sábado, 4 de março de 2017

DPOC - Doença pulmonar obstrutiva crônica

DPOC doença pulmonar obstrutiva crônica causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção fatores risco
A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) refere-se a um grupo de doenças que danificam os pulmões. Estes distúrbios tornam a respiração cada vez mais difícil ao longo do tempo.

Causas de DPOC

As formas mais comuns de doença pulmonar obstrutiva crônica são a bronquite crônica e enfisema. Ambas, são doenças crônicas que comprometem o fluxo de ar nos pulmões. A maioria dos casos estão relacionados com o tabagismo.

Sintomas de DPOC

Geralmente, as pessoas com doença pulmonar obstrutiva crônica têm sintomas tanto de bronquite crônica como de enfisema.
A bronquite crônica pode apresentar-se com diferentes sintomas em pessoas diferentes.
O primeiro sintoma pode ser uma tosse com muco pela manhã. No início, esta tosse com muco pode só ocorrer durante os meses de inverno. Em casos mais leves, a tosse apenas produz uma pequena quantidade de muco fino e transparente. Noutras pessoas, o muco é grosso e descolorido.
À medida que a doença progride, a tosse começa a durar ao longo do dia e do ano, produzindo mais muco. Alguns sintomas semelhantes à asma também se podem desenvolver. Estes incluem chiado e falta de ar.
Eventualmente, a pessoa com bronquite crônica pode desenvolver sintomas tais como:
  • Uma tosse contínua
  • Falta de ar
  • Respiração rápida
  • Um tom azulado da pele por falta de oxigênio
Ao longo do tempo, as vias aéreas estreitam-se e a pressão do sangue nas artérias que alimentam os pulmões aumenta, esticando o lado direito do coração. Eventualmente, pode desenvolver-se uma insuficiência cardíaca. O sangue pode fazer um backup no fígado, abdômen e pernas.
A bronquite crônica também torna um paciente susceptível a infecções respiratórias frequentes, aumentando o risco de dificuldades respiratórias potencialmente fatais. 

Se um paciente tiver enfisema, inicialmente, ele pode sentir falta de ar durante atividades como caminhar. A função pulmonar diminui lentamente no enfisema. O paciente pode notar mudanças na respiração, que se torna mais e mais difícil.
Com o tempo, o paciente pode desenvolver:
  • O aumento da falta de ar
  • Pieira
  • Tosse
  • Aperto no peito
  • Um peito distendido
  • Fadiga constante
  • Dificuldade em dormir
  • Perda de peso

Diagnóstico de DPOC

O seu médico irá examiná-lo e procurar evidências de doença pulmonar obstrutiva crônica, incluindo:
  • Respiração rápida
  • Um tom azulado da pele, lábios ou unhas
  • Um peito em forma de barril distendido
  • O uso de músculos do pescoço para respirar
  • Sons respiratórios anormais
  • Sinais de insuficiência cardíaca (edema no tornozelo e pernas)
Muitas vezes, a avaliação desta condição inclui alguns dos seguintes ensaios:
  • Nível de oxigênio no sangue - Um assistente médico coloca um "grampo" no seu dedo por menos de um minuto. O dispositivo mede o nível de oxigênio no sangue (chamado de nível de saturação de oxigênio).
  • Teste de função pulmonar - Você vai respirar para um bocal especial. A máquina irá medir o quanto as suas vias respiratórias estão bloqueadas e quanto é que os seus pulmões podem inflar.
  • Exames de sangue - Medem os diferentes tipos de células do sangue, mas também podem medir a quantidade de oxigênio e de dióxido de carbono no sangue. Se o seu médico suspeitar de enfisema herdada, os exames de sangue podem verificar a existência de baixos níveis de alfa-1 antitripsina.
  • Radiografia de tórax  - As imagens mostram a extensão dos danos e podem ser muito úteis no futuro, se a pessoa desenvolver novos sintomas. Comparando novos raios-X ou tomografias computadorizadas com imagens antigas, torna-se mais fácil para o médico diagnosticar uma nova pneumonia ou um possível câncer de pulmão. Eles também podem mostrar se o coração se encontra ampliado.
  • Eletrocardiograma - Mede a atividade elétrica do coração. Geralmente, é feito para garantir que os sintomas não são causados por um problema de coração, em vez de uma complicação associada a DPOC.
  • Análise do escarro - Se existirem sintomas sugestivos de bronquite ou pneumonia, você pode ser convidado a tossir uma amostra de escarro (muco). A amostra será enviada para um laboratório para analisar as bactérias.
Se você for diagnosticado com enfisema hereditário, os membros da família devem ser testados para deficiência de alfa-1 antitripsina.

Tratamento para DPOC

Nenhum tratamento pode reverter totalmente ou parar a doença pulmonar obstrutiva crônica.
O tratamento visa:
  • Aliviar os sintomas
  • Tratar complicações
  • Minimizar deficiências
O primeiro passo no tratamento da condição é parar de fumar. Este é o fator mais crítico para a manutenção de pulmões saudáveis.
Parar de fumar é mais eficaz durante as fases iniciais de doença pulmonar obstrutiva crônica. Deixar de fumar pode reverter algumas alterações precoces e também pode diminuir a taxa de declínio da função pulmonar em fases posteriores.

Outros tratamentos podem incluir:
  • Mudanças ambientais - A condição podem ser causada pela exposição a poeiras ou produtos químicos no trabalho. Você e o seu médico devem discutir como você pode mudar o seu ambiente de trabalho.
  • Pessoas com esta condição devem evitar a exposição à poluição do ar e fumo passivo. Além disso, devem evitar outras toxinas no ar, como desodorantes, sprays de cabelo e inseticidas.
  • Medicamentos – Geralmente, os médicos prescrevem broncodilatadores. Estes medicamentos abrem as vias aéreas. Eles podem ser administrados como um pulverizador de inalação ou em forma de comprimido.
  • Os antibióticos podem ser necessários para tratar infecções respiratórias agudas.
  • Corticosteroides inalados diariamente podem reduzir a inflamação das vias aéreas.
  • Programas de exercícios - O exercício regular constrói resistência. Ele irá melhorar a sua qualidade de vida, mesmo que não melhore diretamente a função pulmonar.
  • Programas de reabilitação pulmonar podem reduzir a necessidade de hospitalização.
  • Uma boa nutrição - Uma dieta equilibrada pode ajudar a manter a resistência e melhorar a resistência contra a infecção. Beber bastantes líquidos pode ajudar a manter o muco aguado e fácil de escoar.
  • Oxigênio suplementar, que pode ser administrado no caso dos pulmões não estarem a receber oxigênio suficiente no sangue. A terapia de oxigênio pode melhorar a sua qualidade de vida, aumentar a sua capacidade de trabalho, ajudar a aliviar a insuficiência cardíaca, prolongar a vida, melhorar a função mental e levantar o seu moral.
  • Cirurgia de redução de volume do pulmão – Esta é uma opção para alguns pacientes com enfisema, cuidadosamente selecionados. Esta cirurgia remove as porções mais gravemente doentes dos pulmões, permitindo que as áreas menos danificadas possam expandir-se melhor. O valor a longo prazo deste procedimento é desconhecido.
  • Transplantes pulmonares ou transplantes de coração-pulmão – Os transplantes raramente são uma opção, a não ser em casos muito selecionados de início precoce, ou em casos de uma DPOC grave.

Prognóstico para DPOC

Não existe cura para a condição. Considere algumas medidas para melhorar a sua função e sensação de bem-estar:
  • Pare de fumar
  • Siga o seu programa de tratamento
  • Promova exercício diário
Pessoas com esta condição que continuam a fumar, podem esperar uma progressiva deterioração da função pulmonar. Parar de fumar de forma definitiva é a melhor chance de parar ou retardar o processo. Nunca é tarde demais para parar. Mesmo com bronquite crónica grave, os sintomas podem melhorar. A lesão pulmonar de enfisema não pode ser revertida, mas deixar de fumar pode diminuir o risco de danos adicionais para os pulmões.

Prevenção de DPOC

A maioria dos casos de doença pulmonar obstrutiva crônica estão relacionados com o tabagismo, pelo que deixar de fumar ou não fumar pode reduzir drasticamente o risco de DPOC.
Se você fuma, obtenha ajuda para deixar de fumar.
Se você não fuma, não comece.
Limite a sua exposição ao fumo passivo.
Além disso, evite atividades ao ar livre, quando os níveis de poluição do ar forem elevados. Se você tiver bronquite crônica, evite o contato com qualquer pessoa com uma infecção do trato respiratório superior. Mesmo um resfriado leve pode desencadear um surto de sintomas de bronquite.
Durante a temporada de gripes e resfriados, considere:
  • Lavar as mãos com frequência
  • Evitar tocar o rosto com as mãos
  • Qualquer pessoa com DPOC deve ser vacinada contra a gripe e pneumonia pneumocócica.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL