sexta-feira, 30 de junho de 2017

Hipertireoidismo - Causas, sintomas e tratamento

Hipertireoidismo causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Hipertireoidismo pode ser descrito como uma condição na qual a glândula tireoide se torna hiperativa, fazendo com que esta produza quantidades excessivas de uma hormona conhecida como tiroxina. No caso de uma pessoa sofrer de hipertireoidismo, é bastante provável verificar um aumento significativo no seu metabolismo, que por sua vez, provavelmente, vai levar a outros sintomas visíveis, como a perda súbita de peso, batimentos cardíacos rápidos e irregulares, irritabilidade, transpiração excessiva e nervosismo.
Apesar de qualquer pessoa poder sofrer de hipertireoidismo, esta condição é geralmente encontrada de modo mais prevalente em mulheres, em comparação com os homens. Existem vários fatores que podem tornar a glândula tireoide mais ativa do que o normal. No entanto, estudos indicam que a maior parte das pessoas têm hipertireoidismo devido a causas genéticas. Assim, no caso de haver qualquer membro da sua família com esta condição, é melhor consultar um médico e passar por um check-up.

Sintomas de hipertireoidismo

Hipertireoidismo pode imitar outros problemas de saúde, o que pode tornar difícil para o seu médico determinar um diagnóstico. Esta condição também pode causar uma grande variedade de sinais e sintomas, incluindo:
  • Súbita perda de peso, mesmo quando o seu apetite e a quantidade e o tipo de alimento que você come permanecem os mesmos ou aumentam
  • Batimento cardíaco acelerado ou taquicardia (comumente mais de 100 batimentos por minuto), batimentos cardíacos irregulares (arritmias) ou palpitações
  • Aumento do apetite
  • Nervosismo, ansiedade e irritabilidade
  • Tremor, geralmente um tremor nas mãos e dedos
  • Suor
  • Mudanças nos padrões menstruais
  • O aumento da sensibilidade ao calor
  • Mudanças nos padrões intestinais, com movimentos intestinais especialmente mais frequentes
  • Uma glândula alargada da tireoide (bócio), que pode aparecer como um inchaço na base do seu pescoço
  • Fadiga, fraqueza muscular
  • Dificuldade em dormir
  • Afinamento da pele
  • Cabelos finos e quebradiços
Os adultos mais velhos são mais propensos a não apresentar sintomas ou a notar sinais ou sintomas sutis, tais como um aumento da frequência cardíaca, intolerância ao calor e uma tendência para ficar cansado durante atividades normais. Medicamentos chamados bloqueadores beta, que são usados para tratar a hipertensão arterial e outras condições, podem mascarar muitos dos sinais de hipertireoidismo.

Causas de hipertireoidismo

Um certo número de condições, incluindo a doença de Graves, adenoma tóxico, doença de Plummer e tireoidite podem causar hipertireoidismo.
A tireoide é uma glândula em forma de borboleta que se situa na base do pescoço, logo abaixo da maçã de Adão. Apesar desta pesar menos de uma onça, a glândula tireoide tem um enorme impacto sobre a saúde de cada pessoa. Cada aspecto do metabolismo é regulado por hormônios da tireoide.
A glândula tireoide produz dois hormônios principais, tiroxina (T4) e triiodotironina (T3), que influenciam cada célula do corpo. Eles mantêm a taxa a que o corpo usa as gorduras e hidratos de carbono, ajudando a controlar a temperatura do corpo, influenciando a sua taxa de coração e ajudando a regular a produção de proteínas. A tireoide também produz calcitonina, um hormônio que ajuda a regular a quantidade de cálcio no sangue.
A taxa na qual T4 e T3 são liberados é controlada pela glândula pituitária e hipotálamo (uma área na base do cérebro que atua como um termostato para todo o sistema). Saiba como funciona o processo. O hipotálamo sinaliza a glândula pituitária para produzir um hormônio chamado hormônio estimulante da tireoide (TSH). Em seguida, a glândula pituitária libera TSH (a quantidade depende da quantidade de T4 e T3 que estão no sangue). Se você não tiver suficiente T3 e T4 no seu sangue, o TSH vai subir. Se você tiver muita quantidade, o seu nível de TSH vai cair. Finalmente, a sua glândula tireoide regula a produção de hormônios com base na quantidade de TSH que recebe. Se a glândula tireoide estiver doente e liberar excesso de hormônio tireoidiano por conta própria, o nível de sangue TSH permanecerá abaixo do normal; Se a glândula tireoide doente não poder produzir suficiente hormônio da tireoide, o nível de sangue TSH permanecerá elevado.

Diagnóstico de hipertireoidismo

Hipertiroidismo é diagnosticado usando:
  • História médica e exame físico. Durante o exame físico, o médico pode tentar detetar um ligeiro tremor nos seus dedos quando estão estendidos, reflexos hiperativos, alterações oculares e pele quente e úmida. O seu médico também irá examinar a sua glândula tireoide e verificar como é que você engole, para verificar se está alargada, e também irá verificar o seu pulso.
  • Exames de sangue. O diagnóstico pode ser confirmado com exames de sangue que medem os níveis de tiroxina e TSH no sangue. Altos níveis de tiroxina e valores baixos ou inexistentes de TSH indicam a condição. A quantidade de TSH é importante porque é o hormônio que sinaliza que a glândula tireoide produz tiroxina em excesso. Estes testes são particularmente necessários para os adultos mais velhos, que podem não ter sintomas clássicos de hipertireoidismo.
Se os exames de sangue indicarem hipertireoidismo, o médico pode recomendar um dos seguintes testes para ajudar a determinar porque é que a sua tireoide está hiperativa:
  • Teste de captação de iodo radioativo. Para este teste, você toma uma pequena dose oral de iodo radioativo. Ao longo do tempo, o iodo acumula-se na glândula tireoide, porque a tireoide utiliza o iodo para produzir hormônios. Você será verificado depois de 2, 6 ou 24 horas (e por vezes depois de todos os três períodos de tempo) para determinar a quantidade de iodo absorvida na glândula tireoide. A alta absorção de iodo radioativo indica que a glândula tireoide está a produzir muita tiroxina. A causa mais provável é a doença de Graves. Se você tiver hipertireoidismo e a sua captação de iodo radioativo for baixa, isso indica que a tiroxina armazenada na glândula está a vazar para a corrente sanguínea e indica que você pode ter tireoidite. 
  • Saber o que está a causar o seu hipertireoidismo pode ajudar o médico a planejar o tratamento adequado. Um teste de absorção de iodo radioativo não é desconfortável, mas pode expô-lo a uma pequena quantidade de radiação.
  • Varredura da tireoide. Durante este teste, você terá um isótopo radioativo injetado na veia, no interior do seu cotovelo ou por vezes numa veia da sua mão. Em seguida, permanecerá numa mesa com a cabeça esticada para trás enquanto uma câmera especial produz uma imagem da sua glândula tireoide numa tela de computador.
O tempo necessário para o procedimento pode variar, dependendo de quanto tempo leva o isótopo para chegar à glândula tireoide. Você pode ter algum desconforto no pescoço, e você vai ser exposto a uma pequena quantidade de radiação. Por vezes você pode ser sujeito a uma varredura da tireoide como parte de um teste de captação de iodo radioativo. Neste caso, o iodo radioativo administrado por via oral é utilizado para a imagem da glândula tireoide.

Tratamento para hipertireoidismo

Existem vários tratamentos para hipertireoidismo. A melhor abordagem dependerá da sua idade, condição física, causa subjacente da condição, preferências pessoais e gravidade da sua doença. Os tratamentos podem incluir:
  • O iodo radioativo. Tomado por via oral, o iodo radioativo é absorvido pela glândula tireoide, onde motiva o encolhimento da glândula e desaparecimento de sintomas, geralmente dentro de três a seis meses. Atendendo a que este tratamento faz com que a atividade da tireoide abrande consideravelmente, fazendo com que a glândula tireoide possa tornar-se sub-produtiva (hipotireoidismo), eventualmente, você pode ter que tomar remédios todos os dias para substituir a tiroxina. Utilizado há mais de 60 anos para tratar o hipertireoidismo, o iodo radioativo foi mostrado como sendo geralmente seguro.
  • Medicamentos anti-tireoide. Estes medicamentos reduzem gradualmente os sintomas de hipertireoidismo, impedindo a glândula tireoide de produzir quantidades excessivas de hormônios. Estes incluem propiltiouracil e methimazole (Tapazole). Geralmente, os sintomas começam a melhorar em seis a doze semanas, mas o tratamento com medicamentos anti-tireoide, normalmente continua pelo menos um ano e muitas vezes mais. Para algumas pessoas, estes resolvem o problema permanentemente, mas outras pessoas podem experimentar uma recaída. Ambas as drogas podem causar sérios danos ao fígado, podendo levar à morte. Atendendo a que propiltiouracil tem causado muito mais casos de lesão hepática, geralmente deve ser usado somente quando a pessoa não pode tolerar methimazole. Um pequeno número de pessoas que são alérgicas a estes medicamentos pode desenvolver erupções cutâneas, urticária, febre ou dor nas articulações. Estes medicamentos também podem aumentar a suscetibilidade à infecção.
  • Bloqueadores beta. Estas drogas são comumente usadas para tratar a pressão arterial elevada. Estas não vão reduzir os níveis de tireoide, mas podem reduzir a frequência cardíaca rápida e ajudar a prevenir palpitações. Por esta razão, o médico pode prescreve-las para ajudar o paciente a sentir-se melhor até que os seus níveis da tireoide fiquem mais próximos do normal. Os efeitos colaterais podem incluir fadiga, dor de cabeça, dor de estômago, constipação, diarreia ou vertigens.
  • Cirurgia (tireoidectomia). Se você estiver grávida ou de alguma forma não poder tolerar drogas anti-tireoide e não queisr ou não poder ter terapia com iodo radioativo, você pode ser um candidato para uma cirurgia da tireoide, embora esta seja uma opção em apenas alguns casos. Numa tireoidectomia, o médico remove a maior parte da glândula tireoide. Riscos desta cirurgia incluem danos nas cordas vocais e glândulas paratireóides (quatro pequenas glândulas situadas na parte de trás da glândula tireoide, que ajudam a controlar o nível de cálcio no sangue). Além disso, você vai precisar de tratamento ao longo da vida com levotiroxina (Levoxyl, Synthroid, outros) para fornecer quantidades normais de hormônio da tireoide. Se as glândulas paratireóides também forem removidas, você vai precisar de medicação para manter os níveis de cálcio no sangue normais.


Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL