segunda-feira, 12 de junho de 2017

Molusco contagioso

Molusco contagioso causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Molusco contagioso é uma infecção viral da pele relativamente comum, que resulta em nódulos redondos, firmes e indolores que variam em tamanho desde uma cabeça de alfinete a uma borracha para lápis. Se os nódulos forem arranhados ou feridos, a infecção pode espalhar-se para a pele circundante.
Embora seja mais comum em crianças, molusco contagioso também pode afetar adultos (particularmente aqueles que têm sistemas imunitários enfraquecidos). Em adultos com um sistema imunológico de outra forma normal, o molusco contagioso envolvendo os órgãos genitais é considerado uma infecção sexualmente transmissível.
Esta infecção viral da pele espalha-se através do contato direto de pessoa para pessoa e através do contato com objetos contaminados. Geralmente, os nódulos associados a esta infecção viral desaparecem dentro de um ano sem tratamento, mas a remoção assistida por médico também é uma opção.

Sintomas de molusco contagioso

Sinais e sintomas desta infecção viral da pele incluem inchaços na pele que:
  • Ficam levantados, são redondos e têm cor de carne
  • São pequenos, tendo normalmente cerca de 6 mm de diâmetro
  • Caracteristicamente têm um pequeno recuo (umbilicação) ou um ponto no topo, perto do centro
  • Podem tornar-se vermelhos e inflamados
  • Podem motivar coceira
  • Podem ser facilmente removidos por raspagem ou esfregando, o que pode transmitir o vírus para a pele adjacente
  • Geralmente aparecem na face, pescoço, axilas, braços e topos das mãos em crianças
  • Podem ser vistos nos órgãos genitais, baixo ventre e coxas internas nos adultos, se a infecção for transmitida sexualmente

Causas de molusco contagioso

O vírus que causa esta infecção espalha-se facilmente através de:
  • Contato direto de pele com pele
  • Contato com objetos contaminados, como brinquedos, toalhas e torneiras
  • O contato sexual com um parceiro afetado
Coçar ou esfregar os nódulos espalha o vírus para a pele das proximidades.


Fatores de risco para molusco contagioso

Infecções deste tipo mais generalizadas podem ocorrer em pessoas com sistemas imunitários enfraquecidos e em crianças que têm dermatite atópica.


Complicações associadas a molusco contagioso

Os nódulos e a pele em torno da infecção podem tornar-se vermelhos e inflamados. Pensa-se que isto pode ocorrer como uma resposta imunitária à infecção. Se arranhar, esses nódulos podem ficar infetados. Se as lesões aparecerem nas pálpebras pode desenvolver-se uma conjuntivite.


Consulta médica relativa a molusco contagioso

Provavelmente, você vai começar por visitar o seu médico de cuidados primários ou médico do seu filho. No entanto, nalguns casos, quando você ligar para marcar uma consulta, poderá ser encaminhado imediatamente a um médico que se especializa no tratamento de doenças da pele (dermatologista).
Porque as consultas médicas podem ser breves, e porque muitas vezes existe muita informação a ser prestada, torna-se conveniente que o paciente possa preparar atempadamente a sua consulta. 

Diagnóstico de molusco contagioso

Geralmente, o seu médico pode diagnosticar esta infecção viral da pele através da observação visual direta. Se houver qualquer dúvida, ele pode tomar raspagens de pele na zona infetada e visualizá-las sob um microscópio.

Tratamento para molusco contagioso

Geralmente, esta infecção viral melhora sem tratamento em seis a doze meses. No entanto, é possível continuar a desenvolver nódulos durante cinco anos. Uma vez que todos os seus nódulos desaparecem, você deixa de ser contagioso.
Os médicos podem recomendar que as lesões sejam removidas antes de desaparecem por conta própria, especialmente em adultos, porque eles tornam-se muito contagiosos. Tratamentos para molusco contagioso podem ser dolorosos, pelo que, um anestésico pode ser administrado com antecedência para diminuir o desconforto. Por vezes pode ser utilizada uma combinação de tratamentos.

Medicamentos

Nalguns casos, medicamentos de prescrição ou de venda livre aplicados diretamente sobre as lesões podem ser úteis. Exemplos incluem:
  • Algumas preparações que geralmente contêm ingredientes tais como o ácido salicílico ou o hidróxido de potássio, que ajudam a dissolver a lesão ao longo do tempo. Outras podem causar a formação de uma bolha sob o nódulo, levantando-o para fora da pele.
  • Cremes tópicos. Cremes e géis prescritos, contendo retinóides, como a tretinoína (Atralin, Retin-A, outros), adapaleno (Differin) e tazarotene (Avage, Tazorac), têm sido utilizados para tratar molusco contagioso. Estes medicamentos não podem ser utilizados durante a gravidez.

Procedimentos cirúrgicos e outros

Os métodos médicos usados para remover os nódulos associados a molusco contagioso incluem:
  • Raspagem
  • Congelamento (crioterapia)
  • A terapia com laser
Molusco contagioso não permanece no corpo uma vez que a infecção tenha desaparecido, mas uma pessoa pode ser re-infetada com este vírus, se entrar em contato com alguém que tem uma infecção ativa.

Prevenção de molusco contagioso

Para ajudar a evitar a propagação do vírus, considere:
  • Lavar as mãos. Manter as mãos limpas pode ajudar a prevenir a propagação do vírus.
  • Evitar tocar os nódulos. Raspar sobre as áreas infetadas também pode transmitir o vírus.
  • Não compartilhar objetos pessoais. Isto inclui roupas, toalhas, escovas de cabelo ou outros itens pessoais. Abstenha-se de tomar estes itens emprestados de outras pessoas.
  • Evitar o contato sexual. Se você tem molusco contagioso nos seus órgãos genitais ou perto deles, não mantenha relações sexuais até que os nódulos sejam tratados e desapareçam completamente.
  • Cobrir os nódulos. Use um curativo à prova d'água para cobrir os nódulos, se houver uma possibilidade de que outra pessoa possa entrar em contato com a sua pele infetada. Para manter a pele saudável, descubra-a quando você não vai entrar em contato com outras pessoas.
Não está claro se o vírus molusco contagioso pode espalhar-se na água clorada encontrada em piscinas. Os especialistas suspeitam que o mais provável é que os nadadores transmitam o vírus através do uso compartilhado de toalhas; equipamentos, como kickboards; ou contato direto da pele. Para ajudar a evitar a propagação desta infecção, cubra os nódulos com ataduras estanques antes de nadar e não compartilhe toalhas, brinquedos de água ou kickboards.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL