segunda-feira, 22 de maio de 2017

Transtorno de ansiedade de separação

Transtorno de ansiedade de separação causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Transtorno de ansiedade de separação é uma condição que faz com que uma criança ou adolescente sinta uma extrema aflição quando fica separado dos seus pais ou cuidadores. Dificuldade de separação é normal no desenvolvimento da primeira infância, mas torna-se uma doença se o medo e ansiedade interferirem com o comportamento apropriado para a idade. Uma criança com 18 meses de idade pode não suportar estar longe da vista da sua mãe ou uma criança de 7 anos pode não tolerar um dia na escola sem ter os pais por perto. Geralmente, os sintomas de transtorno de ansiedade de separação tornam-se visíveis na pré-escola, mas em casos raros, tornam-se problemáticos mais tarde, no início da adolescência. Estima-se que 4% das crianças têm esta doença, que é muito tratável com terapias comportamentais e farmacológicas, particularmente quando é detetada precocemente.

Sintomas de transtorno de ansiedade de separação

Sinais de alerta importantes numa criança que pode ter este tipo de transtorno são o extremo apego aos pais e uma percepção persistente de que a família está em perigo, quando ela fica longe dos seus pais. Uma criança pode ter um tempo difícil quando tem de dizer adeus aos pais, tem de andar em casa, ou quando vai dormir num quarto escuro, porque ela tem pavor de que algo possa acontecer com ela ou com a sua família. Ela também pode ter sintomas físicos que se manifestam na antecipação da separação, incluindo dores de estômago, dor de cabeça e tonturas. Se ela estiver na escola pode sentir uma enorme necessidade de saber onde estão os pais, e de estar em contato com eles pelo telefone ou através de mensagens de texto.
Estes sintomas combinados com o medo podem levar a ausências prolongadas da escola. Crianças com esta desordem também podem evitar participar de festas de aniversários de amigos. Em casa, elas são muitas vezes uma "sombra" constante dos pais, e os pais podem começar a sentir-se como "prisioneiros". Pesadelos vividos pela possibilidade de ocorrer uma tragédia familiar também são possíveis sinais, assim como as birras e comportamentos aparentemente desafiantes, quando confrontados com a separação. As crianças mais jovens ficam mais ansiosas no momento da separação, enquanto que as crianças mais velhas desenvolvem antes uma ansiedade antecipatória.

Diagnóstico para transtorno de ansiedade de separação

Para um diagnóstico desta condição, um médico procura por comportamentos anormais relativos à separação dos pais ou cuidadores, que se tornam excessivos para a idade da criança e que a impedem de participar em atividades apropriadas para a sua idade. Os sintomas incluem preocupação em perder os pais ou outras figuras de apego, devido a doença ou morte, medo irracional de um evento que provoca a separação (medo de se perder ou de ser sequestrado), relutância ou recusa em sair de casa para a escola, medo indevido para dormir ou permanecer sozinho, pesadelos persistentes sobre separação e sintomas físicos (dores de cabeça, dores de estômago) em conjunto com a separação ou a antecipação de separação.
Para atender a critérios de transtorno de ansiedade de separação, a criança deve ter os sintomas por pelo menos 4 semanas.

Tratamento de transtorno de ansiedade de separação

O tratamento de primeira linha para a maioria dos casos de ansiedade de separação é a psicoterapia. A terapia cognitivo-comportamental em particular, é utilizada com grande sucesso em casos leves e moderados. Em casos mais graves e em casos de crianças que não respondem bem às abordagens psicoterapêuticas, poderá ser recomendado um curso de medicação.

Terapia psicoterapêutica

Normalmente o tratamento para o transtorno de ansiedade de separação envolve terapia comportamental cognitiva, uma abordagem de tratamento que ajuda as crianças a aprender, a compreender e a gerir os seus medos. A terapia de exposição, uma forma especializada de terapia cognitivo-comportamental, também pode ser usada. A terapia de exposição funciona expondo cuidadosamente as crianças à separação, em pequenas doses controladas, ajudando a reduzir a sua ansiedade ao longo do tempo. Os médicos também podem usar o treino de relaxamento e ensinar alguma técnicas às crianças.
Porque os pais podem inadvertidamente reforçar a ansiedade quando eles confortam as crianças ansiosas, o tratamento (com frequência) envolve também a formação dos pais sobre as formas de responder à ansiedade.

Tratamento farmacológico

Quando a psicoterapia e intervenções comportamentais não são suficientes para controlar os sintomas, os medicamentos podem ser prescritos para aliviar a aflição de uma criança e facilitar a terapia. Uma variedade de medicamentos têm sido eficazes no tratamento da perturbação de ansiedade de separação. O fármaco de primeira linha é um dos SSRIs, o familiar inibidor selectivo de recaptação de serotonina. Ansiolíticos ou medicamentos típicos anti-ansiedade, como os benzodiazepínicos, também são eficazes, embora possam ser viciantes.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL