domingo, 5 de fevereiro de 2017

Escoliose - Causas e tratamento de escoliose

Escoliose causas sintomas diagnóstico tratamento
Uma espinha normal tem várias curvas entre o pescoço e a pélvis. Nos casos de escoliose, as curvas da coluna apresentam anormalidades de curvatura (desvios para o lado ou torções). Embora a condição pareça ocorrer nalgumas famílias, a maioria dos casos aparecem por razões desconhecidas em crianças e adolescentes que anteriormente tinham uma coluna reta. A condição que não tem uma causa conhecida é chamada de escoliose idiopática. Raparigas e rapazes são igualmente afetados pela escoliose idiopática, mas as meninas com esta condição são mais propensas a desenvolver curvas que ficam suficientemente grandes para exigir tratamento.

Causas de escoliose

Nalguns casos, a causa da escoliose é conhecida. Estes incluem:
  • Escoliose congênita, Esta ocorre quando a coluna vertebral não se forma completamente ou se forma indevidamente durante o desenvolvimento (enquanto no útero).
  • Escoliose Neuromuscular. Esta pode acontecer quando os discos e ossos da coluna vertebral se quebram ou deterioram durante a idade adulta, mas também pode acontecer porque certas doenças, tais como a paralisia cerebral, fazem com que os músculos possam suportar a coluna vertebral de forma irregular, ou possam puxar a coluna vertebral de forma desigual.
  • Osteoporose com fraturas. Os ossos são propensos à fratura em pessoas com osteoporose, e a coluna vertebral é um local privilegiado para a fratura. Se um dos lados de uma vértebra (osso da coluna) comprimirem mais do que do outro lado, depois das fraturas, a coluna vertebral pode curvar-se.
A escoliose é uma doença de longa duração (crônica) que pode piorar ao longo do tempo. Por vezes, uma coluna curvada que se desenvolve durante a infância ou no início da infância pode passar despercebida e sem tratamento até à adolescência. A posição anormal da coluna pode afetar o desenvolvimento dos músculos e ligamentos associados com a coluna espinhal, causando torção e deslocamentos nas costelas e pélvis.

Sintomas de escoliose

Normalmente, quando você olha para a espinha de uma pessoa a partir da frente ou de trás, esta parece ficar em linha reta. Quando uma pessoa tem escoliose, tipicamente, a coluna vertebral curva-se para um lado e depois volta novamente, ou, mais comumente, tem duas áreas inclinadas que se equilibram entre si, assemelhando-se a uma forma de S. Outros sinais podem incluir:
  • Um ombro que parece ficar mais baixo do que o outro
  • Um ombro arredondado
  • Uma forma de tórax afundado ou assimétrico (desigual)
  • Uma espinha que se curva demasiado para dentro ou para baixo
  • Uma pelve que empurra para a frente, de um lado
  • Uma perna que aparece mais curta do que a outra
A maioria das pessoas com escoliose não se sente incomodada pela condição, à excepção da postura anormal e preocupações cosméticas. Se a escoliose for grave e não for tratada, pode causar problemas adicionais, incluindo:
  • Dor nas costas que pode aparecer na vida adulta, como ligamentos enfraquecidos
  • Formigueiro ou dormência nas pernas
  • Deformidades permanentes
  • Fadiga (cansaço)
  • Problemas respiratórios
  • Problemas cardíacos - Raramente, a condição pode ser associada com a mecânica cardíaca anormal, como no caso de uma anormalidade numa válvula cardíaca conhecida como prolapso da válvula mitral. Não é claro se a forma anormal da parte superior do corpo conduz a este problema, ou se a válvula e a coluna (ambos) se desenvolvem anormalmente devido a um problema do crescimento.

Complicações da escoliose

Enquanto que a maioria das pessoas com escoliose têm uma forma leve da doença, a condição pode por vezes causar complicações, incluindo:
  • Danos no pulmão e coração. Em casos de escoliose grave, a caixa torácica pode pressionar contra os pulmões e o coração, tornando mais difícil a respiração eo bombear do coração.
  • Problemas nas costas. Adultos que tiveram a condição em crianças são mais propensos a ter dor lombar crônica do que as pessoas a população em geral.
  • Aparência. Quando a condioção se agrava, pode causar mudanças mais visíveis, incluindo ombros desnivelados, costelas proeminentes, quadris irregulares e uma mudança da cintura e tronco para o lado. Indivíduos com escoliose tornam-se muitas vezes auto-conscientes sobre a sua aparência.

Diagnóstico para escoliose

A partir dos 8 ou 10 anos de idade, a maioria das crianças e adolescentes são verificados para escoliose em cada exame físico de rotina. Durante o exame, o profissional de saúde irá pedir que a criança fique de pé, e então se curve e tente tocar nos dedos do pé. Esta posição permite que o examinador possa verificar se existe curvatura na espinha, para uma inclinação do corpo anormal para a esquerda ou para a direita, ou para uma omoplata que fica maior do que a outra. O valor global da triagem de rotina não é claro.
Se o médico suspeitar de escoliose, ele pode encaminhá-lo para um especialista de coluna, geralmente um cirurgião ortopédico (um especialista que trata doenças dos ossos e articulações), para uma análise mais aprofundada. Para ajudar no diagnóstico, muitas vezes utiliza-se uma série de raios-X da coluna vertebral. Ao usar estes raios-X, o especialista irá determinar a gravidade da escoliose e o risco de esta se agravar. Uma vez que este procedimento seja realizado, o médico irá recomendar um tratamento específico.

Tratamento para escoliose

O tratamento para escoliose depende da idade e sexo do paciente, da gravidade da curvatura da coluna vertebral, da localização da curva, do tipo de escoliose, e em raparigas, se a paciente começou a menstruar. A idade em que começa a menstruação é um indicador da fase de crescimento ósseo, o que ajuda a determinar o risco de progressão da doença.
A maioria dos casos são leves e não requerem tratamento. No entanto, para se certificar de que a curva não piora, a pessoa deve ser examinada regularmente por um médico. Casos mais graves que causem desconforto ou outros sintomas, e casos leves que sejam susceptíveis de piorar, muitas vezes necessitam de tratamento, que pode incluir exercícios de fortalecimento. Para os casos mais graves de escoliose, cintas especiais e até mesmo cirurgia podem ser recomendados.


Prevenção de escoliose

Excepto nos casos de escoliose relacionada com osteoporose, a maioria dos casos não podem ser evitados. Não existe nenhuma evidência que sugira que melhorar a postura ou fazer exercícios possam impedir a escoliose. Medidas para aumentar a massa óssea e fortalecer os ossos, incluindo ingestão suficiente de cálcio e vitamina D, e promoção de exercícios de levantamento de peso regular, podem ajudar a prevenir casos causados por fraturas da coluna vertebral. Nalguns casos, a deteção precoce pode prevenir que a doença se agrave.

Você deve examinar a espinha do seu filho regularmente desde a infância, e falar com o seu médico sobre quaisquer preocupações de saúde. Avaliações e exames pediátricos regulares também podem identificar casos de escoliose.

Também pode gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL