sexta-feira, 7 de julho de 2017

Câncer de bexiga - Causas e tratamento

Câncer de bexiga causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
O câncer de bexiga é um crescimento de tecido anormal, conhecido como um tumor, que se desenvolve no revestimento da bexiga. Nalguns casos, o tumor espalha-se para os músculos circundantes.
O sintoma mais comum de um tumor na bexiga é sangue na urina, que geralmente é indolor.
Se você notar sangue na urina, mesmo que apareça e desapareça, você deve visitar o seu médico de família, para que a causa possa ser investigada.


Tipos de câncer de bexiga

Uma vez diagnosticado, o câncer pode ser classificado pelo critério de quão longe ele se espalhou. Se as células cancerosas estiverem contidas no interior do revestimento da bexiga, os médicos descrevem-no como câncer da bexiga invasivo não muscular. Este é o tipo mais comum de câncer da bexiga, representando 7 em cada 10 casos. A maioria das pessoas não morrem como resultado deste tipo de câncer.
Quando as células cancerosas se espalham para além do revestimento, para os músculos ao redor da bexiga, é referido como câncer da bexiga invasivo muscular. Esta condição é menos comum, mas tem uma maior chance de se espalhar para outras partes do corpo, podendo tornar-se fatal.
Se este câncer se espalhar para outras partes do corpo, ele ficará conhecido como câncer da bexiga localmente avançado ou metastático.

Causas de câncer de bexiga

A maior parte dos casos de câncer deste tipo parecem ser causados pela exposição a substâncias nocivas que levam a alterações anormais nas células da bexiga, ao longo de muitos anos.
O fumo do tabaco é uma causa comum e estima-se que metade de todos os casos de cânceres de bexiga sejam causados pelo fumo.
Certos produtos químicos usados no passado em processos de fabricação, também são conhecidos como causadores de câncer. No entanto, estas substâncias já foram proibidas.

Tratamento do câncer da bexiga

Em casos de tumor na bexiga invasivo não muscular, geralmente torna-se possível remover as células cancerosas, deixando o resto da bexiga intacta. Para este procedimento é usada uma técnica cirúrgica chamada ressecção transuretral. Este procedimento é seguido por uma dose de medicação de quimioterapia diretamente na bexiga, para reduzir o risco do câncer retornar.
Em casos com maior risco de recorrência, um medicamento conhecido como Bacillus Calmette-Guérin, pode ser injetado para dentro da bexiga para reduzir o risco do câncer poder retornar.
O tratamento de alto risco para este tipo de câncer invasivo não muscular, ou câncer da bexiga invasivo muscular, pode envolver a remoção cirúrgica da bexiga, numa operação conhecida como uma cistectomia.
Quando a bexiga é removida, você precisará de uma outra forma de coletar a sua urina. As opções possíveis incluem promover uma abertura no abdômen, de modo a que a urina possa ser passada para um saco externo, ou a construção de uma nova bexiga para fora de uma secção de intestino. Isto será feito ao mesmo tempo que a cistectomia.
Se for possível evitar a remoção da bexiga, ou se a cirurgia não for adequada, um curso de radioterapia e quimioterapia podem ser recomendados. Por vezes, a quimioterapia pode ser utilizada por si só antes da cirurgia ou antes de ser combinada com radioterapia.
Após o tratamento para todos os tipos de câncer deste tipo, você terá de realizar testes regulares de acompanhamento para verificar se existem sinais de recidiva.


Quem pode ser afetado pelo câncer de bexiga

A condição é mais comum em adultos mais velhos, com mais de metade de todos os novos casos a serem diagnosticados em pessoas com idade superior a 75 anos.
Este câncer também é mais comum em homens do que em mulheres, possivelmente, porque no passado, os homens eram mais propensos a fumar e a trabalhar na indústria de transformação.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL