sexta-feira, 2 de junho de 2017

Birra - Causas e formas de lidar

Birra causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Birra é um comportamento desagradável e perturbador que ocorre com explosões emocionais. A birra, geralmente ocorre em resposta às necessidades ou desejos não satisfeitos. As birras são mais prováveis de ocorrer em crianças mais jovens ou em pessoas que não podem expressar as suas necessidades ou que não conseguem controlar as suas emoções quando se sentem frustradas.
A birra é natural durante a primeira infância. É normal que as crianças queiram ser independentes quando aprendem que são pessoas com vontade própria.
Este desejo de controle, muitas vezes mostra-se com um constante dizer "não" e com acessos de raiva. Birras são agravadas pelo facto de que a criança pode não ter vocabulário adequado para expressar os seus sentimentos.
Birras começam geralmente em crianças de 12 a 18 meses de idade, e podem piorar entre os 2 e os 3 anos, e em seguida diminui até aos 4 anos de idade. Depois dos 4 anos de idade, elas raramente ocorrem. Estar cansado, com fome, ou doente, pode provocar birras piores ou mais frequentes.

Quando a criança tem uma birra

Quando a criança tem um acesso de raiva, torna-se importante que você fique calmo. Lembre-se de que as birras são normais. A birra não é culpa sua. Você não é um mau pai e o seu filho ou filha não é uma criança má. Gritar ou bater no seu filho só vai piorar a situação. Uma atmosfera e resposta tranquila, sem "ceder" ou quebrar as regras que você definiu, reduz o estresse e faz com que você se sinta melhor.
Você também pode tentar uma distração suave, mudança nas atividades de que o seu filho gosta ou fazer uma cara engraçada. Se o seu filho tiver um acesso de raiva longe de casa, leve o seu filho para um lugar calmo, como o carro ou uma sala de descanso. Mantenha o seu filho seguro até que a birra termine.
Birras são um comportamento de busca de atenção. Uma estratégia para minimizar a duração e a gravidade da birra é ignorar o comportamento. Se você estiver seguro de que o seu filho está seguro e não se torna destrutivo, vá para outro quarto da casa, já que este facto pode encurtar o episódio, porque agora o drama não tem audiência. O seu filho pode continuar a birra. Se assim for, não fale ou reaja até que o comportamento pare. Em seguida, discuta com calma a questão e ofereça alternativas sem ceder à procura do seu filho.

Prevenção de birras

Certifique-se de que o seu filho come e dorme em horas habituais. Se o seu filho já não tirar um cochilo, garanta que ele ainda tem algum tempo de silêncio para descansar. Deitar por 15 a 20 minutos ou descansar enquanto você lê histórias em horários regulares do dia, pode ajudar a prevenir ataques de raiva.

Outros métodos para evitar acessos de raiva incluem:
  • Usar um tom otimista quando pedir ao seu filho para fazer alguma coisa. Faça parecer que se trata de um convite, não uma ordem. Por exemplo: "Se você arrumar as suas luvas e chapéu, pode ir brincar". NÃO batalhe sobre coisas sem importância como quais os sapatos que o seu filho veste ou se ele se senta na cadeira alta ou no assento de elevação. A segurança é o que importa, como não tocar num fogão quente, manter o assento de carro e não brincar na rua.
  • Quando possível, ofereça opções. Por exemplo, deixe o seu filho escolher que roupa vestir e que histórias ler. Uma criança que se sente independente em muitas áreas será mais propensa a seguir as regras quando é uma obrigação. Não ofereça uma escolha se realmente ela não existir.

Em caso de birra, quando procurar ajuda

Se as birras estiverem a piorar e você não consegue gerenciá-las, procure o conselho do seu médico. Procure ainda ajuda nos casos em que você não é capaz de controlar a sua raiva e parar de gritar, ou se você estiver preocupado com a forma como pode reagir ao comportamento do seu filho, com castigo físico.
Você deve procurar ajuda de um médico ou do pediatra do seu filhos se:
  • As birras piorarem depois dos 4 anos de idade
  • O seu filho se fere a si mesmo ou aos outros, ou destrói objetos
  • O seu filho prende a sua respiração durante os acessos de raiva, especialmente se ele desmaiar
  • O seu filho também tiver pesadelos, reversão de treinamento de toalete, dor de cabeça, dores de estômago, ansiedade, e se recusar comer ou ir para a cama.

Também poderá gostar de ler:
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL