sábado, 25 de fevereiro de 2017

Carcinoma basocelular

Carcinoma basocelular causas sintomas diagnóstico tratamento prevenção
Carcinoma basocelular é a forma mais comum de câncer de pele.
As células basais são pequenas células da pele arredondadas que são normalmente encontradas na parte superior da pele. Quando estas células se tornam cancerosas, elas crescem fora de controle. Os tumores de células basais raramente se espalham ou causam a morte, mas, geralmente as células basais cancerosas transformam-se em pequenos tumores de pele que podem destruir a pele e os tecidos circundantes, podendo crescer ao longo do tempo e causar danos ao redor e sobre os tecidos.
O carcinoma basocelular pode crescer em qualquer parte do corpo, no entanto, a maioria dos cânceres de células basais são encontrados em alguma parte da face. Isto pode causar deformação, e pode interferir com a função das pálpebras, nariz e boca.
Muitas vezes, o carcinoma basocelular desenvolve-se por causa da repetida exposição ao sol ao longo do tempo. Pessoas com pele clara e olhos azuis apresentam um risco particularmente elevado. Menos frequentemente, o câncer das células basais pode ser causado pela exposição ao arsénio ou certos poluentes industriais. As pessoas mais velhas que receberam tratamento de raios-X para a acne enquanto adolescentes estão em maior risco de desenvolver câncer de células basais.

Causas de carcinoma basocelular

Carcinoma basocelular ocorre quando uma das células basais da pele desenvolve uma mutação no seu ADN. As células basais são encontradas na parte inferior da epiderme, a camada mais externa da pele. As células basais produzem novas células da pele. À medida que novas células da pele são produzidas, elas empurram as células mais velhas para a superfície da pele, onde as células morrem e são descartadas.
O processo de criação de novas células da pele é controlado pelo ADN de células basais. Uma mutação no ADN faz com que uma célula basal se possa multiplicar rapidamente e continuar a crescer, quando normalmente morreria. Eventualmente, as células anormais que se acumulam podem formar um tumor canceroso.

A luz ultravioleta e outras causas

Grande parte dos danos ao ADN em células basais resulta de raios ultravioleta (UV) encontrados na luz solar e em lâmpadas comerciais utilizadas em camas de bronzeamento. Mas a exposição ao sol não explica o câncer da pele que se desenvolve na pele que normalmente não é exposta ao sol. Isto indica que outros fatores podem contribuir para o risco de câncer de pele, tais como a exposição a substâncias tóxicas ou a condições que enfraquecem o sistema imunológico.

Sintomas do carcinoma basocelular

Geralmente, o carcinoma basocelular aparece como uma pequena lesão, sendo indolor e tendo uma superfície cor de rosa ou pérola. Como o câncer cresce lentamente, o centro da lesão pode tornar-se dolorido e transformar-se numa cratera que sangra, formando uma crosta.
Apesar de geralmente se localizar na face, um carcinoma basocelular pode desenvolver-se nas orelhas, pescoço, costas e noutras superfícies cutâneas frequentemente expostas ao sol.

Diagnóstico para carcinoma basocelular

O médico deverá examinar a sua pele, podendo recorrer a uma biópsia, que envolve a remoção de pele para que possa ser examinada num laboratório. O médico pode remover alguma, ou a totalidade da pele anormal para uma biópsia.

Tratamento para carcinoma basocelular

Tratamentos para o câncer de células basais incluem:
  • Curetagem e eletrodissecção. Um instrumento afiado raspa a área afastada do câncer visível. Em seguida, uma sonda elétrica mata as restantes células microscópicas cancerosas.
  • Excisão. O câncer visível e algum tecido saudável é cortado,  e em seguida a pele é suturada.
  • Criocirurgia. As células cancerosas são congeladas com nitrogênio líquido.
  • A terapia com laser. Um feixe de laser é usado para destruir o câncer.
  • Radiação. Raios de alta energia são utilizados para destruir o câncer.
  • Cirurgia micrográfica de Mohs. O tumor é raspado numa área afastada em camadas finas. Cada camada é verificada sob um microscópio para verificar se contém células cancerosas. Este procedimento preserva a pele saudável tanto quanto possível, certificando-se de que todo o câncer é removido.
Terapias menos comuns ou experimentais incluem:
  • Fluorouracilo tópico, um fármaco anticancerígeno diretamente aplicado na pele
  • A quimioterapia injetada diretamente no tumor
  • A terapia fotodinâmica, que mata o câncer com produtos químicos e luz
Determinar o tratamento adequado depende de muitos fatores, incluindo:
  • O tamanho e a localização do câncer
  • Se ele retornou após o tratamento anterior
  • Idade
  • Saúde geral do paciente
Uma vez que o tratamento é terminado e que o câncer foi resolvido, o médico irá agendar acompanhamento com exames de pele regulares. Depois de uma pessoa ser diagnosticada com câncer de células basais, esta fica em maior risco de desenvolver outro câncer de células basais.

Prevenção de carcinoma basocelular

Você pode reduzir o risco de carcinoma basocelular se:
  • Evitar o sol do meio-dia. Evite o sol quando os seus raios são mais fortes. Para a maioria dos lugares, este ocorre entre as 10:00 horas e as 16:00 horas. Porque os raios solares são mais fortes durante este período, tente agendar atividades ao ar livre para outros momentos do dia, mesmo no inverno. Você absorve a radiação UV durante todo o ano, e as nuvens oferecem pouca proteção contra raios nocivos.
  • Usar protetor solar durante todo o ano. Escolha um protetor solar que possa bloquear os raios UVA e UVB e tenha um FPS de pelo menos 15. Aplique protetor solar de modo generoso, e reaplique a cada duas horas, ou mais frequentemente, se você nadar ou suar. Mesmo o melhor protetor solar pode ser menos eficaz do que o número FPS identificado no frasco, o que leva a crer que a pessoa não aplica o protetor de modo adequado, porque não aplica uma espessura suficiente, ou porque este fica lavado enquanto nada.
  • Usar vestuário de proteção. Protetores solares não fornecem proteção completa contra os raios UV, pelo que, deve usar roupas bem tecidas que cubram os seus braços e pernas, e um chapéu de abas largas, que oferece mais proteção do que um boné de beisebol ou viseira. Algumas empresas também vendem roupas fotoprotetoras. Não se esqueça dos óculos de sol. Procure um par de óculos que ofereça proteção total contra os raios UVA e UVB.
  • Evitar camas de bronzeamento. Camas de bronzeamento emitem radiação UV, o que pode aumentar o risco de câncer de pele.
  • Familiarize-se com a sua pele para que você possa notar mudanças. Examine a sua pele para se familiarizar com o seu aspeto normal. Desta forma, você pode notar quaisquer alterações na pele. Com a ajuda de espelhos, verifique o seu rosto, pescoço, orelhas e couro cabeludo. Examine o seu peito e tronco, e os topos e partes inferiores dos seus braços e mãos. Examine a parte dianteira e a parte traseira das suas pernas e pés, incluindo as solas e os espaços entre os dedos dos pés. Além disso, verifique a sua área genital e entre as nádegas. Se você perceber algo incomum, indique  ao seu médico na próxima consulta.
  • Pergunte ao seu médico sobre formas de triagem. Se você já teve câncer de pele, você tem um aumento do risco de um segundo câncer. Converse com o seu dermatologista sobre a frequência com que deve ser rastreado para a recorrência e pergunte como deve fazer verificações periódicas da pele.

Nenhum comentário:
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL