segunda-feira, 29 de maio de 2017

Escarlatina - Causas, sintomas e tratamento

Escarlatina causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
A escarlatina é uma doença bacteriana que se desenvolve nalgumas pessoas que têm infecções na garganta. Também conhecida como febre escarlate, esta condição motiva uma erupção vermelha brilhante que cobre a maior parte do corpo. A escarlatina é quase sempre acompanhada de uma dor de garganta e febre alta.
A escarlatina é mais comum em crianças entre os 5 e 15 anos de idade. Apesar da escarlatina já ter sido considerada uma doença grave da infância, tratamentos com antibióticos tornaram esta condição menos ameaçadora. Ainda assim, se não for tratada, a escarlatina pode resultar em condições mais graves que afetam o coração, os rins e outras partes do corpo.


Sintomas de escarlatina

Os sinais e sintomas que estão associados à escarlatina podem incluir:
  • Erupção vermelha. A erupção parece uma queimadura solar e sente-se como uma lixa. Em geral, a erupção começa na face ou pescoço e espalha-se para o tronco, braços e pernas. Se for aplicada pressão na pele avermelhada, esta vai ficar com uma coloração pálida.
  • Linhas vermelhas. As dobras da pele em torno da virilha, axilas, cotovelos, joelhos e pescoço, normalmente, tornam-se num vermelho mais profundo do que a erupção circundante.
  • Cara corada. O rosto pode aparecer corado com um anel pálido ao redor da boca.
  • Língua de morango. Geralmente a língua parece ficar vermelha e acidentada, sendo muitas vezes coberta com uma camada branca no início da doença.
Geralmente, a erupção e vermelhidão na face e na língua duram cerca de uma semana. Após estes sinais e sintomas desaparecerem, geralmente, a pele afetada pela erupção descasca. Outros sinais e sintomas associados com a escarlatina incluem:
  • Febre de 38,3 ºC ou superior, muitas vezes com calafrios
  • Garganta vermelha e muito dolorida, por vezes com manchas brancas ou amareladas
  • Dificuldade de deglutição
  • Glândulas ampliadas no pescoço (gânglios linfáticos), que se tornam sensíveis ao toque
  • Náuseas ou vômitos
  • Dor de cabeça

Causas de escarlatina

A escarlatina é causada pelo mesmo tipo de bactérias que causam inflamação de garganta. Na escarlatina, as bactérias liberam uma toxina que produz a erupção cutânea e motivam uma língua vermelha.
A infecção espalha-se de pessoa para pessoa através de gotículas expelidas quando uma pessoa infetada tosse ou espirra. O período de incubação (o tempo entre a exposição e a doença) é geralmente de dois a quatro dias.


Fatores de risco para escarlatina

Crianças de 5 a 15 anos de idade são mais propensas do que as outras pessoas para obter a escarlatina. Os germes de escarlatina espalham-se mais facilmente entre as pessoas através de contato próximo, como membros da família ou colegas de classe.

Complicações associadas a escarlatina

Se a escarlatina não for tratada, a bactéria pode espalhar-se para:
  • Amígdalas
  • Pulmões
  • Pele
  • Rins
  • Sangue
  • Ouvido médio
Raramente, escarlatina pode levar a febre reumática, uma doença grave que pode afetar:
  • Coração
  • Articulações
  • Sistema nervoso
  • Pele


Quando consultar um médico


Fale com o seu médico se o seu filho tiver uma dor de garganta acompanhada por:

  • Febre de 38,9 ºC ou mais elevada
  • Glândulas inchadas no pescoço
  • Uma erupção vermelha

Como preparar uma consulta médica relativa a escarlatina

É provável que inicialmente você consulte o seu médico de família ou pediatra do seu filho. No entanto, quando você ligar para marcar a consulta médica, você pode ser aconselhado a procurar assistência médica imediata se o seu filho estiver a enfrentar algum dos seguintes sintomas:
  • Febre alta
  • Dor de garganta grave, com dificuldade em engolir
  • Dor abdominal intensa ou vômitos
  • Dor de cabeça severa


O que você pode fazer

Antes da sua consulta médica, você pode querer escrever uma lista de perguntas para colocar ao médico. Estas podem incluir:
  • Quanto tempo, depois do meu filho começar o tratamento, ele irá começar a sentir melhoras?
  • O meu filho está em risco de complicações a longo prazo relacionadas com a escarlatina?
  • Existe algo que eu possa fazer para ajudar a acalmar a pele do meu filho enquanto ela cura?
  • Quando é que o meu filho pode voltar para a escola?
  • O meu filho está contagioso? Como posso reduzir o risco do meu filho passar a doença para outras pessoas?
  • Existe uma alternativa genérica para o medicamento que está a prescrever? E se o meu filho for alérgico à penicilina?
Além das perguntas que você preparou para colocar ao seu médico, não hesite em fazer perguntas que lhe ocorram durante a sua consulta médica.

O que esperar do seu médico

Provavelmente, o seu médico irá fazer-lhe uma série de perguntas. Esteja pronto para responder de modo adequado, de forma a reservar tempo para abordar todas as questões que você ou o seu médico considerem pertinentes. O seu médico pode perguntar:
  • Quando é que o seu filho começou a notar sintomas?
  • O seu filho teve uma dor de garganta ou dificuldade em engolir?
  • O seu filho teve febre? Qual foi a febre, e quanto tempo durou?
  • O seu filho teve dor abdominal ou vômitos?
  • O seu filho come de forma adequada?
  • O seu filho queixou-se de dor de cabeça?
  • O seu filho teve recentemente uma infecção estreptocócica?
  • O seu filho foi recentemente exposto a alguém com uma infecção estreptocócica?
  • O seu filho foi diagnosticado com quaisquer outras condições médicas?
  • O seu filho está atualmente a tomar alguma medicação?
  • O seu filho tem alergias a medicamentos?


Diagnóstico para escarlatina

Durante o exame físico, o médico irá:
  • Olhar para a condição da garganta, amígdalas e língua do seu filho
  • Sentir o pescoço do seu filho para determinar se os linfonodos estão alargados
  • Avaliar a aparência e textura da erupção
Se o seu médico suspeitar de que uma infecção por estreptococos é a causa da doença do seu filho, ele também irá pincelar as amígdalas e a parte de trás da garganta para recolher material que possa abrigar as bactérias estreptococos.
Testes para as bactérias estreptococos são importantes porque uma série de condições podem motivar os sinais e sintomas de escarlatina, e estas doenças podem exigir tratamentos diferentes. Se não existirem bactérias estreptococos, então, algum outro fator está a causar a doença.


Tratamento para escarlatina

Se o seu filho tem febre escarlate, o seu médico irá prescrever um antibiótico. Verifique se o seu filho conclui o curso completo de medicamentos. O não cumprimento das diretrizes de tratamento pode motivar que não se elimine completamente a infecção, aumentando o risco da criança desenvolver complicações.
O seu filho pode voltar para a escola quando ele tomar antibióticos durante pelo menos 24 horas e já não tiver febre.


Estilo de vida e remédios caseiros para escarlatina

Você pode tomar uma série de medidas para reduzir o desconforto e dor do seu filho.
Estas incluem:
  • Tratar a febre e dor. Use ibuprofeno (Advil, Motrin infantil, outros) ou paracetamol (Tylenol, outros) para controlar a febre e minimizar a dor de garganta.
  • Fornecer quantidade adequada de líquidos. Dê ao seu filho muita água para manter a garganta úmida e para evitar a desidratação.
  • Prepare um gargarejo de água salgada. Se o seu filho for capaz de gargarejar água, dê-lhe água salgada em gargarejo e cuspa. Isto pode aliviar a dor de garganta.
  • Umidificar o ar. Use um umidificador de vapor frio para eliminar o ar seco que pode irritar ainda mais uma dor de garganta.
  • Oferecer pastilhas. Crianças com mais de 4 anos de idade podem chupar pastilhas para aliviar uma dor de garganta.
  • Fornecer alimentos confortáveis. Líquidos quentes, como sopa e guloseimas frias como picolés podem aliviar uma dor de garganta.
  • Evitar irritantes. Mantenha a sua casa livre de fumaça de cigarro e produtos de limpeza que possam irritar a garganta.

Prevenção para escarlatina

As melhores estratégias de prevenção para escarlatina são as mesmas que as precauções padrão contra infecções:
  • Lave as mãos. Mostre ao seu filho como lavar as suas mãos cuidadosamente com água morna e sabão.
  • Não compartilhe utensílios de refeições ou alimentos. Como regra geral, o seu filho não deve compartilhar copos ou talheres com amigos ou colegas. Esta regra também se aplica à partilha de alimentos.
  • Cubra a sua boca e nariz. Diga ao seu filho para cobrir a boca e o nariz quando tossir e espirrar, para evitar a potencial propagação de germes.
  • Se seu filho tem escarlatina, lave os seus copos, utensílios e, se possível brinquedos, em água quente e sabão ou numa máquina de lavar louça.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL