sexta-feira, 17 de março de 2017

Diverticulite - Causas e tratamento de diverticulite

Diverticulite causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção riscos complicações
Os divertículos são pequenas bolsas abauladas que se podem formar no forro do sistema digestivo, sendo encontrados na maior parte das vezes na parte inferior do intestino grosso (cólon). Os divertículos são comuns, especialmente após os 40 anos, e raramente causam problemas.
No entanto, por vezes, uma ou mais bolsas ficam inflamadas ou infetadas. Esta condição é conhecida como diverticulite. A diverticulite pode causar dor abdominal, febre, náuseas e uma mudança significativa nos hábitos intestinais.
A diverticulite leve pode ser tratada com repouso, mudanças na dieta e antibióticos. Uma condição que se torne grave ou recorrente pode exigir cirurgia.

Sintomas de diverticulite

Os sinais e sintomas desta condição podem incluir:
  • Dor, que pode ser constante e persistir durante vários dias. Geralmente, a dor é sentida na parte inferior do lado esquerdo do abdômen, mas pode ocorrer no lado direito, especialmente em pessoas de ascendência asiática
  • Náusea e vômito
  • Febre
  • Sensibilidade abdominal
  • Constipação ou mais raramente diarreia

Causas de diverticulite

Geralmente, os divertículos desenvolvem-se em locais naturalmente fracos no cólon que cedem sob pressão. Isto faz com que as bolsas se projetem através da parede do cólon.
Diverticulite ocorre quando os divertículos rompem, o que resulta em inflamação, infecção ou ambas.

Diagnóstico para diverticulite

Geralmente, a diverticulite é diagnosticada durante um ataque agudo. Atendendo a que a dor abdominal pode indicar uma série de problemas, o médico terá de descartar outras causas para os seus sintomas.

Provavelmente, o seu médico vai começar com um exame físico, incluindo a verificação do seu abdômen para constatar sensibilidade. Além disso, geralmente, as mulheres necessitam de um exame pélvico para excluir doença pélvica.
Depois disso, provavelmente, o seu médico irá recomendar:
  • Exames de sangue e urina, para verificar se existem sinais de infecção.
  • Teste de gravidez para as mulheres em idade fértil, para descartar a gravidez como uma causa de dor abdominal.
  • Testes de função hepática, para excluir outras causas de dor abdominal.
  • Exame de fezes, para descartar infecção em pessoas que têm diarreia.
  • Tomografia computadorizada, que pode identificar bolsas inflamadas ou infetadas e confirmar um diagnóstico de diverticulite. A tomografia computadorizada também pode indicar a gravidade da diverticulite e servir de guia para o tratamento.

Tratamento de diverticulite

O tratamento da diverticulite depende da gravidade dos seus sintomas e sinais.


Tratamento de condição não complicada

Se os seus sintomas forem leves, você poderá ser tratado em casa. O seu médico poderá recomendar:
  • Antibióticos, para tratar a infecção.
  • Uma dieta líquida por alguns dias, enquanto ocorre a cura dos problemas no intestino. Uma vez que os seus sintomas melhoram, você pode gradualmente adicionar alimentos sólidos na sua dieta.
  • Um medicamento para a dor, como o paracetamol (Tylenol, outros).
Este tipo de tratamento é bem sucedido em 70 a 98 por cento das pessoas com diverticulite não complicada.


Tratamento para uma condição complicada

Se você tiver um ataque grave ou tiver outros problemas de saúde, provavelmente, você vai precisar de ser hospitalizado. Geralmente, o tratamento envolve:
  • Antibióticos intravenosos
  • A inserção de um tubo para drenar um abscesso
  • Cirurgia
Provavelmente, você vai precisar de cirurgia para tratar diverticulite se:
  • Tiver uma complicação, tais como perfuração, abscesso, fístula ou obstrução intestinal
  • Tiver vários episódios de diverticulite não complicada
  • Houver comprometimento imune
Existem dois principais tipos de cirurgia, nomeadamente:
  • Ressecção intestinal primária. O cirurgião remove segmentos doentes do seu intestino e, em seguida, volta a ligar os segmentos saudáveis (anastomose). Isto permite-lhe ter movimentos normais do intestino. Dependendo da quantidade de inflamação, você pode ser sujeito a cirurgia aberta ou a um procedimento minimamente invasivo (laparoscópica).
  • Ressecção intestinal com colostomia. Se você tiver muita inflamação que não se torna possível reunir o cólon e o reto, o cirurgião irá realizar uma colostomia. Uma abertura (estoma) na sua parede abdominal irá ligar a parte saudável do seu cólon. Os resíduos passam através da abertura para dentro de um saco. Uma vez que a inflamação diminui, a colostomia pode ser revertida e o intestino reconectado.


Cuidados de acompanhamento após cirurgia

O seu médico pode recomendar uma colonoscopia seis semanas depois de você recuperar da diverticulite, especialmente se você ainda não realizou o teste no ano anterior. Não parece haver uma ligação direta entre a doença diverticular e o câncer no cólon ou câncer retal. Mas, a colonoscopia (que não é possível durante um ataque de diverticulite) pode excluir o câncer do cólon como uma causa dos seus sintomas.
Por vezes, uma cirurgia é recomendada. Mas as anteriores recomendações para a cirurgia, tendo por base o número de ataques tem sido questionada, uma vez que a maioria das pessoas fica bem, mesmo depois de dois ou mais ataques. A decisão sobre a cirurgia é individual, sendo muitas vezes baseada na frequência dos ataques e no facto de ocorrerem ou não determinadas complicações.


Prevenção de diverticulite

Para ajudar a prevenir a condição, considere:
  • Exercitar-se regularmente. O exercício promove uma função normal do intestino e reduz a pressão dentro do seu cólon. Tente exercitar-se pelo menos 30 minutos na maioria dos dias.
  • Comer mais fibras. Alimentos ricos em fibras, como frutas, vegetais frescos e cereais integrais, amolecem os resíduos e ajudam-nos a passar mais rapidamente através do seu cólon. Isto reduz a pressão dentro do seu aparelho digestivo. No entanto, não é claro se uma dieta rica em fibras diminui o risco de diverticulite. Comer sementes e nozes não está associado com o desenvolvimento desta condição.
  • Beber muitos líquidos. A fibra funciona através da absorção de água e aumento dos resíduos macios no seu cólon. Mas se você não beber líquidos suficientes para repor o liquido que é absorvido, a fibra pode causar constipação intestinal.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL