quinta-feira, 29 de junho de 2017

Anemia aplástica - Causas e tratamento

Anemia aplástica causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
A anemia aplástica é uma condição em que a medula óssea não produz células sanguíneas suficientes. A medula óssea é o tecido mole no centro dos ossos que é responsável pela produção de células sanguíneas e plaquetas.

Causas de anemia aplástica

Anemia aplástica resulta em danos nas células estaminais do sangue. Células-tronco são células imaturas existentes na medula óssea que dão origem a todos os tipos de células do sangue (glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). Danos nas células-tronco levam a uma diminuição do número destes tipos de células sanguíneas.

Este tipo de anemia pode ser causada por:
  • Uso de certos fármacos ou exposição a produtos químicos tóxicos (tal como o benzeno)
  • A exposição à radiação e/ou quimioterapia
  • Doenças auto-imunes
  • Gravidez
  • Vírus
Por vezes, a causa desta condição é desconhecida. Neste caso, o distúrbio é chamado de anemia aplástica idiopática.

Sintomas de anemia aplástica

Os sintomas que ocorrem com a condição são devidos à deficiente produção de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. Os sintomas podem ser graves desde o início, mas podem piorar gradualmente ao longo do tempo, com a progressão da doença.
Baixa contagem de glóbulos vermelhos (anemia) pode causar:
Baixa contagem de células brancas (leucopenia) provoca um aumento do risco de infecção. A baixa contagem de plaquetas (trombocitopenia) pode resultar em sangramento. Os sintomas incluem:


Possíveis complicações de anemia aplástica

As complicações podem incluir:
  • Infecções graves ou sangramento
  • Complicações decorrentes do transplante de medula óssea
  • As reações a medicamentos
  • Hemocromatose (excesso de acúmulo de ferro nos tecidos do corpo, a partir de muitas transfusões de glóbulos vermelhos)

Quando consultar um médico

Consulte o seu médico ou recorra a atendimento de emergência se um sangramento ocorrer sem nenhuma razão, ou se a hemorragia for difícil de parar. Consulte o seu médico se detetar infecções frequentes ou fadiga incomum.

Diagnóstico para anemia aplástica

Para diagnóstico desta anemia existe necessidade de recorrer a exames de sangue que irão identificar:
  • Baixa contagem de glóbulos vermelhos (anemia)
  • Baixa contagem de células brancas do sangue (leucopenia)
  • Baixa contagem de reticulócitos (reticulócitos são glóbulos vermelhos imaturos)
  • Baixa contagem de plaquetas (trombocitopenia)
A biópsia de medula óssea mostra uma diminuição anormal de células do sangue e um aumento da quantidade de gordura.

Tratamento para anemia aplástica

Os casos leves de anemia aplástica que não apresentam sintomas podem não necessitar de tratamento.
Atendendo a que as contagens de sangue se tornam mais baixas e os sintomas se desenvolvem, sangue e plaquetas são dadas através de transfusões. Ao longo do tempo, as transfusões podem deixar de funcionar, resultando em contagens muito baixas de glóbulos. Se isto ocorrer, esta condição pode motivar risco de vida.
Os transplantes de medula óssea ou células estaminais podem ser recomendados para pessoas com menos de 40 anos de idade. Este tratamento funciona melhor quando o doador é um irmão ou irmã totalmente correspondido. Isto é chamado de irmão doador compatível.
As pessoas mais velhas e aquelas que não têm um doador irmão compatível, recebem medicamentos para suprimir o sistema imunológico, mas a doença pode retornar (recidiva). Um transplante de medula óssea de um doador não aparentado pode ser tentado, se os medicamentos não ajudarem ou se a doença voltar depois de ocorrerem melhorias.


Prognóstico para anemia aplástica

Se não for tratada, este tipo de anemia quando se torna grave leva a morte rápida. Transplante de medula óssea pode ser muito bem sucedido em pessoas jovens. O transplante também é usado em pessoas mais velhas ou quando a doença volta após os medicamentos deixarem de funcionar.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL