sexta-feira, 16 de junho de 2017

Acalasia - Sintomas e tratamento

Acalasia causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Acalasia é uma doença rara do esôfago. A desordem torna difícil o alimento passar do esôfago para o estômago.
O esôfago é um tubo muscular que transporta o alimento da boca para o estômago.
Normalmente, as contrações coordenadas do músculo transportam alimentos através do esôfago. Estas contrações são chamadas ondas peristálticas.
Entre o esôfago e o estômago, existe um músculo chamado de esfíncter esofágico inferior. O esfíncter rodeia o esôfago, mantendo-o fechado. Isto evita que os alimentos e ácido voltem do estômago para o esôfago.
Quando você engole, este esfíncter relaxa, abrindo-se para permitir que o alimento passe para dentro do estômago. Ao mesmo tempo, os nervos coordenam as contrações do esófago, movendo o alimento no estômago quando o esfíncter abre.
Em acalasia, as células nervosas nos dois terços inferiores do esôfago e do esfíncter são anormais, fazendo com que as ondas peristálticas se tornem descoordenados ou fracas. Além disso, faz com que o esfíncter possa permanecer fechado.

Causas de acalasia

A causa da acalasia é desconhecida e não se desenvolve em famílias.
A maior parte das pessoas afetadas com acalasia desenvolve sintomas entre as idades de 25 e 60 anos.

Sintomas de acalasia

Os sintomas associados à doença aparecem de modo gradual, podendo levar anos para progredir.
Os sintomas podem incluir:
  • Dificuldade para engolir alimentos sólidos. Engolir líquidos não se torna um problema nos estágios iniciais
  • Regurgitação ou vômito de alimento não digerido
  • Dor no peito, desconforto ou plenitude sob o esterno, especialmente após as refeições
  • Dificuldade para arrotar
  • Dificuldade em engolir alimentos sólidos e líquidos (no final da doença)
  • A perda de peso (no final da doença)


Complicações associadas a acalasia


A principal complicação da acalasia é a perda de peso. Outra possível complicação ocorre se o alimento for trazido de novo (regurgitado), existindo um risco de que alguns alimentos possam entrar nos pulmões. Esta situação pode, então, levar a uma infecção nos pulmões. Este tipo de infecção é conhecida como pneumonia de aspiração, sendo usualmente tratada com medicamentos antibióticos, mas pode ser mais difícil de tratar do que outros tipos de pneumonia. Você também estará em maior risco de desenvolver alguma inflamação do revestimento interno do esófago devido à comida e líquido que recolhem no seu esófago e causam irritação. Isto é chamado de esofagite.
Também existem possíveis complicações associadas a alguns dos tratamentos. Por exemplo, o alargamento (dilatação) do esfíncter pode levar a uma punção (perfuração) do esôfago. Se isto ocorrer, a pessoa vai precisar de uma operação de emergência para repará-lo.
Existe ainda um ligeiro aumento do risco de desenvolvimento de câncer de esófago, se este contiver uma grande quantidade de alimentos que não passa para o estômago, de uma forma normal. O seu médico será capaz de discutir estas situações com você em mais detalhes.

Quando consultar um médico

Você deve consultar o seu médico para uma avaliação urgente se:
  • Experimentar qualquer nova dor no peito, especialmente se a sua duração durar por mais de cinco ou dez minutos
  • Não conseguir ingerir líquidos
Marque uma consulta médica para uma avaliação, se sentir:
  • Perda de peso inexplicada
  • Tosse noturna ou dor
  • Dificuldade para engolir alimentos sólidos

Diagnóstico para acalasia

Algums testes serão necessários para diagnosticar acalasia. Estes testes também irão procurar por outras condições que possam estar a causar os sintomas.
Os testes incluem:
  • Esofagografia (bário). Para este teste, o paciente terá de engolir um líquido espesso (bário) que pode ser visualizado num raio-X. O teste pode mostrar se o esôfago está ampliado ou dilatado. Também irá mostrar se o bário é capaz de esvaziar adequadamente para o estômago. O estudo é geralmente indolor. Algumas pessoas experimentam desconforto semelhante ao que elas sentem ao engolir alimentos ou líquidos.
  • Endoscopia. Mesmo que o seu histórico médico e a esofagografia sugiram acalasia, geralmente é realizada uma endoscopia. A endoscopia permite que o médico possa verificar se existe outro problema que possa estar a causar o estreitamento do esôfago. A endoscopia é um procedimento ambulatorial. Você será sedado e o médico passa um tubo flexível até ao esôfago. Ele irá analisar o revestimento do esôfago e do estômago. Um pedaço de tecido (biópsia) pode ser recolhido para ser examinado sob um microscópio. Um tratamento para a acalasia pode ser feito durante a endoscopia.
  • Manometria. A manometria é um teste fundamental no diagnóstico de acalasia. Um tubo fino será passado através do seu nariz, até ao estômago. A pressão do esôfago e esfíncter será gravada enquanto você bebe goles de água. O tubo será retirado lentamente. O padrão de medições de pressão pode indicar se uma pessoa tem acalasia.

Tratamento de acalasia

A escolha do método de tratamento da acalasia vai depender de:
  • Seu estado geral
  • Conhecimento de várias técnicas por parte do médico
  • Escolha pessoal
  • Tratamentos anteriores
As opções incluem:
  • Dilatação por balão. Este é amplamente considerado o melhor tratamento não-cirúrgico. O seu médico passa um endoscópio até ao seu estômago enquanto você permanece sedado. Em seguida, infla um balão no esfíncter esofágico. Então, as fibras musculares são esticadas, aliviando a pressão que bloqueia a passagem de alimentos no estômago. A maioria dos pacientes experimenta alívio dos seus sintomas por vários anos. O processo pode ter que ser repetido. Outros tratamentos podem também ser necessários. 
  • Cirurgia. O esfíncter esofágico pode ser aberto com uma cirurgia. Novas técnicas cirúrgicas têm levado a resultados melhorados com menor tempo de internação e menores riscos. Miotomia pode ser realizada por laparoscopia. Isto significa equipamentos telescópicos inseridos através de pequenas incisões no abdômen. A maioria das pessoas tem bons a excelentes resultados.
  • Toxina botulínica. Pequenas quantidades de toxina botulínica são injetadas diretamente no esfíncter esofágico. Esta paralisa e, em seguida, relaxa o esfíncter, permitindo que o alimento passe facilmente para dentro do estômago. No entanto a botulínica é cara, e os seus efeitos são de duração relativamente curta.
  • Outros medicamentos. Drogas podem ser tomadas para reduzir a pressão no esfíncter esofágico. Estas incluem nifedipina (Adalat, Procardia) e nitratos (isossorbida ou nitroglicerina). Para ser mais eficaz, um comprimido é dissolvido sob a língua antes das refeições. Melhorias com estes medicamentos são bastante variáveis, mas raramente são usados hoje em dia, como terapia primária.

Prevenção de acalasia

Uma vez que a causa de acalasia é desconhecida, não existe nenhuma forma de a evitar.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL