncer anal

O câncer anal é tratado principalmente com uma combinação de quimioterapia e radiação. Isto reduz a necessidade de uma colostomia e carrega uma taxa de sobrevivência de 5 anos em mais de 70%. Desta forma, o tratamento deste tipo de câncer não mudou desde há várias décadas.
A cirurgia é apenas reservada para pacientes que não respondem de modo adequado a terapia anterior. A terapia de resgate resulta numa taxa de sobrevida em 5 anos de 60%.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL