segunda-feira, 24 de abril de 2017

Atrofia muscular - Causas, sintomas e tratamento

Atrofia muscular causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
A atrofia muscular é o desperdício ou perda de tecido muscular. Por vezes esta condição também se pode designar de perda de massa muscular.
Existem dois tipos de atrofia no músculo.
Atrofia por desuso ocorre com a falta de exercício físico. Na maioria das pessoas, este tipo de atrofia é causada por não se utilizar os músculos de modo suficiente. Pessoas com empregos sedentários, condições médicas que limitam os seus movimentos, ou com níveis de atividade diminuída, podem perder o tônus muscular e desenvolver atrofia muscular. Este tipo de atrofia pode ser revertida com o exercício e uma melhor nutrição.
Pessoas acamadas podem ter significativa perda de massa muscular. Os astronautas que estão longe da gravidade da Terra podem desenvolver diminuição do tônus muscular e perder o cálcio dos seus ossos depois de apenas alguns dias de ausência de peso.
O tipo mais grave de atrofia nos músculos é a atrofia neurogênica. Esta ocorre quando existe uma lesão ou doença de um nervo que se coneta ao músculo. Este tipo de condição tende a ocorrer de modo mais repentino do que a atrofia motiva por falta de uso.

Exemplos de doenças que afetam os nervos que controlam os músculos incluem:
Apesar das pessoas puderem adaptar-se a um certo grau de atrofia muscular, mesmo que esta seja menor, geralmente provoca alguma perda de movimento ou força.

Sintomas de atrofia muscular

Atrofia muscular por falta de uso é caracterizada por músculos flácidos fracos. Os sinais e sintomas são fáceis de detetar, tanto em nós mesmos como sobre os outros. Músculos que não são exercidos tornam-se fracos e podem eventualmente atrofiar. Os sinais e sintomas de atrofia muscular neurogênica são um pouco mais difíceis de reconhecer rapidamente por um leigo. Um dos primeiros sinais de atrofia neurogênica é uma postura inclinada. Outros sintomas podem incluir dor nas costas, problemas ao caminhar, contraturas do tendão de Aquiles, limitação dos movimentos do pescoço, uma espinha rígida e fraca. Mais uma vez, o coração também é um músculo, e se ele atrofiar, provavelmente irá falhar. Alguns destes sintomas podem ser visivelmente detetados, até mesmo por um leigo, mas outros sintomas como o aumento dos níveis de creatina quínase precisam de testes de diagnóstico realizados por profissionais médicos, a fim de poderem ser detetados.

Causas de atrofia muscular

Alguns casos ocorrem normalmente com o envelhecimento. Outras causas podem incluir:
  • Álcool associado a miopatia
  • A esclerose lateral amiotrófica
  • Queimaduras
  • Dermatomiosite e polimiosite
  • A síndrome de Guillain-Barré
  • Corticoterapia a longo prazo
  • Imobilização de longo prazo
  • Neuropatia motora (tais como neuropatia diabética)
  • Distrofia muscular
  • Osteoartrite
  • Poliomielite
  • Artrite reumatoide
  • Desnutrição grave
  • Lesão da medula espinhal
  • Acidente vascular encefálico
Um programa de exercícios (sob a direção de um terapeuta ou médico) pode ser recomendado para ajudar a reverter a atrofia nos músculos. Isto pode incluir exercícios dentro de água para reduzir a carga de trabalho dos músculos, e outros tipos de reabilitação.
As pessoas que não podem mover de forma ativa uma ou mais articulações podem fazer exercícios utilizando cintas ou talas.
Consulte o seu médico se tiver perda muscular inexplicável ou de longo prazo. Muitas vezes, você pode verificar este problema quando compara uma mão, braço ou perna com o outro/a.


Diagnóstico para atrofia muscular

O médico irá realizar um exame físico e fazer perguntas sobre o seu histórico médico e sintomas, incluindo:
  • Quando é que a atrofia começou?
  • Está ficando pior?
  • Que outros sintomas você tem?
O médico poderá ainda olhar para os seus braços e pernas e medir o tamanho do músculo para tentar determinar qual o nervo ou nervos que estão afetados.

Os testes que podem ser executados incluem:
  • Exames de sangue
  • Tomografia computadorizada
  • A eletromiografia (EMG)
  • Exames de ressonância magnética
  • Biópsia do músculo ou do nervo
  • Estudos de condução nervosa
  • Raios X

Tratamento para atrofia muscular

Dependendo do tipo de atrofia que tenha sido diagnosticada, os tratamentos podem variar significativamente. Muitas vezes, a atrofia por desuso muscular pode ser corrigida com a quantidade adequada e tipo de exercício, enquanto que a atrofia neurogênica pode ser tratada de uma ou várias formas. Por vezes, podem ser prescritos medicamentos, enquanto que noutras vezes, um procedimento cirúrgico torna-se necessário. Na maior parte dos casos, medicações prescritas incluem anti-inflamatórios tais como corticosteroides, a fim de reduzir a inflamação e compressão dos nervos afetados. No caso de condições como a hérnia de disco, uma cirurgia pode ser o curso de ação recomendado.
Muitas vezes, osteopatas executam manipulações músculo-esqueléticas, a fim de reduzir a compressão dos nervos no interior da coluna vertebral.. O objetivo destes "ajustes" é esticar literalmente a coluna vertebral, a fim de aliviar a pressão sobre nervos comprimidos.
A menos que você tenha uma doença debilitante ou esteja acamado, o melhor tratamento é levantar-se e mexer-se. Exercite-se o mais rigorosamente possível, mesmo que tenha de implementar o exercício de modo lento, no início. A chave é usar os músculos para que eles não se desperdicem. Pode ser necessário algum esforço extra para enquadrar a prática regular de exercícios na sua agenda, mas os benefícios valem bem o esforço.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL