terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Incontinência urinária ou enurese noturna

Incontinência urinária causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção
Incontinência urinária, também conhecida como enurese noturna, é a liberação acidental ou involuntária de urina durante o sono, sendo um problema comum entre as crianças, mesmo depois de terem sido treinadas a usar o banheiro.
A maioria das crianças, consegue controlar gradualmente a urina por conta própria, à medida que envelhece. Habitualmente, as crianças param de molhar a cama entre os 3 e 5 anos de idade. A incontinência urinária é considerada um problema, se a criança tiver mais de 5 anos e continuar a molhar a cama duas ou mais vezes por semana, durante pelo menos três meses.

Apesar deste problema não ser uma condição séria, pode causar estresse para a criança e para a família. Crianças que fazem xixi na cama podem sentir-se envergonhadas ou embaraçadas. Elas podem evitar tomar parte de atividades, tais como acampar, porque ficam preocupadas com o facto de puderem molhar a cama enquanto estão longe de casa.

Causas

Normalmente, não existe nenhuma condição médica ou psicológica que cause a incontinência urinária (uma pequena percentagem de crianças que fazem xixi na cama não tem uma condição médica), mas esta pode ser causada por muitas situações, incluindo:
  • História familiar. Crianças com um pai ou pais que foram incontinentes são mais propensas a molhar a cama.
  • Obstipação. Pressão de fezes extra dentro do reto, podem interferir com os sinais nervosos que a bexiga envia para o cérebro. Um reto cheio também pode reduzir a quantidade de urina que a bexiga pode conter ou impedi-la de esvaziar completamente durante a micção.
  • Hormonas. A hormona chamada vasopressina limita o volume de urina que o corpo produz durante a noite. Vasopressina motiva que a água na urina possa ser reabsorvida pela corrente sanguínea, de modo que ocorre um menor volume de urina dentro da bexiga. As crianças que não produzem vasopressina suficiente podem ser mais propensas a molhar a cama.
  • Pequena capacidade funcional da bexiga. Crianças com pequena capacidade funcional da bexiga têm bexigas de tamanho normal, mas elas sentem que as suas bexigas estão cheias, mesmo quando a bexiga ainda pode prender mais urina. Elas tendem a urinar com mais frequência durante o dia e podem ter uma súbita vontade de correr para o banheiro para evitar um acidente. Elas também ficam mais susceptíveis de molhar a cama durante a noite.
  • A falta de despertar durante a noite. Por vezes, as crianças são incapazes de acordar a tempo de chegar ao banheiro. À medida que a bexiga se enche com a urina, ela envia um sinal para o cérebro, o qual envia um sinal de volta para a bexiga para relaxar de modo que possa conter mais urina. A bexiga cheia continua a enviar sinais ao cérebro para que a criança desperte. O problema ocorre quando a criança ainda não aprendeu a responder a esses sinais internos.

Sintomas


Algumas pessoas experimentam ocasionais vazamentos menores de urina. Outras podem molhar as suas roupas com frequência.

A incontinência pode ocorrer de várias formas, incluindo:

  • A incontinência de esforço, em que a urina vaza quando você exerce pressão sobre a bexiga devido a tossir, espirrar, rir, fazer exercício ou levantar algo pesado.
  • A incontinência de urgência, em que você tem uma súbita e intensa vontade de urinar seguida de uma perda involuntária de urina. Você pode precisar de urinar muitas vezes, inclusive durante a noite. Incontinência com urgência pode ser causada por uma condição de menor importância, tal como uma infecção ou uma condição mais grave, tal como uma desordem neurológica ou diabetes.
  • A incontinência por regurgitação, em que a constante necessidade de urinar se deve a uma bexiga que não se esvazia completamente.


Diagnóstico

Na maioria dos casos, o pediatra da criança será capaz de determinar se existe ou não uma condição médica que esteja a causar a incontinência através de uma história médica detalhada e realização de um exame físico. O médico pode solicitar uma amostra de urina para descartar uma infecção do trato urinário.
Se o médico suspeitar que a incontinência é devida a uma desordem médica, provavelmente, ele irá solicitar exames de sangue ou um exame radiológico.

Tratamento

Se não existir uma causa médica para a incontinência, o seu médico pode fornecer dicas para o controle do problema. A incontinência pode ser tratada pela mudança de comportamento da criança ou com várias medicações orais (tomado por via oral). 

Técnicas comportamentais

Técnicas comportamentais incluem:
  • Limitar líquidos antes de deitar. Não dê ao seu filho algo para beber, pelo menos, duas horas antes de deitar. Certifique-se de que o seu filho bebe muito líquido durante o dia.
  • Ir ao banheiro antes de dormir. Certifique-se de que o seu filho vai à casa de banho e esvazia a bexiga completamente antes de ir para a cama.
  • Alarme de enurese. Este é um dispositivo elétrico que produz um ruído alto ou que vibra para despertar a criança quando ela começa a molhar a cama. Ele tem um sensor de umidade que dispara o alarme para que a criança possa acordar e terminar de urinar no banheiro. Com o tempo, a criança aprende a acordar quando sente a sensação de uma bexiga cheia, e, eventualmente, pode ser capaz de dormir durante a noite sem ter de urinar. Esta técnica pode levar vários meses para produzir resultados.
  • Despertar noturno. Os pais, por vezes acham que é útil despertar o seu filho poucas horas depois de dormir e levá-lo ao banheiro. Um problema com este método é que ele treina a criança para despertar num determinado momento a cada noite, sem ensinar a reconhecer os sinais internos associados a uma bexiga cheia.
  • Terapia de bexiga. Esta abordagem visa aumentar gradualmente a capacidade funcional da bexiga, fazendo a criança esperar para ir ao banheiro. Aumentar a duração do tempo entre as visitas ao banheiro ajudam a ampliar a bexiga para permitir que ela mantenha mais urina.
  • Aconselhamento psicológico. Este, pode ser eficaz nos casos em que a criança teve um evento traumático ou se esta estiver a sofrer de baixa auto-estima por causa da enurese.


Medicamentos


Os seguintes medicamentos podem ser utilizados sozinhos ou em combinação com técnicas de comportamento para o tratamento da incontinência:

  • Desmopressina. Esta é a versão do hormônio vasopressina, que faz com que os rins produzam menos urina, sendo eficaz em cerca de metade de todos os casos, com melhores resultados em crianças mais velhas e que têm capacidade normal da bexiga. Esta medicação pode reduzir os níveis de sódio em crianças que a tomam, por isso os pais devem limitar a quantidade de fluidos depois do jantar. Esta é a medicação prescrita mais comum, para ajudar a controlar a incontinência urinária.
  • Oxibutinina. Este medicamento é usado para tratar a bexiga hiperativa, através da redução de contrações da bexiga. Geralmente, ele é utilizado em conjunto com desmopressina ou com o método de alarme de enurese. Este pode ser eficaz para as crianças que fazem xixi na cama mais de uma vez a cada noite e que também têm incontinência durante o dia.
  • Imipramina. Esta droga é eficaz em 40% dos casos, mas ela deve ser utilizada com precaução devido ao risco de efeitos secundários graves.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL