sexta-feira, 10 de março de 2017

Espondilite anquilosante

Espondilite anquilosante causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção
A espondilite anquilosante é uma forma de artrite que afeta principalmente a parte inferior das costas e que provoca inflamação e danos nas articulações, afetando inicialmente as articulações sacroilíacas entre a coluna vertebral e a bacia. Esta condição também pode afetar outras zonas da coluna vertebral e outras articulações, tais como o joelho. Eventualmente, articulações da coluna inflamadas podem ficar fundidas ou unidas de modo que não se podem mover de forma independente. A palavra espondilite refere-se a inflamação da coluna vertebral e anquilose significa fusão de dois ossos num só.

Causas de espondilite anquilosante

Esta condição é relativamente rara e afeta cerca de 1 em cada 1.000 pessoas, podendo ser encontrada em famílias, apesar da sua causa não ser ainda bem compreendida. Comumente, este tipo de espondilite atinge homens jovens e saudáveis. Os homens podem obter esta condição 10 vezes mais frequentemente do que as mulheres. A doença aparece com mais frequência entre as idades de 20 e 40 anos, mas pode desenvolver-se em crianças.

Sintomas de espondilite anquilosante

Comumente, uma pessoa com espondilite anquilosante irá sentir dor ou rigidez na parte inferior das costas, especialmente na parte da manhã ou após períodos de inatividade. Normalmente, a dor nas costas começa na articulação sacro-ilíaca e percorre o caminho até à parte inferior da coluna. Eventualmente, a doença pode afetar toda a coluna vertebral. As pessoas podem ter dor e sensibilidade nas coxas, quadris e noutras articulações do torso. Joelhos e tornozelos podem ficar inflamados, mas geralmente, o problema não afeta mais de três ou quatro articulações nos braços e pernas.
Uma das características da condição é que a rigidez melhora muitas vezes com a atividade. As pessoas que têm este transtorno podem piorar se não se exercitarem regularmente. Como a coluna vertebral e as suas estruturas de apoio endurecem, uma pessoa pode começar a inclinar-se mais. Com o tempo, os ossos da coluna vertebral podem fundir-se ou crescer em conjunto, causando uma espinha dorsal extremamente dura e rígida. Esta situação pode tornar a respiração profunda difícil, porque a espinha rígida e as articulações entre as costelas e o esterno tornam difícil a expansão do peito. Em casos raros, a inflamação nos pulmões provoca falta de ar e inflamação nos olhos, o que pode causar visão reduzida, olhos vermelhos e dolorosos. A dor e rigidez na parte inferior das costas pode causar problemas para caminhar. Quase qualquer movimento pode tornar-se extremamente doloroso.
Outros possíveis sintomas incluem:


Fatores de risco para espondilite anquilosante

Os fatores de risco para a condição incluem:
  • Sexo. Os homens são mais propensos a desenvolver esta condição do que as mulheres.
  • A idade. Geralmente, o início ocorre no final da adolescência ou início da idade adulta.
  • A hereditariedade. A maioria das pessoas que têm esta condição têm o gene HLA-B27. Mas muitas pessoas que têm este gene nunca desenvolvem o problema.


Diagnóstico para espondilite anquilosante

O seu médico irá formular perguntas sobre os seus sintomas. Ele irá examiná-lo e pode recorrer a raios-X ou outros exames de imagem, como uma tomografia computadorizada (TC) ou uma ressonância magnética para procurar problemas nas articulações sacroilíacas ou quaisquer outras articulações que se sintam dolorosas ou duras. O médico também pode solicitar um exame de sangue para procurar um gene chamado HLA-B27. Este gene é encontrado mais comumente em pessoas com espondilite anquilosante do que noutras pessoas. No entanto, ter o gene HLA-B27 não significa que você tenha ou possa desenvolver o problema. O seu médico irá diagnosticar a doença com base numa combinação de sintomas, exame físico, exames de sangue e exames de imagem.

Tratamento para espondilite anquilosante

O objetivo do tratamento será o de reduzir a dor articular e prevenir, retardar ou corrigir qualquer dano ou deformidade da coluna vertebral e de outras articulações.

Medicamentos

Um grande número de medicamentos podem ser eficazes, incluindo fármacos anti-inflamatórios (tais como ibuprofeno), analgésicos (por exemplo, acetaminofeno), sulfassalazina ou metotrexato. Os medicamentos injetáveis adalimumab (Humira), etanercept (Enbrel), infliximab (Remicade) e simponi (golimumab) foram recentemente aprovados para espondilite anquilosante. Estudos iniciais sugerem que estas drogas podem ser muito mais eficazes do que as drogas utilizadas à mais tempo (mais velhas).

Gestão diária 

Geralmente, o tratamento inclui fisioterapia e exercícios. Um fisioterapeuta irá desenvolver uma rotina de exercícios que provavelmente incluirão amplitude de movimento e exercícios de alongamento para ajudar a coluna vertebral a permanecer flexível. Exercícios abdominais e promovidos nas costas podem ajudar a manter uma boa postura para que exista menor probabilidade de ocorrer uma inclinação. A natação é um exercício especialmente bom porque ele pode tornar o movimento de certas áreas mais duras, mais fácil na água. Evite quaisquer atividades que possam colocar muito estresse. Por exemplo, correr pode fazer com que a dor nas costas possa tornar-se pior, porque correr coloca mais pressão sobre as articulações da coluna vertebral.
Banhos quentes, calor e massagem podem ajudar a aliviar a dor. Se você puder, durma de costas sobre um colchão firme e use um travesseiro pequeno, ou não use (de todo) nenhum travesseiro.
Uma vez que este tipo de espondilite pode afetar os ossos da caixa torácica, a sua capacidade pulmonar pode tornar-se restrita. Os exercícios de respiração podem ajudar a manter a sua capacidade pulmonar. Se você fuma, parar de fumar deve ser uma prioridade. Mesmo com o melhor tratamento, algumas pessoas vão desenvolver uma coluna vertebral fundida, mas a maioria das pessoas ainda pode funcionar de modo normal. Nalgum momento, uma cinta ou outros dispositivos podem ajudar. Se outros órgãos estiverem afetados, como o coração ou olho, você pode ter que consultar um especialista, e poderá precisar de tratamento e acompanhamento adicional. Por exemplo, uma pessoa com a condição pode precisar de um pacemaker se o seu coração for afetado.

Cirurgia

A cirurgia somente será necessária se a doença tiver causado danos nos nervos da coluna vertebral ou se a lesão articular for grave.

Prevenção de espondilite anquilosante

Não existe nenhuma forma conhecida de evitar esta condição médica.
Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL