terça-feira, 27 de junho de 2017

Síndrome antifosfolípide

Síndrome antifosfolípide causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Síndrome antifosfolípide, também conhecida como síndrome de Hughes, é uma doença do sistema imunitário que provoca um aumento do risco de formação de coágulos sanguíneos.
Isto significa que as pessoas com esta síndrome se encontram em maior risco de desenvolver condições tais como:
  • Trombose venosa profunda (TVP), um coágulo de sangue que geralmente se desenvolve na perna
  • Trombose arterial (um coágulo na artéria), que pode causar um acidente vascular cerebral ou ataque cardíaco
  • Coágulos de sangue no cérebro, que conduzem a problemas com o equilíbrio, mobilidade, visão, fala e memória
Mulheres grávidas que tenham esta síndrome também têm um risco aumentado de vir a ter um aborto, embora as razões exatas para isso acontecer sejam incertas.
Síndrome antifosfolípide nem sempre causa problemas evidentes, mas algumas pessoas têm sintomas gerais que podem ser semelhantes aos da esclerose múltipla (uma condição comum que afeta o sistema nervoso central).

Causas de síndrome antifosfolípide

Esta síndrome é uma condição auto-imune. Isto significa que o sistema imunitário, que normalmente protege o organismo contra a infecção e doença, ataca o tecido saudável por engano.
Na síndrome antifosfolípide, o sistema imunológico produz anticorpos anormais chamados anticorpos antifosfolípides. Estas proteínas ligam-se às moléculas de gordura (fosfolípidos), o que aumenta a probabilidade do sangue coagular.
Não se sabe o que faz com que o sistema imunológico produza anticorpos anormais. Pensa-se que tal como acontece com outras doenças auto-imunes, fatores genéticos, hormonais e alguns fatores ambientais oodem desempenhar um papel importante na sua ocorrência.


Quem pode contrair síndrome antifosfolípide

Esta síndrome pode afetar pessoas de todas as idades, incluindo crianças e bebês, no entanto, a maioria das pessoas com esta condição têm idades entre os 20 e os 50 anos, afetando de três a cinco vezes mais mulheres do que homens.

Diagnóstico de síndrome antifosfolípide

Por vezes, o diagnóstico da síndrome pode ser complicado, já que alguns sintomas são semelhantes aos ocorridos na esclerose múltipla. Por conseguinte, os testes de sangue podem identificar os anticorpos responsáveis pela síndrome antifosfolípide, tornando-se essenciais para o diagnóstico da condição.

Tratamento da síndrome antifosfolípide

Embora não haja cura para esta condição, o risco de desenvolver coágulos de sangue pode ser bastante reduzido se o paciente for diagnosticado corretamente.
Um medicamento anticoagulante como a warfarina ou um antiagregante, tais como baixas doses de aspirina são geralmente prescritos. Estes reduzem a probabilidade de ocorrer coágulos de sangue desnecessários, mas ainda permitem a formação de coágulos quando você for ferido através de um corte.
O tratamento com estes medicamentos também pode melhorar a chance de uma mulher ter uma gravidez bem sucedida, no caso de uma mulher grávida. Estima-se que com o tratamento possam existir cerca de 80% de chance de ter uma gravidez bem sucedida.
A maioria das pessoas respondem bem ao tratamento e podem levar vidas normais e saudáveis. No entanto, um pequeno número de pessoas com esta síndrome continua a ter coágulos de sangue, apesar do tratamento extensivo.


Síndrome antifosfolípide catastrófica

Em casos muito raros, os coágulos de sangue podem formar-se de repente em todo o corpo, o que resulta em insuficiência de múltiplos órgãos. Isto é conhecido como síndrome antifosfolípide catastrófica.
Síndrome antifosfolípide catastrófica requer tratamento de emergência no hospital com anticoagulantes em altas doses.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL