sábado, 1 de abril de 2017

Fibromialgia - Causas, sintomas e tratamento

Fibromialgia causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
A fibromialgia é uma desordem caracterizada por dor músculo-esquelética generalizada acompanhada por problemas de fadiga, sono, memória e humor. Os investigadores acreditam que a condição amplifica as sensações dolorosas, afetando a forma como o cérebro processa os sinais de dor.
Por vezes, os sintomas começam após um trauma físico, cirurgia, infecção ou estresse psicológico significativo. Noutros casos, os sintoma acumulam-se gradualmente ao longo do tempo sem nenhum evento desencadeante.
As mulheres são muito mais propensas a desenvolver este tipo de dor do que os homens. Muitas pessoas também têm dores de cabeça tensionais, distúrbios da articulação temporomandibular, síndrome do intestino irritável, ansiedade e depressão.
Embora não haja cura para a condição, uma variedade de medicamentos pode ajudar a controlar os sintomas. Exercício, medidas de relaxamento e redução do estresse também podem ajudar.

Sintomas de fibromialgia

Os sintomas associados a fibromialgia podem incluir:
  • Dor generalizada. A dor é muitas vezes descrita como uma dor surda constante que dura pelo menos três meses. Para ser considerada generalizada, a dor deve ocorrer em ambos os lados do corpo e acima e abaixo da cintura.
  • Fadiga. As pessoas despertam cansadas frequentemente, mesmo que tenham dormido por longos períodos de tempo. O sono é frequentemente interrompido por dor, e muitos pacientes com fibromialgia têm outros distúrbios do sono, como a síndrome das pernas inquietas e apneia do sono.
  • Dificuldades cognitivas. Estes são sintomas comumente referidos como sendo prejudiciais para  a capacidade de concentração e de prestar atenção em tarefas mentais.
  • Outros problemas. Muitas pessoas também podem sofrer de depressão, dor de cabeça, e dor ou cólicas no abdômen inferior.

Causas de fibromialgia

Os médicos não sabem o que causa o problema, mas provavelmente, este envolve uma variedade de fatores que funcionam em conjunto. Estes podem incluir:
  • Genética. Atendendo a que a condição tende a ocorrer em determinadas famílias, pode haver certas mutações genéticas que podem tornar uma pessoa mais suscetível a desenvolver o transtorno.
  • Infecções. Algumas doenças parecem desencadear ou agravar a condição.
  • Trauma físico ou emocional. Transtorno de estresse pós-traumático tem sido associado a fibromialgia.

Diagnóstico de fibromialgia

No passado, os médicos iriam verificar 18 pontos específicos no corpo de uma pessoa para constatar quantos deles eram dolorosos, quando pressionados firmemente. Orientações mais recentes não requerem um exame de pontos dolorosos. Em vez disso, um diagnóstico deste tipo de dor generalizada pode ser feito se uma pessoa teve dor generalizada por mais de três meses sem que haja uma condição médica subjacente que possa estar a causar a dor.

Exames de sangue

Enquanto não existe nenhum teste de laboratório para confirmar um diagnóstico de fibromialgia, o seu médico pode querer excluir outras condições que possam motivar sintomas semelhantes. Exames de sangue podem incluir:
  • Hemograma completo
  • Taxa de sedimentação de eritrócitos
  • Os testes de função da tireoide

Tratamento para fibromialgia

Em geral, os tratamentos incluem medicação e auto-cuidado. O ênfase está em minimizar os sintomas e melhorar a saúde geral. Nenhum tratamento funciona para todos os sintomas.

Medicamentos

Os medicamentos podem ajudar a reduzir a dor e a melhorar o sono. Escolhas mais comuns incluem:
  • Analgésicos. Analgésicos de venda livre como o paracetamol (Tylenol, outros), ibuprofeno (Advil, Motrin IB, outros) ou naproxeno sódico (Aleve, outros) podem ser úteis. O seu médico pode sugerir a prescrição de um analgésico tais como tramadol (Ultram, Conzip). Narcóticos não são aconselhados, porque eles podem levar à dependência e até podem piorar a dor ao longo do tempo.
  • Antidepressivos. Duloxetina (Cymbalta) e milnaciprano (Savella) podem ajudar a aliviar a dor e fadiga associadas à dor generalizada. O seu médico pode prescrever amitriptilina ou fluoxetina (Prozac) para ajudar a promover o sono.
  • Os medicamentos anti-convulsivos. Os medicamentos destinados ao tratamento da epilepsia são frequentemente úteis na redução de certos tipos de dor. Por vezes, a gabapentina (Neurontin, Gralise) torna-se útil para reduzir os sintomas da fibromialgia.


Terapia


Falar com um conselheiro pode ajudar a fortalecer a sua crença nas suas habilidades e ensinar-lhe estratégias para lidar com situações estressantes.


Estilo de vida e remédios caseiros para fibromialgia

Auto-cuidado é fundamental no tratamento de fibromialgia. Medidas de auto-cuidado podem incluir:
  • Reduzir o estresse. Desenvolva um plano para evitar ou limitar o excesso de estresse emocional. Permita-se tempo a cada dia para relaxar. Isto pode significar ter de aprender a dizer não, sem sentir culpa. Mas tente não mudar a sua rotina completamente. Pessoas que param de trabalhar ou que deixam de implementar toda a atividade tendem a piorar, quando comparadas com aquelas que permanecem ativas. Tente técnicas de gerenciamento de estresse, como exercícios de respiração profunda ou meditação.
  • Durma o suficiente. Porque a fadiga é uma das principais características da fibromialgia, dormir o suficiente é essencial. Além de atribuição de tempo suficiente para o sono, mantenha a prática de bons hábitos de sono, tais como ir para a cama e levantar-se à mesma hora a cada dia e limitar os cochilos durante o dia.
  • Exercite-se regularmente. No inicio, o exercício pode aumentar a sua dor. Mas fazê-lo gradualmente e regularmente, muitas vezes diminui os sintomas. Exercícios apropriados podem incluir caminhadas, natação, ciclismo e hidroginástica. Um fisioterapeuta pode ajudá-lo a desenvolver um programa de exercícios caseiros. Alongamento, boa postura e exercícios de relaxamento também se tornam úteis.
  • Mantenha o seu ritmo. Mantenha a sua atividade num nível adequado e constante. Se você mantiver muita atividade nos seus dias bons, você pode ter mais dias ruins. Moderação significa não exagerar nos seus dias bons, mas, da mesma forma, não significa auto-limitar-se nos dias em que os sintomas pioram.
  • Mantenha um estilo de vida saudável. Coma alimentos saudáveis. Limite a ingestão de cafeína. Faça algo que você ache agradável e cumpra-o todos os dias.

Medicina alternativa para fibromialgia

Terapias complementares e alternativas para dor e gestão do estresse não são novas. Algumas, como meditação e yoga, têm sido praticadas há milhares de anos. Mas o seu uso tornou-se mais popular nos últimos anos, especialmente em pessoas que têm doenças crônicas, como fibromialgia.
Vários destes tratamentos parecem aliviar o estresse com segurança e reduzir a dor, e alguns estão a ganhar aceitação na medicina alternativa. Mas muitas práticas permanecem sem comprovação porque ainda não foram adequadamente estudadas.

Acupuntura

A acupuntura é um sistema médico chinês baseado em restaurar o equilíbrio normal das forças de vida mediante a inserção de agulhas muito finas através da pele, a várias profundidades. De acordo com algumas teorias de acupuntura, as agulhas causam alterações no fluxo sanguíneo e níveis de neurotransmissores no cérebro e medula espinhal. Alguns estudos indicam que a acupuntura ajuda a aliviar os sintomas da fibromialgia, enquanto outros não mostram nenhum benefício.

Prevenção de fibromialgia

Não existe nenhuma forma conhecida de prevenir ou impedir a condição.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL