segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Colite

Colite causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção
A colite ulcerosa é uma doença que provoca inflamação e feridas (úlceras) no revestimento do intestino grosso (cólon). Geralmente, esta condição afeta a parte inferior (cólon sigmoide) e reto, mas pode afetar todo o cólon. A doença pode afetar pessoas de qualquer idade, mas a maioria das pessoas que são diagnosticadas com colite têm menos de 30 anos.

Causas de colite

Os especialistas ainda não têm a certeza do que causa este problema. No entanto, pensa-se que possa ser causado por uma reação exagerada do sistema imunológico às bactérias normais do trato digestivo ou a outros tipos de bactérias e vírus.
Pessoas com histórico familiar de colite ulcerosa têm maior probabilidade de contrair a condição.

Sintomas de colite

Os principais sintomas de colite são:
  • Dor de barriga ou cólicas
  • Diarreia
  • Sangramento do reto
Algumas pessoas também podem ter febre, podem não sentir fome e podem perder peso. Em casos graves, as pessoas podem apresentar diarreia 10 a 20 vezes por dia.
A doença também pode causar outros problemas, tais como dor articular ou doença hepática.
Na maior parte das pessoas, os sintomas aparecem e desaparecem. Algumas pessoas passam meses ou anos sem sintomas (remissão). Cerca de 5% a 10% de pessoas com colite ulcerosa têm sintomas em todo o tempo.


Quando consultar um médico

Consulte o seu médico se experimentar uma mudança persistente nos seus hábitos intestinais ou se tiver sinais e sintomas, tais como:
  • Dor abdominal
  • Sangue nas fezes
  • Diarreia que não responde a medicamentos de venda livre
  • Diarreia que o desperta do sono
  • Uma febre inexplicável que dura mais de um ou dois dias
Apesar de normalmente a colite ulcerosa não ser fatal, esta é uma doença grave que nalguns casos pode causar complicações com risco de vida.


Fatores de risco para colite

Colite ulcerativa afeta aproximadamente o mesmo número de homens e mulheres. Os fatores de risco podem incluir:
  • Idade. Geralmente, a colite ulcerativa começa antes dos 30 anos de idade, mas pode ocorrer em qualquer idade, e algumas pessoas podem não desenvolver a doença até depois dos 60 anos.
  • Raça ou etnia. Embora os brancos tenham maior risco de contrair a doença, ela pode ocorrer em qualquer raça. Se você for de ascendência judaica Ashkenazi, o risco será ainda maior.
  • História familiar. Você estará em maior risco se tiver um parente próximo, como um pai, irmão ou filho com a doença.
  • O uso de isotretinoína. A isotretinoína é um medicamento utilizado para tratar cicatrizes de acne cística ou acne vulgar.

Complicações associadas a colite


As possíveis complicações da colite ulcerosa incluem:

  • Hemorragia grave
  • Um buraco no cólon (cólon perfurado)
  • A desidratação grave
  • Doença hepática (raro)
  • A perda óssea (osteoporose)
  • A inflamação da pele, articulações e olhos, e feridas na mucosa da boca
  • Um aumento do risco de câncer do cólon
  • Aumento do risco de coágulos sanguíneos nas veias e artérias


Diagnóstico da colite

De modo a diagnosticar a condição, os médicos podem formular perguntas sobre os sintomas, fazer um exame físico e promover uma série de testes. Em regra, os testes podem ajudar o médico a identificar outros problemas que podem causar sintomas semelhantes, como doença de Crohn, síndrome do intestino irritável e diverticulite.
Os testes podem incluir:
  • Colonoscopia. Neste teste, um médico usa um instrumento fino e iluminado para olhar para o interior de todo o cólon. Ao mesmo tempo, o médico pode tomar uma amostra (biópsia) da mucosa do cólon
  • Os exames de sangue, que permitem avaliar uma infecção ou inflamação
  • Amostra de fezes

Tratamento da colite

A colite ulcerativa afeta cada pessoa de forma diferente. O seu médico irá ajudá-lo a encontrar tratamentos para reduzir os sintomas e ajudar a evitar novas crises.
Se os seus sintomas forem leves, você só precisará de usar medicamentos para diarreia (como Imodium). Fale com o seu médico antes de tomar estes medicamentos.
Muitas pessoas precisam de medicamentos de prescrição, como medicamentos esteroides ou outros medicamentos que reduzam a resposta imunológica do corpo. Estes medicamentos podem parar ou reduzir os sintomas e prevenir crises.
Algumas pessoas acham que certos alimentos pioram os seus sintomas. Se isso acontecer, não faz sentido você comer esses alimentos. Mas não se esqueça de praticar uma dieta saudável e variada para manter o seu peso e para se manter forte.
Se você tiver sintomas graves e os medicamentos não ajudarem, você pode precisar de cirurgia para remover o seu cólon. A remoção resolve a colite ulcerativa e também previne o câncer de cólon.
As pessoas que têm colite ulcerativa por 8 anos ou mais, também têm uma chance maior de desenvolver câncer de cólon. Quanto mais tempo você tiver a colite ulcerativa, maior o risco. Converse com o seu médico sobre a sua necessidade de rastreio ao câncer. Estes testes ajudam a descobrir o câncer precocemente, quando se torna mais fácil promover o seu tratamento
A colite ulcerativa pode ser difícil de controlar. Durante uma crise, pode parecer que você está sempre a correr para o banheiro. Se você estiver num momento difícil, busque o apoio da família, dos amigos, de um conselheiro ou procure um grupo de apoio. Pode ser de grande ajuda conversar com outras pessoas que estão a lidar com esta doença.


Estilo de vida e remédios caseiros para colite

Por vezes, você pode sentir-se impotente diante de colite ulcerativa. Mas mudanças na sua dieta e estilo de vida podem ajudar a controlar os sintomas e prolongar o tempo entre as crises.
Não existe nenhuma evidência sólida de que o que você come possa realmente causar a doença inflamatória intestinal. Mas determinados alimentos e bebidas podem agravar os seus sinais e sintomas.

Pode ser útil manter um diário alimentar para manter o controle do que você está a comer, bem como a forma como você se sente. Se você descobrir que alguns alimentos estão a piorar os seus sintomas ou a incendiá-los, você pode tentar eliminá-los. 
Aqui estão algumas sugestões que podem ajudar:


Alimentos a limitar ou evitar

Limite produtos lácteos. Muitas pessoas com doença inflamatória intestinal descobrem que problemas como diarreia, dor abdominal e gases melhoram através da limitação ou eliminação de produtos lácteos. Você pode ser intolerante à lactose (isto é, o seu corpo não consegue digerir o açúcar do leite (lactose) em alimentos lácteos). A utilização de um produto enzimático pode ajudar.
Experimente alimentos com baixo teor de gordura. Se tiver uma doença do intestino delgado, você pode não ser capaz de digerir ou absorver a gordura de modo normal. Em vez disso, a gordura passa através do seu intestino, piorando a diarreia. Experimente manteiga e evite margarina, cremes, molhos e frituras. Limite as fibras, se este alimento provocar problemas. Se tiver uma doença inflamatória do intestino, os alimentos ricos em fibras, como frutas e vegetais frescos e cereais integrais podem piorar os sintomas. Se frutas e vegetais crus o incomodam, tente cozinhar, assar ou estufar estes alimentos. Em geral, você pode ter mais problemas com alimentos da família do repolho, como brócolis e couve-flor, nozes, sementes, milho e pipoca. Você pode ter de limitar a fibra ou de promover uma dieta de baixo resíduo, se você tiver um estreitamento do seu intestino (estenose).
Evite alimentos condimentados, álcool e cafeína, já que estes podem piorar os sintomas.


Outras medidas dietéticas

Medidas dietéticas que você pode implementar, incluem:
  • Comer pequenas refeições. Você pode sentir melhoras se comer cinco ou seis pequenas refeições por dia em vez de duas ou três maiores.
  • Beber muito líquido. Tente beber bastante líquido diariamente. A água é melhor. Álcool e bebidas que contenham cafeína estimulam os seus intestinos e podem agravar a diarreia, enquanto que as bebidas carbonatadas produzem gases frequentemente.
  • Considerar multi-vitaminas. Porque a doença de Crohn pode interferir com a sua capacidade de absorver nutrientes, e porque a sua dieta pode ser limitada, os suplementos multivitamínicos e de minerais são frequentemente úteis. Consulte o seu médico antes de tomar qualquer vitamina ou suplemento.
  • Falar com um nutricionista. Se você começar a perder peso ou se a sua dieta se tornou muito limitada, converse com um nutricionista.

Também poderá gostar de ler:

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL